Emigração clandestina no concelho do Sabugal (10)

Nas décadas de 1960 e 1970 a emigração clandestina para França teve por principal palco a zona raiana do concelho do Sabugal, onde a fronteira se atravessava «a salto», usando os «serviços» de passadores experientes. Falemos agora no concelho do Sabugal, aludindo às fronteiras do concelho e à evolução do número de freguesias.

Castelo de Vilar Maior

Castelo de Vilar Maior

A consolidação das fronteiras atuais do concelho ter-se-á iniciado por volta de 1836-1842 com a extinção do concelho de Vila do Touro, povoação de origem templária que terá sido fundada em 1221 que terá passado a ser administrada pelo Sabugal.
Por Decreto de 31 de dezembro de 1855, o concelho do Sabugal passaria do distrito de Castelo Branco para o da Guarda, ao tempo em que por Decreto de 24 de outubro, se assistia à extinção dos concelhos de Alfaiates, Vilar maior, Sortelha e Castelo Mendo, bem como à respetiva assimilação pelo concelho do Sabugal que assim passava a constituir um dos mais extensos de Portugal com um conjunto que para além da sede, passaria a incorporar 23 freguesias a norte do Rio Côa e 15 na parte sul para além de mais uma (Baraçal) que entretanto se viria a autonomizar de Vila de Touro em 17 de abril de 1904.
Para além deste conjunto de freguesias terá contado ainda com mais dezoito que teriam passado para o concelho de Almeida, por Decretos de 4 de janeiro de 1870, carta de Lei de 1 de março de 1883 e Decreto de junho de 1895.
Em 1904, o concelho do Sabugal, mesmo após lhe terem sido retiradas uma série de freguesias que terão passado para o concelho de Almeida, continuaria sendo o mais extenso do distrito da Guarda; segundo o censo da época, ao tempo, contava com 8.567 fogos e 32.791 habitantes.
Antes da recente Reforma Autárquica a que se assistiu, o concelho englobava 40 freguesias, contando-se por ordem alfabética: Águas Belas, Aldeia do Bispo, Aldeia da Ponte, Aldeia da Ribeira, Aldeia de Santo António, Aldeia Velha, Alfaiates, Badamalos, Baraçal, Bendada, Bismula, Casteleiro, Cerdeira do Côa, Fóios, Forcalhos, Lageosa da Raia, Lomba, Malcata, Moita, Nave, Penalobo, Pousafoles do Bispo, Quadrazais, Quintas de S. Bartolomeu, Rapoula do Côa, Rebolosa, Rendo, Ruivós, Ruvina, Sabugal, Santo Estêvão, Seixo do Côa, Sortelha, Soito, Vale das Éguas, Vale de Espinho, Vale Longo, Vila Boa, Vila do Touro e Vilar Maior.
Na sequência da reorganização administrativa do território português (Lei n.º 11-A/2013, de 28 de Janeiro), as 40 freguesias, foram agrupadas, passando o concelho a ser constituído por 30 freguesias: Águas Belas; Aldeia da Ponte; Aldeia da Ribeira, Vilar maior e Badamalos; Aldeia do Bispo; Aldeia Velha; Alfaiates; Baraçal; Bendada; Bismula; Casteleiro; Cerdeira; Fóios; Lageosa da Raia e Forcalhos; Malcata; Nave; Pousafoles do Bispo, Pena Lobo e Lomba; Quadrazais; Quintas de São Bartolomeu; Rapoula do Côa; Rebolosa; Rendo; Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas; Sabugal e Aldeia de Santo António; Santo Estêvão e Moita; Seixo do Côa e Valongo; Sortelha; Souto; Vale de Espinho; Vila Boa; Vila do Touro.
:: ::
«Emigração Clandestina», de Rui Paiva

Deixar uma resposta