História Breve – O Raúl

Franklim Costa Braga - Capeia Arraiana

O Raul, filho da Ti Sansão do Tonhinho, que tinha vacas a meias com o António Mocho, à falta de quem andava normalmente com as vacas, vai dar a jeira ao Lourenço Meneiro, sobrinho da Telvina Meneira, que morreu ou mataram em terras de Espanha, onde vivia havia muitos anos com a ocupação de pastor.

Santa Eufêmia em Quadrazais - Capeia Arraiana

Santa Eufêmia em Quadrazais

Estranhando ver que se limpava tudo na casa da Meneira, a Creuza, que passava por ali, dirige-se à mulher do Rambóia que estava nas escaleiras do Lourenço a fragar os talheres, contratada nesse dia:
– Como está a fragar tudo?!
Responde-lhe a Gijê Retinhê:
– Tenho cá uma jeirê e é com o filho da ti Sansão, que é mais senhorito!

A quadrazenha, quando contratava alguém por dia a quem teria de dar almoço, como era o caso da costureira ou das jeiras, esmerava-se em receber bem os contratados para que não fossem contar a terceiros que haviam sido mal recebidos. E quando o contratado era senhorito, isto é, menos sapatranca, com melhores maneiras, o esmero era ainda maior, a ponto de esfregarem
todos os talheres e a própria casa, ainda que tivessem de carregar o burro com andilhês para transportar os cântaros de água necessários e ajoelhar-se na tacoilê. Este acto era normal em vésperas da festa de Santa Eufêmia.

Notas:
Andilhas -dispositivo em madeira ou ferro onde colocavam os cântaros no dorso do animal.
Fragar -esfregar.
Gijê -Luísa.
Jeira -trabalho de um dia com vacas.
Sansão -Ascensão.
Sapatranca -indivíduo sem maneiras.
Tacoila -espécie de banco sem pernas.
Telvina -Etelvina.

:: ::
«Lembrando o que é nosso», por Franklim Costa Braga

Deixar uma resposta