Poldras Pontões e Pontes (6)

José Fernandes - Do Côa ao Noémi - © Capeia Arraiana

:: :: A Ponte da Cerdeira :: :: – De todas as travessias do Noémi, esta é a mais importante de todas para as populações da zona. Foi talvez por ela existir que o Comboio teve na Cerdeira a maior estação entre a Guarda e Vilar Formoso.

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

Ponte da Cerdeira vista de Montante para jusante

A ponte da Cerdeira, Ponte Romana ou simplesmente Ponte para os residentes é uma obra de arte que, apesar da sua idade, não tem a idade que o seu nome acarreta. A ponte não é do tempo dos Romanos, mas é certamente também não é de construção recente. Há quem defenda ter sido construída no século XIII o que me parece pouco provável, pelo menos no aspecto que possui actualmente.
Naturalmente que ao longo do tempo a ponte teve obras de conservação e manutenção o que certamente lhe terá alterado algumas das suas características originais. Mas nada disso retira à ponte a sua importância quer para a povoação onde se localiza quer para a região.
Sem esta ponte a ligação entre os Municípios de Almeida e Sabugal era naturalmente muito menos intensa. Enquanto passagem de um curso de água, ela faz parte de uma das mais importantes vias de comunicação rodoviária da zona.

Sem se perceber bem porquê o pároco da Cerdeira quando em 1758 respondeu ao inquérito do Marquês de pombal, não fala na ponte e certamente que ela já la estava. O que terá levado o pároco a omitir uma referência à ponte, para mim continua a ser um mistério.
É que, quer o paroco quizesse ou não a ponte era de longe a maior obra de engenharia existente na paróquia e cuja utilidade era indiscutível.
A ponte assistiu, alguns anos passados, à passagem indesejada das tropas francesas quando invadiram Portugal principalmente na altura da 3ª. Invasão e que na fase final foram derrotados quer na batalha do Gravato em 3 de Abril de 1811 quer na de Fuentes de Oñoro.
Na parte final do século XIX, em 1892, a Ponte voltou a ver aumentada a sua importância quando passou a ser o principal circuito para quem do Norte pretendesse apanhar o Comboio.
Com a construção da linha da Beira Alta foi igualmente necessário construir, no enfiamento da Ponte um arco para permitir o cruzamento desnivelado entre a Rodovia vinda da Ponte e a Ferrovia.

Estação ferroviária da Cerdeira

Estação ferroviária da Cerdeira

A Ponte, juntamente com a estação ferroviária, provocaram um desenvolvimento económico maior na margem direita do Noémi que começou a ver surgir casas comerciais, bancos, farmácias, etc nas suas imediações.
A Cerdeira crescia agora para Sul, tendo chegado a existir mais gente naquela parte do que na antiga povoação. Aliás ainda hoje os naturais da Cerdeira, chamam “Povo” à parte mais antiga, isto é à parte que se localiza na margem esquerda do Noémi e “Estação” à parte mais moderna, na margem direita do mesmo rio.
As duas partes desta comunidade, continuam ligadas pela ponte que, fazendo jus às características de qualquer ponte, serve para unir.
O local exacto correspondente à localização desta Ponte pode ser consultado (aqui) e onde se pode igualmente verificar que a EN 324 aproveitou a Ponte para ligar os dois concelhos Almeida e Sabugal.
A jusante e montante da ponte, existem ainda dois pontões que na altura própria se falará sobre eles. Hoje falámos sobre a Ponte da Cerdeira, que certamente muito mais teria para contar se a ponte pudesse falar.
:: ::
«Do Côa ao Noémi», opinião de José Fernandes (Pailobo)

Deixar uma resposta