O candidato Alberto Martins Luís apresenta-se

Autárquicas 2017 - Capeia Arraiana

O candidato assumido à presidência da Câmara Municipal do Sabugal nas próximas eleições autárquicas de Outubro de 2017, Alberto Martins Luís (Alberto Paché), enviou ao Capeia Arraiana com pedido de publicação a sua apresentação pessoal.

Alberto Martins Luís (Alberto Pachê) - Autárquicas 2017 - Capeia Arraiana

Alberto Martins Luís (Alberto Pachê) – Candidato independente à Presidência da Câmara Municipal do Sabugal

ALBERTO MARTINS LUÍS (ALBERTO PACHÉ)

O CANDIDATO
Nascido a 3 de março de 1954 na aldeia raiana de Vale de Espinho, Alberto Pachê é o quarto filho de uma família rural. Os pais quiseram que estudasse e por isso o enviaram para a cidade da Guarda, em cujo Liceu Nacional concluiu os estudos secundários. Em 1972, tinha então 18 anos, migrava para Lisboa para se iniciar no Instituto Nacional de Estatística, Seção de Agricultura e mais tarde na Seção Industrial. Aos 27 anos abraçou a vida de professor a lecionar psicologia, sociologia e filosofia em escolas secundárias da capital e da província. Desse período guarda gratas recordações que o acompanharão pela vida fora. O tempo presente é ocupado com a direção da Casa do Concelho em Lisboa, num mandato que está prestes a terminar e que deseja seja continuado por outros, prestigiando a Diáspora dos sabugalenses. E como tem o dom de “esticar” o tempo, ainda leciona, em regime de voluntariado, as disciplinas de filosofia e psicologia na Universidade Sénior do Cartaxo. É uma experiência nova para gente mais velha que muito aprecia e sobre a qual nunca se cansa de falar.

NOVAS IDEIAS EXIGEM NOVOS PROTAGONISTAS
Como qualquer outro emigrante, acha que há sempre um tempo para regressar, que chegou o tempo de novos desafios e de continuar a ser útil ao seu concelho, agora dentro do próprio concelho para cujas vicissitudes nunca deixou de dar atenção.
É tempo de mudar, como diz o nosso povo “quem muda, Deus ajuda”!
São precisas novas ideias que também exigem novos protagonistas. Grande parte do território do concelho encontra-se subaproveitado e caminha a passos largos para o despovoamento e para a desertificação. A falta de uma política local capaz de encarar o município, como um território com potencial para se desenvolver tem gerado desequilíbrios assinaláveis em todos os setores da vida social e económica. É imperioso inverter esta tendência e estas diretrizes, com coragem, para que as assimetrias inter-regionais se esbatam e criem novas espectativas aos munícipes que continuam a acreditar nas potencialidades do interior. O Sabugal tem recursos e sinergias endógenas que bem geridas criam emprego e trazem bem-estar às populações.
Esta candidatura é de todos aqueles que defendem um novo paradigma para o concelho do Sabugal e acreditam que é possível mudar e enfrentar o futuro com realismo e com novos protagonistas.

MEDIDAS A IMPLEMENTAR
Eis algumas das medidas que nos propomos implementar:
Fazer uma presidência de Porta Aberta e abrir a autarquia aos cidadãos.
Criação de um Gabinete de Apoio ao Cidadão em ligação direta com o presidente da Câmara.
Promover uma reflorestação e desmatação sustentada de áreas geográficas de dimensão significativa no concelho e simultaneamente criar uma estratégia de defesa contra o fogo (o município foi dos que mais ardeu nas últimas décadas)
Promover uma aposta forte nos setores agropecuário e no turismo.
Apoiar de forma excecional a natalidade.
Promover o investimento no concelho com incentivos, nomeadamente forte redução dos impostos para criação de emprego e admissão de trabalhadores com mais de 42 anos de idade.
A seu tempo apresentaremos outras medidas.
NÃO VAMOS CRUZAR OS BRAÇOS
Alberto Martins Luís (Alberto Paché)
:: ::
A Administração do Capeia Arraiana decidiu dar espaço aos candidatos autárquicos para aqui apresentarem as suas opiniões e propostas para o futuro do concelho do Sabugal. Para tanto deverão remeter os textos para o e-mail capeiaarraiana@gmail.com eventualmente acompanhado de imagens.
Advertimos contudo que reservamos o direito de não publicar textos com conteúdo ofensivo ou que claramente extravasem a opinião, a análise e a apresentação de propostas, nomeadamente quando sejam meras peças de campanha eleitoral com o apelo ao voto.
jcl e plb

Deixar uma resposta