O presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, é o primeiro subscritor de uma petição «em defesa da Festa Brava» que pretende recolher 100 mil assinaturas até Julho de 2011. O autarca pretende criar uma associação de municípios de Portugal, Espanha e França para a defesa da tauromaquia.

Cavalo e TouroEm declarações à agência Lusa Moita Flores defendeu que a festa dos touros é «um combate pela cidadania e pelos direitos da Terra para que ninguém se amedronte perante a gritaria histérica de alguns» e pretende «mostrar definitivamente ao país que não nos submetemos à ditadura do hamburguer urbano e que somos muitos, disponíveis para lutar, resistir e assumir Portugal na sua unidade complexa e diversa».
Moita Flores anunciou, na última reunião da Câmara de Santarém, a criação de uma associação de municípios de Portugal, Espanha e França para a defesa da tauromaquia e o lançamento desta petição.
Lembrando as suas origens alentejanas, Moita Flores acusa os promotores das iniciativas contra as touradas de não estarem interessados na defesa dos direitos dos animais, nem na defesa dos direitos do homem.
«As posições tomadas pelos que defendem a proibição das actividades tauromáquicas são hipócritas», lembra o autarca acrescentando que «resolveu lançar esta iniciativa em defesa dos animais, dos touros, dos cavalos, dos pastores e dos campinos, da economia agrícola e animal associada à festa e ao espectáculo, em nome do progresso com memória, em nome do desenvolvimento sem perder o sentido da História».
A presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Maria da Luz Rosinha (PS), é a subscritora número 7445 da petição «Em Defesa da Festa Brava» lançada por Moita Flores. Maria da Luz Rosinha considerou que «a festa brava está ligada às origens da nação e à proximidade com a terra» defendendo que «na realidade de tradição secular proveniente da dinâmica e interacção entre o homem e o campo, as manifestações tauromáquicas fazem parte do universo de várias gentes e regiões do país, sendo uma parte importante dos seus costumes e património cultural e deve ser preservada».

Petição para defender a Festa Brava. Aqui.
jcl (com agência Lusa)