Só algumas famílias mantêm ainda a tradição de ir à romaria da Senhora da Graça, no Sabugal, e se instalarem nas imediações da capela para aí merendarem e passarem todo o dia.

Festa da Senhora da Graça no SabugalAs merendas dos romeiros, que durante tanto tempo foram a imagem de marca da festa, são hoje uma raridade. Não por culpa das mordomias, que melhoraram sucessivamente o santuário, instalando até mesas de pedra e fazendo outros melhoramentos importantes, mas por manifesta falta de interesse dos romeiros de hoje. Os tempos são outros, é verdade, nas há tradições que importa manter e esta é seguramente uma delas.
A romaria fez-se do passado dia 7 de Setembro, primeiro domingo do mês. Centenas de pessoas assistiram á cerimónia religiosa, onde foi pregador, o jovem padre Hélder Lopes, e depois participaram na procissão que contornou a capela. Coube á banda filarmónica da Bendada abrilhantar a festa, o que fez com galhardia e distinção, como é seu timbre.
Finda a cerimónia, os romeiros dirigiram-se para os seus automóveis, ou para o autocarro que a empresa Viúva Monteiro disponibilizou, e rumaram a suas casas para almoçarem. Ficaram junto ao santuário, ocupando algumas mesas e lameiros, meia dúzia de famílias sabugalenses, que persistem em querer manter a tradição de ali degustarem a merenda. Lá estiveram, em convívio por toda a tarde, mantendo assim uma velha tradição que cada ano parece ter menos adeptos.

Sugere-se que o todo da festa se transfira para o santuário. Para além do cerimonial religioso, a mordomia deveria apresentar também um programa de animação durante a tarde, como um concerto da banda filarmónica, actuação de concertinas, ou mesmo jogos tradicionais. Depois, à noite, fazer ali tradicional baile. Talvez assim, com estes atractivos, se consiga rumar contra a maré, voltando a concentrar os romeiros no santuário, onde poderão passar um dia diferente e, seguramente, muito mais animado e saudável.
plb