Caciquismo

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

O Caciquismo é a designação de clientelismo político, influência política, corrupção eleitoral, compadrio, favor, cunha. Em Portugal, durante a segunda metade do século XIX, mas principalmente entre 1878 e 1890, com o Rotativismo acentuou-se ainda mais o Caciquismo.

Leitura obrigatória na Ciência Política: O Príncipe de Maquiavel

Leitura obrigatória na Ciência Política: O Príncipe de Maquiavel

Muito sucintamente, vejamos então o que eram os caciques desse período histórico. Um cacique fazia parte da Elite Regional, era um homem rico e poderoso, conseguia votos para um partido politico, e todo esse trabalho de angariação de votos traduzia-se num reforço da sua influência pessoal. Abaixo desse cacique Regional encontravam-se os pequenos caciques concelhios e das freguesias. O elo de ligação entre o cacique principal, ou seja, o Regional e o Governo Central, era o Governador Civil quando do mesmo partido. Era o Governador Civil que se encarregava de enviar ao Governo Central os pedidos e as necessidades das vilas e freguesias, e como não podia deixar de ser, as cunhas e os favores pessoais.

O Caciquismo surge, principalmente em Portugal, a partir da crescente intervenção do Estado na economia, muitas vezes os governos construíam estradas e infra-estruturas dispendiosas que serviam quase exclusivamente os caciques. Também se conseguiam votos através do estômago… nas vilas e aldeias muitas farras se fizeram com pão e vinho, bacalhau frito e, carneiro com batatas!

Dizia Oliveira Martins em 1886: «O cacique, ou influente, em Espanha e em Portugal, é quem – todo lo manda – numa determinada zona do terreno, numa freguesia, num concelho e num distrito.»

Cacique é palavra castelhana, o que poderá significar que o Caciquismo nasceu em Espanha.

Com a República, o Caciquismo não acabou, com a Democracia também não, mas aqui com matizes totalmente diferentes, embora acredite que existiram e ainda existem nos confins do País lacaios ignorantes e caciques ambiciosos…

Aconselhava-o a ler querido(a) leitor(a), um livro escrito por Vítor Matos intitulado «Predadores». Ficará a conhecer o que é o Caciquismo nos tempos que correm, como já referi, não tem nada a ver com o século XIX, nem com a República.

E o Estado Novo teve caciques? Não creio que se possa chamar caciques aos homens do Regime, aos homens filiados no partido único – União Nacional e depois Acção Nacional Popular – claro que o Governo Central tudo sabia e conhecia das necessidades das regiões, mas para isso tinha os seus Apparatchiks.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

Deixar uma resposta