Estrada Nacional 233 entre o Sabugal e a Guarda

António Emídio - Passeio pelo Côa - © Capeia Arraiana

Querido(a) leitor(a), hoje vou desviar-me um pouco dos temas que habitualmente compõem os meus artigos. Vou escrever sobre uma estrada que é uma armadilha para quem nela transita, a Estrada Nacional 233 que vai do Sabugal à Guarda.

Estrada Nacional 233 (sem condições de segurança rodoviária) liga duas sedes de concelho, o Sabugal e a Guarda

Estrada Nacional 233 (sem condições de segurança rodoviária) liga duas sedes de concelho, o Sabugal e a Guarda

Todos nós sabemos que as vias de comunicação são talvez os elementos mais importantes para o desenvolvimento económico, e não só, de uma região. Mas ao ser construída uma via de comunicação, neste caso uma estrada, é preciso ter em conta uma série de características que vão acompanhando o seu traçado, garantindo assim que essa via de comunicação seja segura para o trânsito que nela circula, anulando todas as zonas consideradas perigosas que possam provocar acidentes.

Acontece que a Estrada Nacional 233 que vai do Sabugal à Guarda é toda ela uma zona perigosa, principalmente pela estreiteza da sua faixa de rodagem e pelo seu traçado, uma quantidade infinita de curvas e contra-curvas. A última vez que passei nessa estrada apanhei alguns sustos porque também tive de conduzir durante a noite. Um autêntico malabarismo, sinais de trânsito quase de quilómetro a quilómetro mandam reduzir a velocidade, poucas zonas propícias a ultrapassagens, como já referi, a estreiteza da faixa de rodagem obriga a uma velocidade mais que moderada, algumas pontes, ou mesmo todas, não permitem a passagem de dois carros, camiões é impossível que passem dois ao mesmo tempo, há muitas povoações à beira da estrada, sendo assim, muitos semáforos obrigando a reduzir a velocidade e até a parar, e se isto não bastasse, a GNR costuma também andar por lá…

Sempre considerei esta estrada, pelo seu traçado, uma estrada própria para rallyes.

Como é possível, que com este tipo de vias de comunicação, haja empresas se queiram instalar por estes sítios?

O Poder Central também é culpado deste total abandono, dá a impressão que ainda não se convenceu que o Atlântico foi a partida para o Império, foi do litoral que partiram as caravelas. Agora, a passagem para a União Europeia, para o progresso e desenvolvimento, é através de todo o território nacional.

:: ::
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

2 Responses to Estrada Nacional 233 entre o Sabugal e a Guarda

  1. João Manuel Manso Dias diz:

    Para quando o alargamento das pontes, já no mandato anterior o Sr. Presidente da Câmara do Sabugal referiu várias vezes, em Assembleias Municipais, que existiam dois milhões de Euros para essas melhorias.

  2. Sérgio Martins diz:

    É triste querer desenvolver um concelho como o o do Sabugal e estar limitado nos acessos rodoviários, sobretudo na ligação à capital de distrito e às pricipais vias rodoviárias da nossa zona, A23 e A25. Este troço de estrada já devia ter sido requalificado à muitos anos, como aconteceu por exemplo entre a Guarda e Pinhel. A quantidade de veiculos, ligeiros e pesados, que passam nesta estrada é enorme, já merecíamos um acesso à altura do nosso concelho!

Deixar uma resposta