Tag Archives: são joão

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

O São João no Sabugal!

E estamos em pleno São João no Sabugal! Sai esta crónica na semana das festas de São João no Sabugal, o que me leva a recordar como me lembro hoje desta festa na minha infância.

«Pinho» do São João no Sabugal - Capeia Arraiana

«Pinho» do São João no Sabugal

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

O Ciclo Sanjoanino (5)

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas em louvor dos Santos de cada dia. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

São João do Porto

São João do Porto

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

O Ciclo Sanjoanino (1)

Manuel Leal Freire brinda-nos com uma vaga de poemas em louvor dos Santos de cada dia. Semanalmente, ao domingo, a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa deslumbra-nos com a exortação aos valores maiores deste nosso recanto raiano.

Festa de São João no Porto

Festa de São João no Porto

Joaquim Gouveia - Capeia Arraiana (orelha)

Ai raparigas do meu tempo!…

Esta semana foi tempo de festejar o São João. Como não podia deixar de ser, também no Lar do Casteleiro, os balões alusivos a este santo popular, decoravam a sala de estar dos utentes.

São João - Lar do Casteleiro - Sabugal - Capeia Arraiana

São João – Lar do Casteleiro

Sabugal - © Capeia Arraiana (orelha)

Quinta do Bill no São João do Sabugal

A conceituada banda musical portuguesa Quinta do Bill é a principal atracção das festas de São João do Sabugal. O grupo actua na noite de 22 de Junho.

Cartaz da festa de São João 2013

Cartaz da festa de São João 2013

Porque não o S. João?

Vale a pena matar o S. João?

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Desde que nasci que a festa mais importante da vila do Sabugal era o S. João, em Junho.
Curiosamente, e sendo a igreja matriz do Sabugal a igreja de S. João, estas são umas festas totalmente pagãs (O Capeia já em 17 de Junho de 2008 explicou as razões… – Ver Aqui.).
A sua organização sempre esteve atribuída aos mordomos, normalmente indicados pela mordomia anterior e escolhidos entre os homens casados.
Infelizmente, e nos anos mais recentes, tem-se registado uma dificuldade grande de garantir a sua realização, o que tem contribuído para alguma perda do brilho e da capacidade de atracção que já teve no passado.
Desde há muitos anos se tentou afirmar outras festas e outras datas e lembro-me perfeitamente das Festas de Agosto no interior do castelo, pois o meu pai foi um dos seus organizadores.
O «carvalho» de S. João em preparaçãoTinham um cartaz muito melhor, o espaço era óptimo (embora ainda me lembre de algumas resistências ligadas ao facto de ali ter sido o antigo cemitério…), e havia sempre muita gente a assistir, mas nunca substituíram o S. João…
Hoje, por iniciativa municipal vêm sendo realizadas nos últimos dias de Julho, umas chamadas “Festas da Europa”, embora já tenham tido outros nomes…
Pessoalmente discordo da sua realização, não porque tenha alguma coisa contra a Europa, mas porque considero que, num momento de crise das festas de S. João, investir esforço e dinheiro numas festas um mês depois, pode levar a acabar com as mesmas.
Em conversa de amigos no Sabugal, perguntávamo-nos se o S. João seria uma época de festas só em Portugal, ou se tal aconteceria noutros países europeus.
Uma pesquisa rápida na Internet, permitiu-me registar festas de S. João ou Juninas em: Alemanha, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Reino Unido, República Checa e Suécia.
Isto é, dos 27 países que constituem a União Europeia, pelo menos 17 têm festas de S. João ou Juninas.
Ora se assim é, porquê «matar» uma festa que se realiza há largas dezenas de anos, para fazer outras festas um mês depois?
Será que os finais de Julho são melhores que os finais de Junho ou esta data tem algum significado especial na União Europeia?
A cidade do Sabugal necessita de ter um grande evento e não tenho dúvidas em afirmar que, para os naturais e residentes no Sabugal, essa data continua a ser o S. João.
Embora ainda haja gente que viveu o início desta tradição (1953), muitos de nós já nasceram e cresceram com os bailes, as quermesses, o carvalho do S. João.
Tirar-nos isso é morrermos um pouco…
Por isso aqui deixo a minha proposta de que se aposte tudo nas festas de S. João, as quais até se poderiam passar a chamar de «Festas de S. João e da Europa», associando-nos aos restantes povos europeus que também se juntam em festa neste mês de Junho.
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

(Presidente da Assembleia Municipal do Sabugal)
rmlmatos@gmail.com

Feira de S. João foi sucesso na Guarda

Três dias de animação intensa e de qualidade, com a participação directa de mais de 100 pessoas, e mais de 7.500 visitantes. É este o balanço que a organização da Feira de São João faz do evento que animou a Guarda entre 23 e 25 de Junho e que contou com a colaboração de dezenas de colectividades do concelho e da região, tanto na venda de produtos como na animação do evento.

Artesãos, artistas populares, músicos, actores, animadores e vendedores participaram nesta grande festa que foi a evocação histórica da feira de inícios do século XX na cidade mais alta. Uma grande festa na qual não faltaram as tasquinhas com a ementa a condizer com os santos populares, a venda de artesanato da região e dos produtos hortícolas e frutícolas e, é claro, a animação. De destacar ainda um dos pontos altos deste evento: a fogueira e baile de São João. Depois da queima da boneca na fogueira de rosmaninhos, uma tradição da região, veio o baile popular ao som de um duo de acordeões que juntou centenas de pessoas em rodopio pelo recinto.
De referir ainda que grande maioria dos participantes da feira ficou satisfeito com a grande afluência de público nesta edição. A Feira de S. João foi uma iniciava organizada pela Culturguarda em parceria com a Câmara Municipal da Guarda, inserida num dos projectos da candidatura ao programa Mais Centro, Eixo 2 – Política de Cidades – Parcerias para a Regeneração Urbana.
plb (com Culturguarda)

Contas dos mordomos de São João no Sabugal

Os mordomos das Festas de São João 2010, no Sabugal, apresentam publicamente contas da sua mordomia. Os mordomos deste ano merecem todo o apreço e consideração porque, como se sabe, foi um voluntariado de recurso após a recusa dos mordomos inicialmente indigitados – com excepção de um – de servirem na organização dos festejos. A receita totalizou cerca de 33 mil euros e a despesa um pouco mais de 31 mil euros com um saldo positivo de 2.196 euros.

Ver documento original. Aqui.
jcl

Festas de São João 2010 – Sabugal (2)

Os mordomos das Festas de São João 2010 no Sabugal foram apanhar rosmaninho, bem cedo, lá para os lados das Batocas. A «equipa» teve um participante especial: António Robalo, Presidente da Câmara Municipal do Sabugal, que andou de enxada na mão pelos campos raianos.

Clique nas imagens para ampliar

jcl

Festas de São João 2010 – Sabugal (1)

As Festas de São João 2010 no Sabugal tiveram bandeirada de partida no passado dia 6 de Junho na Pista da Galgueira com uma prova de Autocross e terminam no domingo, dia 27, com a tradicional queima do «Carvalho» decorado com rosmaninho.

Festas São João 2010 - Sabugal
Clique no cartaz para ampliar

A animação musical é o principal ingrediente do programa das Festas de São João.
Dia 20 (domingo) – Desfile e Festival de Ranchos Folclóricos, actuação das bandas sabugalenses «Os Men’s», «Los K.O. Jones» e baile com o acordeonista raiano Filipe Nunes.
Dia 24 (quarta-feira) – Baile com a banda «Uskad Kasa».
Dia 25 (sexta-feira) – Banda «Tuse» e Grupo «Ondas».
Dia 26 (sábado) – Grupo Musical «Rilufe» e orquestra espanhola «Dirección Sur».
Dia 27 (domingo) – Grupos Musicais «J & V» e «Republica» e… à uma hora da manhã a Queima do Carvalho.
A entrada no recinto do Largo da Fonte é livre com restaurante e bar permanente, animação para crianças e uma Feira de Artesanato.
Colaboração e apoios: Câmara Municipal do Sabugal, Junta de Freguesia do Sabugal, Bombeiros Voluntários do Sabugal e ADES-Associação Desenvolvimento Sabugal.
Mordomos das Festas São João 2010: António Luís Monteiro (Rochita), António Manuel Ferreira (Tó Mané), Celso Vinhas, Daniel Simão, Jaime Pinto, Joaquim Carreto, Luís Carlos Duarte, Rogério Martins e Vítor Proença.
jcl

Imagem da Semana – São João 2010

«Imagem da Semana» do Capeia Arraiana. Ficamos à espera que nos envie a sua escolha para a caixa de correio electrónico:
capeiaarraiana@gmail.com

Data: 13 de Junho de 2010.

Local: Largo na Fonte, Sabugal.

Legenda: O Carvalho das Festas de São João 2010, no Sabugal, já tem a «seus pés» um enorme monte de rosmaninho que vai ser colocado nos «mini-ramos» postiços que têm vindo a ser colocados com a ajuda do andaime que parece levar em direcção ao azul do céu. Entretanto, depois do bailarico de sábado à noite o encontro foi marcado pelos mordomos para bem cedo, às 5 horas da manhã nas Batocas. O objectivo foi recolher o rosaminho para o Carvalho das Festas de São João no Sabugal.

Autoria: Capeia Arraiana.
Clique na imagem para ampliar

Feira de São João na Guarda

«A cultura sempre a dar que falar na cidade da Guarda.» Américo Rodrigues apresentou a Feira de São João na Guarda. Reportagem da jornalista Paula Pinto e imagem de Sérgio Caetano da LocalVisãoTv (Guarda).

LocalVisãoTv - © Capeia Arraiana

ca2013_localvisaotv_550x15Autoria: Capeia Arraiana posted with Galeria de Vídeos Capeia Arraiana

jcl

Festas de São João no Sabugal

GALERIA DE IMAGENS – 23-4-2009
Fotos Kim Tomé – Tutatux – Clique nas imagens para ampliar

Festa de São João nos Fóios

No passado sábado, dia 20 de Junho, tal como havia sido anunciado, realizou-se a festa do S. João em Foios. Os quatro mordomos apuraram-se para que tudo corresse bem. Quatro ou cinco dias antes trabalharam com afinco e tiveram a recompensa porque os objectivos foram plenamente alcançados.

GALERIA DE IMAGENS – 20-6-2009
Clique nas imagens para ampliar

 

Por voltas das 16,30 horas chegou à praça a camioneta com três vacas e um pequeno toiro para a largada que estava anunciada. Das 17 às 20 horas a rapaziada divertiu-se tanto no largo da praça como nas ruas circundantes. O gado, muito embora não fosse de grande porte, como convém, era bastante afinado. Só mesmo quem tiver olho vivo o pé ligeiro se poderá meter nestas brincadeiras.
O conterrâneo Tó Canhoto – também conhecido pelo padeiro dos Foios – lá se descuidou um pouco e teve azar. Uma vaca afinada – que corria como lebre – apanhou-o quando se escapava para uma calampeira. Foi no portão pequeno da casa do ti Chico da Clara que foi colhido. Já tinha o corpo na parte de dentro mas mesmo assim não deixou de levar uma marrada numa perna tendo-lhe partido a tíbia e o perónio um pouco acima do tornozelo. Chamou-se de imediato a ambulância, dos Bombeiros do Soito, que o transportou para o hospital da Guarda, onde ficou internado, tendo sido operado no dia seguinte. Sabemos que a operação correu bastante bem pelo que agora só o tempo o poderá recuperar.
A população dos Foios ficou consternada sobretudo porque exerce a actividade de padeiro. Desde há alguns anos que o Tó tem feito a distribuição do pão na maioria das freguesias da raia onde é muito querido e apreciado. Foi pena que lhe tivesse acontecido isto agora. Caminhamos para o mês de Agosto, altura em que o trabalho dobra e redobra.
Esperamos que tudo lhe corra de feição e que dentro de pouco tempo o possamos ter de novo entre nós ainda que seja de muletas, como é óbvio.
Como o estado de saúde do Tó Canhoto não era muito preocupante a festa continuou. Às 21 horas os mordomos começaram a colocar nas mesas as saborosas sardinhas, carne entremeada e febras. Foi tudo regado com a boa pinga como não podia deixar de ser.
Depois de todos bem comidos e bem bebidos teve início o baile que durou até às quatro da madrugada. Pouco depois da meia noite ardeu o pinheiro. É também um momento bonito e todas as pessoas esperam com alguma ansiedade.
Parabéns aos mordomos: Pedro Henriques, José Paralto, Hélio Leal e João Campos.
Ofereceram-se para o ano de 2010 os seguintes jovens: Tiago e João Pedro Dias, Francisco do Chico da Ti Bei, André Colela e Luis Carlos da São. Que tudo lhes corra bem são os nossos votos. Cá estaremos para ajudar.
João Campos

Orquestra «Primera Fila» nas Festas de S. João

Na abertura das tradicionais Festas de S. João, no Sabugal esteve presente a Orquestra espanhola «Primera Fila».

 

Joao Aristides DuarteOriunda da cidade de Granada, no sul do país vizinho, a Orquestra é constituída por 14 elementos em palco.
Para além de um vocalista feminino e outro masculino, a orquestra tem uma poderosa secção de sopros (com trombone de varas e trompete), para além dos tradicionais baixo, guitarra, teclas, percussão e bateria.
Muitos pasodobles, tangos e valsas fizeram a alegria dos presentes, que até ensaiaram uns passos de dança.
Seguiram-se muitas rumbas e sons caribenhos e latino-americanos.
O final ficou reservado para o pessoal mais novo, com execução de temas da banda espanhola Escape (com o tema «Legalizacion»), Queen, Europe, Joe Cocker, Creedence Clearwater Revival e outros.
Para além do aspecto meramente musical, há a destacar a forte componente cénica da Orquestra, com constantes mudanças de indumentária e um corpo de dança de se lhe tirar o chapéu.
Enfim, para a abertura das Festas a Orquestra «Primeira Fila» revelou-se uma aposta acertada.
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Esteves Carreirinha - Ecos da Aldeia - © Capeia Arraiana (orelha)

Junho – Mês de festejos populares

Aproxima-se o mês de Junho e, nas nossas paragens, as manifestações festivas são muitas e variadas, tal como acontece um pouco por todo o lado, dada a coincidência do calendário nos presentear com três simpáticos Santos.

João Duarte - © Capeia Arraiana (orelha)

Concertos míticos – Sitiados no Sabugal

O concerto dos «Sitiados», no Sabugal, teve lugar no dia 25 de Junho de 1994, integrado nas tradicionais Festas de São João.

Os Sitiados tornaram-se conhecidos em 1992, quando editaram o seu álbum homónimo que incluía o grande sucesso «Vida de Marinheiro».
No entanto a sua origem remonta a 1987. Em 1988 é editada numa compilação do Rock Rendez Vous a canção «A Noite», dos Sitiados. Este tema é mais conhecido pelo seu refrão «Aqui ao luar, ao pé de ti…» e a versão mais conhecida é a dos Resistência, pelo que, nem sequer é identificado como sendo dos Sitiados.
O concerto teve lugar no dia a seguir ao bloqueio da Ponte 25 de Abril.
Estava eu a dar aulas no concelho de Vila Nova de Foz Côa, quando vim passar o fim-de-semana a casa. Na rádio ia ouvindo as notícias sobre o que se passava na travessia do Tejo. Já tinha visto o cartaz das Festas e não poderia perder o concerto dos Sitiados.
O concerto foi brutal, como agora se costuma dizer.
A formação que tocou no Sabugal era constituído por João Aguardela (voz e guitarra), Ani Fonseca (guitarra e coros), Sandra Baptista (acordeão), Jorge Buço (guitarra e bandolim), Jorge Quadros (bateria) e João Marques (baixo).
Jorge Quadros voltaria a tocar nas Festas de São João, no Sabugal, uma vez que seria o baterista dos Delfins, aquando do concerto da banda de «Soltem os Prisioneiros».
SitiadosOs Sitiados eram um dos maiores fenómenos da música portuguesa e já tinham editado o seu segundo álbum «E Agora?», com o grande sucesso «O Circo».
O recinto estava repleto.
Após a actuação do grupo de baile Talismãs, sobe ao palco Laura Diogo, manager dos Sitiados e antiga integrante das Doce, para apresentar os Sitiados ao público.
O grupo entrou com todo o speed e atacou logo com alguns dos seus temas mais emblemáticos, como «O Bicho», «Cabana do Pai Tomás», «Pérola Negra» ou «E Ela Cega». O som estava muito bom.
No palco foi montada uma rampa por onde Sandra Baptista estava sempre a subir e descer, tocando o seu acordeão.
Sandra Baptista, com um acordeão de teclas, não parava quieta um segundo, mostrando ser uma verdadeira performer.
O concerto foi sempre a subir, até que perto do final João Aguardela resolveu perguntar aos presentes se sabiam «qual era a maior banda de Portugal». Ouviram-se vozes referindo o nome dos Xutos, mas João Aguardela fez questão de afirmar que esse estatuto pertencia ao Conjunto António Mafra (uma das maiores influências do Sitiados, que aliavam a Pop e o Rock à música tradicional portuguesa). E os Sitiados tocaram, a seguir, o tema «Menina Yé Yé», um dos sucessos do Conjunto António Mafra.
SitiadosE, perto do final, tocaram; como não podia deixar de ser «O Circo» e «O Baile», para regressarem ao palco (no encore) e interpretarem o tema mais esperado que era «Vida de Marinheiro».
O concerto terminou. Os Talismãs regressaram ao palco para continuar a sua actuação. Curiosamente, os Sitiados estiveram programados para um concerto nas Festas de S. Cristóvão, no Soito, em Agosto do mesmo ano, mas o mesmo foi desmarcado. Teria sido bom se se pudessem confrontar os dois concertos.
Este foi um dos concertos melhores a que assisti nos anos 90 do século XX.
Este artigo é dedicado à memória de João Aguardela, o vocalista dos Sitiados, falecido no passado dia 19 de Janeiro (nos últimos tempos membro de A Naifa), vítima de cancro, aos 39 anos.
Obrigado, por todos os bons momentos, como este do Sabugal, João…
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Concertos míticos no Sabugal – Trovante

Os Trovante iniciaram-se nas lides musicais em 1976, em Sagres, no Algarve. Nos anos seguintes lançaram «singles» e dois LP’s («Chão Nosso» e «Em Nome da Vida»). No início eram uma banda muito marcada politicamente e com um estilo próximo da música tradicional portuguesa, pese o facto de, hoje, estes primeiros discos sejam vistos como dentro do «progressivo», por muitos interessados.

Joao Aristides DuarteAcompanharam José Afonso na gravação do LP «Fura Fura» e fizeram uma tournée com o autor de «Grândola» por terras africanas.
O seu verdadeiro sucesso só aconteceu em 1981, com o LP «Baile no Bosque», onde o tema-título tinha uma letra que falava no lince da Malcata.
A primeira vez que vi os Trovante, ao vivo, foi na noite de 2 de Fevereiro de 1982, no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra. Gostei muito deste concerto, que estava muito próximo da Folk Music e bastante longe da Pop.
Mais tarde, vi os Trovante, ao vivo, por duas vezes, na cidade da Guarda.
O sucesso dos Trovante continuou a crescer. Após a edição dos LP’s «84», «Sepes» e «Terra Firme». A sua música adquiriu sonoridades mais Pop e foram abandonando, progressivamente a sua vertente Folk.
O seu concerto no Sabugal, inserido nas Festas de São João, teve lugar no castelo de cinco quinas.
O recinto estava a abarrotar. Foi um dos anos que vi mais gente nas Festas de S. João.
A formação da banda era a seguinte: João Gil (guitarra), Luís Represas (voz e bandolim), António José Martins (percussões), Artur Costa (saxofone), Manuel Faria (teclados), Fernando Júdice (baixo) e José Salgueiro (bateria).
Os Trovante tinham alcançado um estatuto de super banda e a sua vinda ao Sabugal foi uma aposta ganha, por parte da Comissão de Festas.
TrovanteO grupo tinha lançado, não há muito tempo, o super êxito «125 Azul». A música dos Trovante já conseguia agradar ao «mainstream». João Gil até usou guitarra eléctrica, numa boa parte do concerto, no Sabugal, quando isso era improvável, na época em que os Trovante davam os primeiros passos.
O público teve direito a todos os êxitos da banda, incluindo «Perdidamente», «125 Azul», «Xácara das Bruxas Dançando», «Travessa do Poço dos Negros» e «Tutti quanti».
Os Trovante proporcionaram um dos melhores concertos que tiveram lugar no Sabugal e que sejam do meu conhecimento.
A produção do espectáculo (som e luzes) foi, também, de cinco estrelas. Os Trovante eram profissionais a cem por cento e não descuraram nenhum pormenor.
No final, como não podia deixar de ser, houve direito a encore, já que o público assim o exigiu.
Uma situação que me deixou bastante intrigado, aconteceu após o final do concerto, quando os membros dos Trovante tiveram que ser acompanhados pela GNR para saírem dos bastidores, para fora do recinto.
Eu, que vi os Trovante na Guarda, com o público bem juntinho ao palco, sem qualquer barreira, e que os vi à noite, convivendo com as pessoas num bar da cidade, fiquei um pouco perplexo. Mas é a vida do showbiz.
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Forcão Raiano na Feira de São João nos Açores

O jornal «A União» de Angra do Heroísmo na Ilha Terceira, nos Açores, publicou esta semana uma notícia com «pormaiores interessantes» sobre os preparativos para a Feira de São João do próximo ano. O organizador pretende introduzir o forcão raiano no programa taurino das festas.

Tourada com cordaA Terceira é a única ilha do arquipélago açoriano onde existem criações de gado bravo o que facilita a realização de dois tipos de touradas: as típicas à portuguesa numa praça ou redondel e as de cordas. Nas touradas de cordas o touro é lançado a correr pelas ruas preso a uma corda de 80 metros de comprimento que é segura na outra extremidade por seis homens que usam normalmente camisolas de linho e correm descalços ou de sapatilhas.
Mas parece que a tradição já não é o que era. O jornal angrense «A União» antecipa na edição desta semana os preparativos e o programa das Festas de São João em 2009 que estão a ser orientadas pelo açoriano José Couto.
Com a devia vénia transcrevemos algumas passagens do artigo que confirma José Couto no comando da Feira de São João 2009:
«O reconhecimento do mérito do trabalho desenvolvido pela equipa de José Couto foi fundamental para a escolha do timoneiro da Feira de São João de 2009. Pela sexta vez, José Couto vai estar encarregue de definir a filosofia, o figurino e os moldes da Festa dos Toiros nas Sanjoaninas do ano que vem. Como em equipa que ganha não se mexe, José Couto mantém unido o grupo responsável pela Feira de São João 2008, uma feira fantástica, sobretudo pela grandeza dos carteis, pela qualidade dos toureiros contratados, pelo nível de apresentação, bravura e nobreza da maioria dos exemplares dos curros saídos à arena da Praça de Toiros Ilha Terceira.
Com José Couto na liderança dos destinos da Feira de São João 2009, podem os aficionados e amantes da Festa ter a certeza de que a tauromaquia será valorizada, até na sequência do balanço feito nas páginas de A União, uma semana após o fecho das festividades. Por outro lado, nessa entrevista, José Couto propõe mudanças e alternativas para a Feira e para toda a outra vertente taurina das Sanjoaninas.
Nada está sequer esboçado, nem convém que esteja, mas um pormenor que pode vir a fazer a diferença no espectáculo da gloriosa e tradicional Espera de Gado do dia de São João, 24 de Junho, será a hipotética introdução do Forcão, engenho de raízes culturais utilizado na lide dos toiros na capeia raiana. O Forcão, de madeira, é manobrado por cerca de 30 homens. Proporciona momentos de autêntico deleite a quem vê a exibição da força e destreza dos executantes, significando para quem o manobra verdadeira prova de aficcion aos toiros.»

Sabugal e Angra do Heroismo – Tão longe e tão perto!
jcl

Roberto Leal no São João do Sabugal

O cantor Roberto Leal é o cabeça de cartaz da edição 2007 das Festas de São João que decorrem na cidade do Sabugal entre os dias 21 e 24 de Junho.

Festas de São Joao 2007 - Sabugal (clique para ampliar)Os mordomos de 2007 das festas do São João no Sabugal divulgaram o programa dos festejos que se estendem por quatro dias e vão decorrer de quinta-feira (21 de Junho) a domingo (24).
O cartaz (clique na imagem para ampliar) com que o Capeia Arraiana ilustra a notícia atinge os seus objectivos em termos de comunicação e imagem, com um bom enquadramento entre o texto e a promoção dos grupos musicais destacando os mais importantes. O design, onde realçamos a analogia entre o castelo e as actuações nocturnas a partir das 22 horas, é feliz e está bem concebido.
O destaque vai para a actuação no sábado, a partir da meia-noite e meia de «Roberto Leal e sua banda» estando o aquecimento do público a partir das 22 horas a cargo do grupo «Catedráticos».
Na primeira noite, quinta-feira, o palco vai estar entregue à banda de Nuno Figueiredo e na sexta-feira o baile tem início às 22 horas com o grupo musical «Sequência» que dará lugar depois da meia-noite à conhecida dupla «Miguel e André»
A tarde do último dia das festas, domingo, será preenchido com XIII Festival Internacional de Folclore do Sabugal com início marcado para as 15 horas. A partir das 22 horas os foliões poderão dançar ao som do grupo «Arte Média», assistir à actuação do artista Hugo Manuel e ao espectáculo de fogo-de-artifício. As festas encerrarão com a tradicional queima do carvalho e a nomeação dos mordomos 2008.
Animação para todos os gostos com bar e restaurante permanentes explorados pela comissão de festas e o patrocínio de entidades e empresas do concelho.
jcl