Linha da Beira Baixa pronta no final de 2020

CP-Comboios - © Capeia Arraiana

O diretor de Empreendimentos da Infraestruturas de Portugal (IP), José Clemente, revelou nas «Conferências da Guarda» que as obras no troço da Linha da Beira Baixa, entre a Guarda e a Covilhã, estarão concluídas no final deste ano e em Janeiro de 2021 terão início as operações de transporte de passageiros e de mercadorias. A novidade é a construção de uma nova linha na zona dos Galegos a cerca de um quilómetro da estação da Guarda que encaminhará os comboios directamente para Espanha.

.
Na passada quinta-feira, 20 de Fevereiro, em mais uma sessão das «Conferências da Guarda», José Clemente, diretor de Empreendimentos da Infraestruturas de Portugal (IP), esclareceu que a concordância da Beira Alta com a Beira Baixa na zona dos Galegos «não afectará os comboios de passageiros» acrescentando que «tem basicamente a ver com o transporte de mercadorias, pois permitirá que os comboios que venham da Beira Baixa não tenham que vir à Guarda para depois fazer o movimento para ir para Espanha».

«Após a conclusão das obras, a Infraestruturas de Portugal tem que realizar ensaios para verificar se está tudo em conformidade para certificar a linha em termos europeus. A partir daí, cabe ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) dar autorização para circulação. Isso deve acontecer no último trimestre deste ano», declarou o responsável da IP esclarecendo ainda que «os atrasos na renovação da linha que devia estar concluída há um ano ficaram a dever-se deficiências e desconhecimentos do projecto, que teve que ser actualizado dado o estado de degradação da linha, porque esteve fechada dez anos e não estava completamente visível».

Na sua intervenção nas Conferências da Guarda, José Clemente, confirmou que o futuro terminal de mercadorias na Estação da Guarda só vai avançar após a conclusão das obras de modernização da Linha da Beira Alta. «Vamos precisar desse terreno para depositar materiais inerentes à empreitada. Só depois será lançado novo concurso, o que está previsto, supostamente, para finais de 2023. Nessa altura o terminal terá um enorme potencial, pois vamos aumentar a capacidade de transporte de mercadorias pela Beira Alta e a Guarda passa a ser muito interessante para os operadores e transitários», garantiu o representante da IP.

Obras na linha da Beira Baixa entre a Guarda e a Covilhã

Obras na linha da Beira Baixa entre a Guarda e a Covilhã

.
Concurso para a renovação do subtroço Cerdeira-Vilar Formoso

Foi publicado em Diário da República, no dia 20 de Fevereiro, o concurso da empreitada de modernização do subtroço Cerdeira/Vilar Formoso, da Linha da Beira Alta. Com 25 quilómetros de extensão e um investimento estimado em 50 milhões de euros, esta obra será desenvolvida no âmbito do Programa Ferrovia2020, complementando a intervenção de renovação já em curso do subtroço entre a Guarda e Cerdeira.

Com um prazo de execução de 729 dias, a empreitada envolverá a realização dos seguintes trabalhos:

– Renovação Integral de Via entre Cerdeira e Vilar Formoso;

– Construção de plataformas de passageiros com 200 metros de extensão em Estações/Apeadeiros para serviços Internacional/Intercidades e com 100m de extensão para serviço regional;

– Alteamento das plataformas à cota de 0,760m;

– Remodelação dos layouts das Estações de Cerdeira, Noémi e Vilar Formoso com o respectivo aumento dos comprimentos úteis das linhas principais para recepção de comboios de mercadorias de 750 metros e optimização das condições de exploração;

– Construção de Infraestruturas de apoio à Sinalização e Telecomunicações;

– Execução de novas redes de Drenagens;

– Implementação do sistema de Retorno de Corrente de Tração + Terras de Proteção (RCT+TP);

– Criação de vias variantes ao traçado atual que permitam a redução de pendentes e o aumento de velocidade de circulação;

– Construção de Obras de Arte;

– Trabalho de estabilização de taludes.

A Modernização do troço entre Guarda/Vilar Formoso, com 41 quilómetros e onde se integra o troço Cerdeira/Vilar Formoso, será realizada em duas fases distintas. A primeira fase corresponde à intervenção já em curso e que incide na renovação integral do subtroço da Guarda/Cerdeira, com 16 quilómetros de extensão, e a segunda fase relativa à empreitada agora a concurso.

O conjunto destas duas empreitadas representa um investimento estimado de cerca de 58,7 milhões de euros. Estes são investimentos de elevada importância na requalificação do caminho-de-ferro em Portugal, num troço que integra o Corredor Internacional Norte, e cuja concretização potenciará a dinamização do transporte ferroviário nas ligações inter-regionais e na ligação a Espanha.

A empreitada de “Modernização do Subtroço Cerdeira – Vilar Formoso – Trabalhos de Via, Catenária, Obras de Contenção, Caminho de Cabos e RCT+TP” integra a Ação 2015-PT-TM-0395-M – Ligação Ferroviária Aveiro-Vilar Formoso no Corredor Atlântico: Linha da Beira Alta (Pampilhosa-Vilar Formoso), foi aprovada ao abrigo do Programa CEF (Mecanismo Interligar a Europa) com uma taxa de cofinanciamento de 85%.

jcl (com agência Lusa)

Deixar uma resposta