Ortodoxia Económica

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

O que é a Democracia pura e verdadeira? Ninguém tem, nem terá jamais a verdade absoluta para a resposta, mas isso não invalida a luta para a defesa da Democracia. E qual a razão da Democracia estar rodeada de inimigos neste actual momento histórico? Aqui há uma resposta…

Ortodoxia Económica

Ortodoxia Económica

É a crise social que está a afectar a vida e o bem-estar das classes populares e médias a nível mundial. O nível de vida destas classes é menor presentemente do que antes da crise de 2008, originando isto um perigoso movimento anti-classe politica e anti-Democracia.

A Democracia como corrente política e ideológica não é culpada do surgir de movimentos que a nível mundial a têm como alvo a abater, os culpados vamos encontrá-los nos Neoliberais, para quem a Democracia sempre foi, e continua a ser, uma fonte de corrupção, de riqueza e de poder. Estes Neoliberais quando estão no poder optam por politicas públicas que só provocam pobreza e revolta nas classes populares e médias, vejamos o caso do Chile, o porta voz da Assembleia de Estudantes do Ensino Secundário Chileno, Vitor Chanfreau,com apenas 17 anos teve estas palavras: «O Neoliberalismo nasceu no Chile e morrerá no Chile.»

O Neoliberalismo económico foi arquitectado por Milton Friedman, economista da Escola de Chicago, a experiência dessa vertente económica foi feita no Chile de Pinochet depois de ser derrubado e morto o verdadeiro Presidente eleito nas urnas, Salvador Allende, foi derrubado pelo exército comandado por um dos maiores ditadores corruptos que já teve a História da América Latina, Augusto Pinochet. Presentemente os jovens chilenos estão em luta para ser modificada a Constituição e a Economia chilenas, vindas do tempo da ditadura militar.

Será que por acaso esses populistas e Extremistas de Direita tomassem o poder a nível mundial a economia seria diferente? Não, querido(a) leitor(a), seria a mesma coisa, a Ortodoxia Económica a que estamos habituados desde 2008, mas elevada ainda a um patamar superior, talvez como na América Latina; o crédito mal parado continuaria a expandir-se, os salários das classes populares e médias continuariam a diminuir, a protecção social possivelmente desapareceria e os sindicatos seriam combatidos como fez a inglesa Margareth Thatcher enquanto governou.

Tanto os Neoliberais como os Populistas e Extremistas de Direita pertencem ao mesmo partido – Wall Street Party.

Porque procuramos tantas vezes as causas dos problemas políticos e económicos na profundidade, se elas estão à superfície?

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta