Guarda com o maior aumento de crimes violentos

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

O distrito da Guarda foi aquele que registou em 2015 uma maior subida percentual (31,7%) de participações de crimes violentos e graves às autoridades face ao ano anterior, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), hoje divulgado.

Mais crimes violentos no distrito da Guarda

Mais crimes violentos no distrito da Guarda

Com um total de 79 ocorrências de criminalidade violenta e grave participados às autoridades em 2015, contra as 60 registadas em 2014, o distrito da Guarda é aquele que, em termos percentuais, apresenta um maior crescimento deste tipo de criminalidade, com uma subida de 31,7%.

Seguem-se os distritos de Santarém (22,5%) e de Viana do Castelo (18,9%), que respectivamente, registaram 452 ocorrências (+83 do que em 2014) e 189 ocorrências (+30 do que em 2014).

Em termos absolutos, os distritos de Lisboa, Porto e Setúbal são aqueles com maior número de crimes violentos e graves participados em 2015.

Segundo o relatório, “Lisboa é responsável por aproximadamente 45% das participações”, e juntando os distritos de Porto (16,9%) e Setúbal (11,3%), os três “representam 73% das participações” deste tipo de criminalidade no úl-timo ano.

Lisboa e Setúbal mantiveram em 2015 a tendência dos últimos anos de redução de participações de crimes violentos e graves: Lisboa, com 8.483 participações às autoridades em 2015 (-93 do que em 2014), regista uma quebra de 1,1% neste tipo de ocorrências; e Setúbal, com 2.135 registos em 2015 (-170 do que em 2014) apresenta uma redução percentual de 7,4%.

Já o Porto, que entre 2006 e 2013 registou anualmente sucessivas quebras na participação de crimes graves e violentos, voltou em 2015 a registar um au-mento face ao ano anterior, com 3.199 ocorrências (+205 do que em 2014), o que representa um crescimento de 6,8%.

Pelo lado dos distritos com uma mais acentuada redução percentual de criminalidade violenta e grave participadas, destacam-se em 2015 Braga (-14,4%), Faro (-12%), Portalegre (-10,1%) e Setúbal (-7,4%).

Entre as regiões autónomas, os Açores registaram uma quebra de participações deste tipo de criminalidade de 3%, e a Madeira um aumento de 4%.

O RASI 2015, hoje entregue no parlamento, indica que criminalidade geral aumentou 1,3 por cento no ano passado, face a 2014, mas a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6%.
:: ::
plb (com Lusa)

Deixar uma resposta