«Retoma? Só para emprego ultraprecário.» «Num ano, 78 por cento dos contratos que cessaram duraram menos de três meses. E salários estão cada vez mais baixos.» «A recuperação está a ser acompanhada por um aumento da instabilidade dos vínculos contratuais a par de uma estagnação ou mesmo recuo na retribuição salarial», in, semanário «Expresso», de 11 de Junho de 2017. Compreendo agora porque o senhor Schäuble chamou «Cristiano Ronaldo das Finanças» a Mário Centeno.

E que futuro para os jovens portugueses? - António Emídio - Capeia Arraiana
E que futuro para os jovens portugueses?
Ler Mais