Património do Jarmelo está em degradação

Vaca Jarmelista - Jarmelo - Capeia Arraiana

A Associação Cultural e Desportiva do Jarmelo, denunciou publicamente que o património da antiga vila do Jarmelo (concelho da Guarda) está em manifesta degradação. Parte do troço das muralhas do Castro voltou a ruir há poucos dias, o que agravou o problema.

A muralha do castro está a ruir

A muralha do castro está a ruir

O Castro do Jarmelo encontra-se classificado como imóvel de interesse público desde a publicação do Decreto n.º 39 175, DG, I Série, n.º 77, de 17-04-1953. Muitos são os motivos de interesse turístico a visitar naquele local histórico: Muralha da antiga Vila, Igreja de São Miguel, Igreja de São Pedro, Capela de Santa Cruz, fontes de mergulho, sepulturas rupestres, cruzeiros e uma fantástica vista de 360º de todo o território raiano.
Recorde-se que em 2007, a Câmara Municipal da Guarda avançou com o projecto “Patrimonium, estudo e valorização do património da Guarda”, candidatado ao Programa Operacional da Cultura e que representou um investimento de cerca de um milhão de euros comparticipado pelo FEDER em 663 mil euros. A Torre de Menagem, na Guarda, a estação arqueológica da Póvoa do Mileu e os castros do Tintinolho e do Jarmelo terão sido os locais intervencionados. Por essa altura foram realizadas algumas escavações arqueológicas no Castro do Jarmelo, bem como a limpeza e recuperação de parte da sua muralha e de algumas estruturas edificadas contiguas. A restante muralha e território classificado não foi objecto de quaisquer trabalhos de conservação e valorização.
Posteriormente, em Fevereiro de 2009, verificou-se a derrocada de parte da muralha anteriormente recuperada. A reposição dessa situação aconteceu em Maio de 2012.
Desde essa data, não voltou a acontecer qualquer outra intervenção no Castro do Jarmelo no sentido da sua preservação, valorização e conservação.
Dia após dia, as estruturas edificadas ainda visíveis no local vão-se degradando, sem que, alguém ou alguma instituição, com poderes para tal, intervenha para o evitar.
Verifica-se também, há longa data, a falta de sinalética e de painéis informativos que permitam um conhecimento mais profundo do património por parte dos seus visitantes.
Para quando uma intervenção de fundo no Castro do Jarmelo, que permita um melhor conhecimento da sua história e uma melhor informação aos seus visitantes?
Conhecer, preservar e divulgar património também é promover o Turismo!
plb (com ACDJ)

4 Responses to Património do Jarmelo está em degradação

  1. JFernandes diz:

    Quantos locais existem no concelho da Guarda com a dimensão historica do Jarmelo?
    Poucos.
    Por isso, deveria existir uma maior atenção e promoção destes sitios.
    Mas, aquilo é um monte de pedras, não tem interesse nenhum…. dirão os ignorantes destas coisas.
    Mas, digo eu que sou suspeito: Cada pedra aparelhada ou não da envolvente do monte do Jarmelo tem uma estória e certamente faz parte da Historia. Não podemos deixar estas pedras rolarem monte abaixo. É preciso coloca-las no seu lugar, reconstruindo os muros.
    Vá lá Câmara da Guarda!… defendam e preservem o que é de todos.

  2. LUIS PEREIRA diz:

    Simplesmente vergonhoso.
    A queda destes muros representa a queda da “nossa” identidade e dignidade. A culpa é de todos os que assistem beneplacitamente ao facto dos eleitos se pavonearem enquanto deixam degradar o que é de todos e pelo qual se tornaram responsáveis.
    Quando se trata de festas e feiras e romarias, ei-los em grande destaque e inchados como sapos, mas quando se trata de cuidar da terra fogem que nem ratos.
    A Câmara Municipal da Guarda, bem como a Junta de Freguesia do Jarmelo deveriam ser responsabilizadas pelos danos causados ao património do qual são responsáveis.
    De uma coisa tenho quase a certeza, se fosse o muro de uma propriedade do presidente da câmara ou da junta isto não acontecia. Mas na “nossa” terra o que é de todos é entendido como não sendo de ninguém…
    Por fim questiona-se o papel da Direção Geral do Património Cultural, que tem responsabilidade sobre todo o património cultural, mas que relativamente ao património classificado tem deveres acrescidos.
    Será que desempenhou o seu papel de responsável pela salvaguarda deste património e da sua área de proteção, aquando da elaboração do PDM e por remissão, do Plano de Ordenamento do Parque Nacional da Serra de Estrela?
    Não vi qualquer referência, mas admitindo que a questão tivesse sido abordada, o que se conclui é que não passou do papel.

  3. José Antunes Fino diz:

    Lamentável o estado a que chegou este valioso património cultural que, assim, é votado ao completo abandono. Verdadeira gestão danosa dos nossos autarcas que não sabem sequer apreciar a riqueza que deviam administrar com zelo e competência. Como bem diz o Sr. Luís Pereira, que me precede, caso se tratasse de festas e romarias, certamente que seriam os primeiros a pavonearem-se e a marcarem presença, inchados que nem uns sapos. É triste mas é verdade!

  4. fernando capelo diz:

    É evidente que o esquecimento do Jarmelo tem sido profundo e duradouro.
    O Monte e as pedras que o povoam não falam mas gritam!
    Mas os ouvidos andam entupidos com outros interesses.

Deixar uma resposta