Nota do Bispo da Guarda sobre o Coronavírus

coronavírus - 180x135 - capeia arraiana

A Diocese da Guarda difundiu uma Nota Episcopal assinada por D. Manuel Felício intitulada «O nosso dever de colaborar no combate ao Coronavírus (Covid-19)». Entre as recomendações e orientações destaque para a suspensão das missas à semana e ao domingo, suspensão das aulas de catequese, o pedido de adiamento de baptizados e matrimónios, exéquias fúnebres apenas para familiares mais próximos e suspensão de procissões. Aqui ficam, na íntegra, as recomendações do Bispo da Guarda…

D. Manuel Felício, Bispo da Guarda (Foto: D.R.)

D. Manuel Felício, Bispo da Guarda (Foto: D.R.)

.
O nosso dever de colaborar no combate ao Coronavirus (COVID-19)

Estamos confrontados com o fenómeno do Coronavirus-2019, que a Organização Mundial de Saúde já designou como pandemia. Também informou que esta será a primeira pandemia da história que é possível ser controlada.

A Direcção-Geral de Saúde, em Portugal, entre outras, deu as seguintes orientações: Lavar as mãos com frequência, utilizando qualquer desinfetante antes e depois da refeições, antes e depois de ir ao WC; ao tossir, tapar a boca com alguma proteção (braço ou lenço de papel), evitar tocar com as mãos na boca, nariz ou olhos, beber muita água.

A Conferência Episcopal Portuguesa já recomendou as seguintes medidas: Comunhão na mão para os fiéis em geral, comunhão por intinção para os concelebrantes, omissão do gesto de paz, ausência de água benta à entrada das Igrejas.

Algumas dioceses já tornaram públicas orientações sobre catequese, celebrações dominicais e outras, visitas a hospitais, lares e a pessoas idosas, recomendando sempre atenção a normas emanadas dos serviços públicos relacionados com a saúde e a segurança.

O Governo do País mandou encerrar as escolas, incluindo jardins de infância, a partir da próxima segunda–feira, além de impor outras restrições quanto a ajuntamentos de pessoas e utilização de espaços públicos.

Nós recomendamos, para além das orientações já anteriormente dadas sobre a Celebração da Penitência neste Tempo da Quaresma, que até ao fim deste mês de março, se sigam as seguintes orientações:

1 – Suspensão das sessões de catequese;

2 – Suspensão das Celebrações Eucarísticas, à semana e ao domingo;

3 – Outras celebrações, como batizados e matrimónios, quanto possível, sejam adiadas; se necessárias e só com celebração da Palavra, sejam breves e simples, com número restrito de participantes;

4 – Nas exéquias, evitem-se os velórios abertos ao público, haja celebração da Palavra mais breve e simples, sem distribuição da Sagrada Comunhão e, quanto possível, com exclusiva participação de familiares e pessoas mais próximas; evitem-se os cortejos fúnebres a pé e prolongados, devendo as urnas permanecer sempre fechadas, desde o velório à última encomendação;

5 – Suspensão de todas as manifestações públicas de piedade popular, como sejam procissões e via-sacras;

6 – Contenção nas visitas a lares e hospitais, nomeadamente seguindo as orientações definidas em cada instituição.

Notas

1 – Apesar da pandemia, que todos estamos empenhados em ajudar a controlar com estas e outras medidas, a vida não se interrompe e a vivência da Fé continua, nomeadamente nas nossas famílias, que são a primeira expressão de Igreja (Igreja doméstica) e na vida de cada um. Recomenda-se, por isso, que, sobretudo o Domingo seja assinalado por cada um e cada família, na partilha da Palavra de Deus e na oração e que a catequese também se continue a fazer em cada família.

2 – Aos sacerdotes, devendo celebrar em privado, pede-se que estejam disponíveis e o mais contactáveis possível para atenderem pedidos de emergência, sobretudo pessoas especialmente vulneráveis, quer física quer espiritualmente, que nos queiram contactar; as Igrejas que habitualmente estão abertas, assim permaneçam para as pessoas fazerem oração pessoal.

Daqui por alguns dias, reavaliaremos a situação e, se houver dados novos, comunicá-los-emos aos Reverendíssimos Padres e Diáconos, para estes informarem as suas comunidades.

Rezemos todos a Deus Nosso Pai para que afaste de nós as doenças e a todos conceda o dom da saúde e da serenidade.

Guarda, 13.3.2020

+Manuel R. Felício, Bispo da Guarda

jcl (com jornal A Guarda)

Deixar uma resposta