Invasões Francesas (9)

António Gonçalves - Colaborador - Orelha - Capeia Arraiana

:: :: ALFAIATES :: :: Algumas aldeias raianas foram fustigadas pelos soldados napoleónicos entre julho de 1810 e abril/maio de 1812. Em julho de 1810, após a tomada de Almeida realizaram razias nas aldeias raianas; na retirada, em fevereiro ou março de 1811, entraram no concelho de Sabugal, vindos da Guarda, deixando um rasto de violência e destruição por onde passaram; em abril de 1812, quando da quarta invasão, as populações foram, mais uma vez, vítimas das barbaridades dos invasores. Muitos arquivos foram destruídos! Provavelmente não houve aldeia do concelho de Sabugal que não tivesse a “honra” de os receber!

Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Capitão Manuel Isidro da Paz, op. cit.; em: PT-TT-CF-212_m0118.TIF

A terceira invasão iniciou-se em 23 de julho de 1810. Os Registos Paroquiais, nos Assentos de Óbitos, deixaram-nos algumas informações preciosas sobre as atrocidades cometidas pelos soldados até meados de setembro, período em que permaneceram na região raiana.(48)

Muitos arquivos paroquiais desapareceram, dificultando a reconstituição dos acontecimentos, como demonstra o documento seguinte:

O pároco Encomendado, José Fernandes Sanches, escreveu a Anotação: “Como por ocasião da guerra e invasão dos inimigos Franceses pereceram os Livros em que se costumavão; actualmente restam somente dois, outro de Baptizados hum, de Casamentos outro quase findo, e este Livro de Óbitos que he este, nelle vou descrevendo os respectivos assentos …
O Encomendado José Fernandes Sanches “(49)

Muitos foram mortos pelos franceses e não tiveram direito a uma cerimónia fúnebre com dignidade.

“Desde os últimos dias de Julho de mil outo centos e dez que principiou a terrível invasão dos inimigos franceses nesta villa athe dezoito de Setembro do mesmo anno falecerão as seguintes pessoas humas de morte violenta e outras de morte natural”.(50)

Lista:

De dezoito de setembro a vinte de outubro morreram de peste dezasseis pessoas, sendo que mais de metade eram crianças. Neste mês as mortes devido a peste continuaram. Ou seja, depois da razia feita pelos soldados veio a fome e a peste que atingiu os grupos mais frágeis.(51)

O Encomendado José Fernandes Sanches foi recuperando a informação e fazendo os respetivos termos, como o caso seguinte:
“Domingos Esteves Jorge morreo de morte às mãos dos inimigos no princípio de setembro de mil outo centos e dez e sua mulher Rita Antunes morreo a outo de outubro do mesmo anno não fizeram testamento. Elle foi sepultado na montanha, e ella na Matriz. Do que fiz este termo, que assigno.
O Encomendado Fernandes Sanches”(52)

Quarta invasão:
“Maria Carilha de idade de cincoenta anos cazada com Francisco Rodrigues Pais naturais desta freguezia de Alfaiates, orago de S. Thiago Maior, Bispado de Pinhel, morreo no mês de Abril em hum campo, na quinta do Monteiro, Bispado da Guarda, morreo sem sacramentos por causa da invasão dos Franceses, esta tinha sido confessada e sacramentada em sua caza por huma febre lenta eu mesmo nos últimos dias de Março deste anno de mil outocentos e doze e faleceo no de Abril da mesma era eu me informei com Bernardo Rodrigues que ajudou a enterrar a dita defunta. E por ser verdade fiz este que assino. 2 de Abril de 1812.
O Cura Encomendado João António Rodrigues Barrocas”(53)

:: ::
«Memórias de Sortelha», por António Augusto Gonçalves

Notas:
48- Mourão, Manuel Francisco Veiga Gouveia; Martins, Joaquim Tenreira e Batista, Paulo Leitão “Sabugal e as Invasões Francesas”, Orfeu, 2011, pp. 124 e 125.
49- Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Paróquia de Alfaiates, Livro de Registos de Óbitos, consultável em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG07-003-O3_m0160.tif.
50- Idem, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG07-003-O3_m0161.tif.
51- Idem.
52- Idem, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG07-003-O3_m0162.tif.
53- Idem, em: PT-ADLSB-PRQ-PSBG07-003-O3_m0166.tif.

Deixar uma resposta