Ténues tons de terapia

Fernando Capelo - Orelha - Capeia Arraiana - 180x135

Vão passando os dias, acossados por ruídos de mediatização muitas vezes violenta, algumas vezes inútil, excepcionalmente objetiva e isenta.

Atentado bombista no Paquistão

Chegam, em reboliço repetido, noticias de desastres naturais ou ocasionados pela ação louca de bombistas, pela incumbência ambiciosa de traficantes ou pela participação criminosa de outros tantos marginais empenhados em miseráveis atrocidades. Tudo pintado em tons trágicos porque as tragédias também podem ser lucrativas.

Ademais, vem-se assistindo à condenação do perdoável e ao indulto do indesculpável. O juízo ocorre, amiúde, em praça pública e tudo nos é desenhado nas raias do escândalo porque a balbúrdia também pode ser rentável.
Como mitigar, então, os efeitos avassaladores destes tsunamis (des)informativos?

Indigitaria, desde logo, leituras portentosas rotulando-as de essenciais.
Porém, sob forma de autoterapia, vou-me prestando à concepção de crónicas em cujo chão cultivo os silvos do vento, os cantares dos pássaros e das águas, os rumores das chuvas, a diversidade de cores, sabores e odores. E no seguimento desse artificio narrativo, logo após o almejo da fase basilar, quedo-me, absorto, na estruturação de uma escrita que me é prazerosa e que aspiro vir a submeter a eventuais leitores na esperança de que a considerem suficientemente saborosa e recreativa.

Bem sei que, este pôr de olhos no problema, pode configurar uma fuga ao principal quesito. Todavia, a ideia de externar tal conduta, vale como metáfora de objeção ao ruidoso caudal da actual comunicação social.
Confesso, assim, que entre as esperanças possíveis e as inevitáveis inquietações tento conter esta peleja mediática com se admitisse armistícios mas nunca rendições.

Por aqui me fico, pois, formulando um sincero desejo – que, se mais não for, pelo menos em ténues tons de terapia, consiga, o estimado leitor, suavizar a intoxicação dos média de hoje em dia.

:: ::
«Terras do Jarmelo», crónica de Fernando Capelo

Deixar uma resposta