Entre o mau e o péssimo

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

«Deus guarde Vossa Majestade!», disse a velhinha ao Rei. Este perguntou-lhe porque o saudava daquela maneira, se o Povo o detestava tanto? «Majestade, vosso avô era mau, vosso pai ainda pior, e vós pior do que eles os dois juntos, portanto Deus vos guarde por cá muito tempo, não venha outro ainda pior.»

a Democracia, também espera pela Primavera...

A Democracia também espera pela Primavera…

.
Renunciar à Liberdade é renunciar à qualidade de Homem…

Vou começar o artigo com umas palavras escritas por Miguel Sousa Tavares no semanário «Expresso», de 8 de Fevereiro de 2020: «A Democracia já não é o governo dos melhores dos mais bem preparados, dos que sabem escutar e aprender (…)»

Querido(a) leitor(a), em Democracia também ficamos sem alternativa, não é só em ditadura; ou o mau ou o péssimo… O que fazer num caso destes? O que lhe ditar a consciência, ou vota no mau ou no péssimo, ou não vota em nenhum, mas convém sempre ir às urnas, assim respeitamos a Democracia e a Liberdade, mesmo que o voto vá em branco. Quando se chega a um ponto destes, é a degradação da Democracia! E sabe querido(a) leitor(a) como começa, ou já começou a degradação da Democracia?

1.º Governar para certos e determinados grupos da sociedade, para aqueles sectores a quem se deve o poder… Compra de votos e favores políticos.

2.º Trair constantemente os princípios e as promessas que os levaram ao poder, isto é falta de ética politica… Mentir.

3.º Premiar os «fiéis», humilhar e punir os que pensam, aqueles e aquelas a quem eles, governantes, chamam opositores… Falta de Humanismo.

Renunciar à Liberdade é renunciar à qualidade de Homem, lutemos então (os que quiserem) pela nossa Liberdade, pela nossa Dignidade, quarenta e seis anos pós 25 de Abril de 1974…

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

2 Responses to Entre o mau e o péssimo

  1. António Emídio diz:

    Um Bem – Haja por ter lido o meu artigo. Quero simplesmente dizer que o que aqui está escrito neste artigo passa-se com muita mais frequência no interior do País, longe do Governo Central e da comunicação social, onde a maior parte das pessoas são dependentes do Poder Local.

    Um imenso Bem – Haja

    António Emídio

Deixar uma resposta