Tag Archives: aves

GNR - © Capeia Arraiana (orelha)

GNR apreende roupa falsa e resgata aves

A Guarda Nacional Republicana apreendeu 600 peças de roupa contrafeita nos mercados de Pínzio e da Mêda, tendo também resgatado 125 aves na fronteira de Vilar Formoso.

Apreensão nos mercados mensais

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Aves da nossa terra – a perdiz

De todas as aves desta zona, a perdiz é uma ave especial, não só pelo tamanho mas também por ser a matéria prima de uma actividade milenar dos humanos: a caça. O homem sempre caçou e continua a caçar. Primeiro por necessidade e depois por diversão.

Perdiz vermelha

Perdiz vermelha

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Aves da nossa terra – majengra

O nome por que se conhece é esquisito mas é assim que as pessoas lhe chamam. Claro que vamos conhecer a majengra averiguando com se comporta o Chapim.

A majengra (chapim)

A majengra (chapim)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Aves das nossas terras – o pardal

Vários são os ditos populares em que os pardais entram: Pelo natal tenha o alho bico de pardal – para os alhos. Todos comem trigo, mas quem paga é o pardal – de forma genérica.

Pardal Doméstico Pardal Montês
Pardal Doméstico Pardal Montês

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Aves das nossas terras – A rola

A rola comum, em conjunto com as andorinhas, o cuco e a popa são quatro aves que, com a sua presença e o seu canto, acabam por convencer os mais incrédulos que a primavera chegou novo.

A rola comum

A rola comum

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

Aves das nossas terras – O Melro

«Quando o melro canta em Janeiro, temos seca o ano inteiro» – é um ditado popular que traduz um tempo mais quente em Janeiro e que acaba por conduzir a que tendo menos chuvas tenhamos piores colheitas.

O Melro (macho)

O Melro (macho)

Libertadas três aves selvagens no distrito da Guarda

Foram libertadas, no dia 29 de Agosto, três aves selvagens depois de terem sido recuperadas pelo CERVAS (Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens) no Parque Natural da Serra da Estrela em Gouveia.

Milhafre-Preto - Cegonha-Branca e Bufo-RealUm milhafre-preto, uma cegonha-branca e um bufo-real foram libertados no dia 29 de Agosto em três localidades do distrito da Guarda depois de terem sido recuperados pelo CERVAS.
O bufo-real (Bubo bubo), ave de rapina nocturna, foi encontrado preso numa vedação de arame farpado pendurado por uma das asas e esteve em recuperação desde 4 de Maio. Ganhou de novo as asas da liberdade em cerimónia pública na localidade de Naves, no concelho de Almeida.
O milhafre-preto (Milvus migrans) foi libertado numa acção de sensibilização ambiental, perante cerca de 100 pessoas, no Estabelecimento Prisional da Guarda.
A cegonha-branca (Ciconia ciconia) recolhida «num estado de grande debilidade, foi tratada com sucesso durante dois meses no nosso Centro e libertada, agora, em Aldeia Viçosa», explica o comunicado do CERVAS.
«Há, actualmente, mais de 50 animais em recuperação no CERVAS tendo o número de ingressos em oito meses de 2008 triplicado em relação ao ano de 2007. Recebemos, até ao momento, 250 indivíduos de diversas espécies e a taxa de recuperação ronda os 50 por cento. Recuperamos animais selvagens feridos ou debilitados, apoiamos e realizamos trabalhos de monitorização ecológica e sanitária das populações de animais selvagens e promovemos a sensibilização ambiental», acrescenta ainda o Centro.

Excelentes iniciativas públicas de libertação de aves selvagens recuperadas em cativeiro.
jcl