Tag Archives: manuel clemente

Adérito Tavares - Na Raia da Memória - © Capeia Arraiana (orelha)

Doutoramento Honoris Causa de Pinharanda Gomes

A Universidade da Beira Interior (UBI) atribuiu esta terça-feira, dia 20 de Março, o grau de Doutor Honoris Causa a Jesué Pinharanda Gomes, ensaísta, pensador, escritor, filósofo e historiador. O mais alto responsável pela Igreja Católica em Portugal, o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, foi o padrinho do homenageado, que é natural da freguesia de Quadrazais, no concelho do Sabugal. Jesué Pinharanda Gomes é o 19.º Doutor Honoris Causa pela UBI.

Intervenção de D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa, que apadrinhou o Doutoramento - Capeia Arraiana

Intervenção de D. Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa, que apadrinhou o Doutoramento

D. Manuel Clemente em conferência na Guarda

D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, estará na cidade da Guarda no dia 15 de Abril, quinta-feira, como primeiro orador da conferência «Efeitos da Implantação da República na Cidade», que reunirá uma série de intervenções públicas que acontecerão ao longo deste ano. A organização da iniciativa é da Comissão Diocesana da Guarda das Comemorações do Centenário da Implantação da República.

A conferência de D. Manuel Clemente terá lugar na sala da Assembleia Municipal da Guarda, às 21 horas, tendo a seu lado o anfitrião, D. Manuel Felício, Bispo da Diocese da Guarda.
A Igreja quer assinalar pelo conjunto de conferências os acontecimentos ligados à implantação da República, que aconteceram há 100 anos, os quais levaram a transformações profundas em todo o país.
Segundo a Agência Ecclesia, neste programa de intervenções, a Comissão pretende lembrar o Bispo da Guarda de então, D. Manuel Vieira de Matos, figura marcante do Episcopado Português, e seus mais directos colaboradores.
«Os dois Seminários da Diocese da Guarda, que foram encerrados pelos poderes públicos da República, tendo os respectivos edifícios sido retirados à diocese da Guarda, sua legítima proprietária, como aconteceu igualmente com o Paço Episcopal, é outro dos assuntos que será recordado», afirma ainda a agência no seu portal de comunicação on-line.
O programa das conferências prevê uma incursão pelo papel de algumas instituições de ensino da Igreja na diocese, designadamente o Colégio de S. Fiel, em Louriçal do Campo, por onde passaram figuras marcantes da cultura e da ciência em Portugal. O papel da imprensa da Guarda e o vivo debate que através dela se verificou imediatamente antes e depois da implantação da República, será outro dos temas em destaque. O mesmo acontecerá com a então polémica «Lei de Separação», de 1911, que teve duas consequências para a vida da Igreja em Portugal e para a sociedade portuguesa no seu conjunto.
«Pretendemos ajudar as pessoas da Guarda a terem dos acontecimentos de há 100 anos ligados à implantação da República uma compreensão mais ampla e desapaixonada, contribuindo, assim, para que as lições da História nos ajudem, quanto possível, a traçar os melhores rumos do futuro para a sociedade portuguesa» refere um comunicado da Comissão Diocesana das Comemorações do Centenário da Implantação da República, citada pela Ecclesia.
plb

D. Manuel Clemente recebe Prémio Pessoa

Um Bispo do Futuro. Um rosto da Igreja em Portugal. É motivo de júbilo para o autor desta carta, a notícia de que o Prémio Pessoa, fora este ano atribuído pelo júri do semanário «Expresso» ao bom amigo e antigo Bispo titular de Pinhel, D. Manuel José Macário do Nascimento Clemente, que tive a honra de conhecer há bem uns trinta anos, e com quem mantive, por sua abertura de espírito, frequentes contactos.

Pinharanda Gomes - Carta DominicalAinda não há muito que tivera a gentileza de prefaciar a nossa Antologia Documental sobre a extinta Diocese de Pinhel, a par de outras gentilezas.
Um tanto alheado do mundo dos prémios, dizem-me que este Prémio Pessoa é de alto significado e que se destina a distinguir personalidades / obras de mérito humanístico e universal, sendo esta a primeira vez que cabe a um bispo e notável pensador.
Nascido em Torres Vedras (1948), ordenado prebístero (1979), nomeado bispo titular de Pinhel (1999) e bispo auxiliar de Lisboa (Janeiro 2000), é, desde 25 de Março de 2007, bispo do Porto, sucedendo a D. Armindo Lopes Coelho.
Muitos sentimos vê-lo colocado fora de Lisboa, onde sempre vivera e trabalhara, mas a missão obriga. Doutorado em teologia histórica (1992), tem desempenhado diversas funções no âmbito da Conferência Episcopal Portuguesa, sobretudo como promotor da Comissão de Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais do Episcopado Português.
Foi vice-reitor dos Seminários dos Olivais e professor na Universidade Católica. Para além de tudo – e muito teve de trabalhar como bispo responsável pelo Oeste do Patriarcado, com todas as freguesias, desde Mafra a Alcobaça – ainda dispôs de ânimo para investigar e publicar, quer em publicações científicas (Boletim de Trabalhos Históricos, Laikos e Lusitânia Sacra, etc.) quer em livros.
Desde logo na sua tese intitulada «Nas Origens do Apostulado Contemporâneo em Portugal. A Sociedade Católica» (1843-1853), e, mais recentemente, dois voluminhos de ensaios e reflexões de história sagrada portuguesa (melhor: da religiosidade portuguesa) e do diálogo Igreja / Mundo: «Portugal e os Portugueses» (2008) e «1810-1910-2010» (2009).
Simplicidade peculiar aos sábios, o Prémio Pessoa honra-o e reflecte a luz na Igreja de que é pastor.
Parabéns, e votos de à maior glória de Deus.
«Carta Dominical», opinião de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com