Militares do posto da Guarda Nacional Republicana de Mêda, detiveram, na passada sexta-feira, dia 23 de Setembro, uma mulher de 56 anos de idade, suspeita da prática de um crime de incêndio que deflagrou na floresta circundante à sua residência, sita na localidade Ranhados, concelho de Mêda.

A suspeita, doméstica de profissão, foi pelas 15 horas, surpreendida por um militar da GNR, que estava nas proximidades a vigiar aquela zona, pelo facto de ali anteriormente terem ocorrido 35 ignições desde o inicio do presente ano.
A detida justificou os seus actos, alegando que eram para afastar os «bichos» (animais selvagens), com medo que entrassem na sua residência.
Conforme legislação vigente, a suspeita foi entregue à Policia Judiciária da Guarda, que por sua vez a apresentou no dia seguinte, no Tribunal Judicial de Turno, tendo-lhe sido aplicada como medida de coação a apresentação duas vezes por semana no Posto Territorial local.
No mesmo dia, o Núcleo de Protecção Ambiental do Destacamento Territoriais de Vilar Formoso, deteve um indivíduo de 32 anos idade, também indiciado pela prática de um crime de incêndio, que deflagrou em floresta, próximo da localidade de Algodres, concelho de Figueira de Castelo Rodrigo.
A patrulha, que se encontrava naquela zona com a missão prioritária de vigilância e defesa da floresta contra incêndios, ao avistar o foco de incêndio, alertou os bombeiros e deslocou-se de imediato para o local, tendo verificado que o suspeito, pastor de profissão, quando já em retirada, circulava num caminho rural, que dá acesso ao sinistro, ao avistar a mesma, abandonou à presa o seu ciclomotor pondo-se em fuga, vindo de seguida a ser detido e a confessar a autoria do ilícito criminal.
Os factos, motivados por interesse do indivíduo em renovação das pastagens, ocorreram pelas 20h15 horas do mesmo dia e o fogo só não produziu danos de valor mais elevado devido à rápida intervenção dos militares da GNR e Bombeiros, sendo que a vegetação era composta por pasto, existindo azinheiras e uma considerável mancha florestal nas proximidades.
O detido, natural de Figueira de Castelo Rodrigo, foi entregue à Policia Judiciária da Guarda, que o apresentou no Tribunal Judicial de Turno da Guarda, tendo-lhe sido aplicado como medida de coação a apresentação semanal no Posto da área de sua residência.
plb