Tag Archives: incêndios florestais

Acontecimento do Ano 2017 - Capeia Arraiana

Acontecimento de 2017 – a tragédia dos incêndios

:: ACONTECIMENTO DO ANO – A TRAGÉDIA DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS :: :: O Capeia Arraiana escolheu como Acontecimento do Ano 2017,a calamidade dos incêndios que tiveram uma dimensão trágica. Pelo menos 115 pessoas morreram em fogos florestais, com expressão maior em Pedrógão Grande, onde a calamidade começou. O concelho do Sabugal não ficou livre desta desgraça, tendo-se registado a morte de uma pessoa no Terreiro das Bruxas, quando lutava contra as chamas.

Tragédia dos incêndios nas Televisões - José Carlos Mendes - Capeia Arraiana

Tragédia dos incêndios

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Os incêndios florestais (2)

Os incêndios florestais são uma inevitabilidade, isto é, acontecerão sempre. O problema é a dimensão que os mesmos podem atingir e, aí, muito se pode e deve fazer.

Incêndios Florestais - Ramiro Matos - Capeia Arraiana

Incêndio Florestal de Pedrógão Grande

Fogos florestais já são motivo de preocupação

A necessidade de alertar as populações para o perigo de incêndio no verão que se aproxima levou a GNR, através do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) a executar um programa de prevenção que passa por diversas sessões de esclarecimento, que também passam pelo concelho do Sabugal.

A principal preocupação é com a necessidade de limpar os terrenos em redor de casas isoladas e de povoações envolvidas por floresta ou por mato.
O Comando Territorial da GNR da Guarda está já no terreno para esclarecer os principais factores ligados à prevenção de incêndios florestais e à defesa da floresta. As acções fazem-se no quadro do Plano Distrital de Prevenção relativo a aglomerados populacionais, edificações isoladas e perímetros florestais.
O SEPNA está a proceder ao levantamento das situações de maior risco, de modo a alertar para a necessidade de uma intervenção urgente. Ao mesmo tempo os homens da GNR estão já no terreno a exercer também a acção fiscalizadora, verificando as situações de flagrante incumprimento da legislação em vigor.
Entre Janeiro e Maio deste ano, o SEPNA levantou 29 autos a particulares que não procederam à limpeza dos terrenos, salientou o tenente-coronel Silva Lourenço à Lusa, acrescentando que houve ainda outros casos detectados que foram «relatados e enviados à entidade administrativa competente» para que sejam accionados os mecanismos legais que conduzam à eventual aplicação de coima.
«Há casos em todos os concelhos do distrito da Guarda», disse ainda o responsável da GNR.
Uma primeira acção foi efectuada em Aldeia de Santo António, concelho do Sabugal, no dia 19 de Maio, onde foram explicados procedimentos mais comuns, como em situações de incumprimento de limpeza de terrenos, investigação de incêndio, recolha de água para análise e fiscalização de pescadores na albufeira da barragem da Senhora da Graça, no Sabugal.
O SEPNA da Guarda dispõe de um total de 47 homens, que será em breve reforçado com mais dois elementos.
Na área de competência do SEPNA da Guarda incluem-se os Parques Naturais da Serra da Estrela e do Douro Internacional e a Reserva Natural da Serra da Malcata.
No concelho do Sabugal o SEPNA tem ainda agendadas outras acções de sensibilização durante as próximas semanas. As sessões ainda previstas acontecerão às 21h00, nas Juntas de Freguesias de Fóios (a 26 de Maio), Águas Belas (a 2 de Junho), Casteleiro (a 9 de Junho) e Nave (a 16 de Junho).
plb

GNR preocupada com incêndios e sinistralidade

O Comandante Territorial da GNR da Guarda, coronel José Manuel Monteiro Antunes, divulgou um comunicado onde dá conta das acções implementadas com o objectivo de atingir uma diminuição dos fogos florestais e da sinistralidade rodoviária no distrito.

Coronel Monteiro Antunes - GNR - GuardaNo referente aos incêndios florestais, destacam-se acções preventivas como as Primeiras Jornadas sobre «Preservação de Recursos Hidricos e Florestais» e a 65 acções de esclarecimento e sensibilização das populações em todo o distrito (entre Outubro de 2009 e Maio de 2010).
É conferida expressão especial às três semanas de esclarecimento, levadas a efeito entre os dias 12 e 30 do de Julho em diversas freguesias do Concelho do Sabugal, «um trabalho de parceria que envolveu a GNR, os Bombeiros Voluntários e a Camara Municipal, num esforço suplementar para que se tente evitar que se repita no corrente a dimensão dos fogos florestais naquele Concelho em 2009».
Por outro lado, adianta o comunicado, o Comando Territorial desencadeou acções de fiscalização, «visando comportamentos reveladores de desrespeito de normas legais, nomeadamente no que respeita à obrigatoriedade de limpeza de matos», tendo como resultado a elaboração de 550 autos de contra-ordenação desde o início do ano .
«Sublinhe-se o facto de o Comando Territorial ter definido, na semana transacta (de 2 a 8 de Agosto), como actividade prioritária em todo o Distrito, a fiscalização de tapa-chamas e de extintores em máquinas agricolas, de fogueiras e queimadas, e de limpeza de mato em volta de povoações, de edificações dispersas e da rede viária, tendo executado 82 acções de fiscalização que resultaram no levantamento de 33 autos de contra-ordenação», sublinha o comandante.
Ainda no âmbito da intensa actividade preventiva, a GNR empenhou-se na implementação, em todo o distrito, de 17 postos de vigia, na criação um dispositivo de vigilância móvel em todo o Distrito, em acções de vigilância de individuos já identificados como autores de fogos florestais e de outros que se tornaram suspeitos.
«Por fim, apraz registar, com agrado, a colaboração que cidadãos anónimos vêm prestando às acções de vigilância e de investigação em curso, revelando que a segurança de pessoas e bens e, neste caso particular, a tarefa de preservação da floresta (riqueza inestimável para as gesrações futuras) depende de todos».
O comunicado também dá conta da preocupação da GNR com a sinistralidade rodoviária, dado o habitual acréscimo de acidentes no período de Verão. «Os números falam por si: nos sete primeiros meses do ano (de Janeiro a Julho) foram registadas em todo o distrito 5 vitimas mortais, mas bastou a primeira semana de Agosto para, lamentavelmente, se registarem 3 mortes».
Face a esta crua realidade o Comando Territorial irá desenvolver acções de fiscalização nas zonas de maiores fluxos de trânsito, para prevenir e reprimir os comportamentos que potenciam o aumento da sinistralidade, «nomeadamente a condução sob o efeito do álcool e de estupefacientes, o excesso de velocidade, o uso de telemóvel durante a condução, a falta de uso do cinto de segurança, a falta de uso de capacete de protecção em veículos de 2 rodas e motos 4, as ultrapassagens irregulares, a não cedência de prioridade, a falta de inspecção e a falta de seguros dos veículos».
O coronel José Manuel Monteiro Antunes termina o seu comunicado sobre os incêndios e a sinistralidade rodoviária com um apelo: «Contamos com todos para preservar o ambiente e a natureza e para que se evitem os acidentes e as suas trágicas consequências no nosso Distrito».
plb