Queijos da Lactibar voltam a ser premiados

Hoje destacamos... - © Capeia Arraiana (orelha)

Queijos produzidos pela Lactibar, empresa de lacticínios sediada em Rendo, concelho do Sabugal, foram distinguidos no Concurso Queijos de Portugal.

Os queijos  vão a concurso sem rótulo

Os queijos vão a concurso sem rótulo

A Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL), voltou a premiar os queijos Quinta da Cabreira, nas categorias «cabra – cura normal» e «cabra – cura prolongada», enquanto o Terras da Raia obteve uma menção honrosa na categoria «mistura – cura prolongada».
As distinções aconteceram no «Encontro com o Vinho e Sabores 2015», no Centro de Congressos de Lisboa, foi no passado dia 2 de Novembro, palco da revelação e entrega de prémios do «Concurso Queijos de Portugal 2015», iniciativa da ANIL. Um em cada categoria, são vinte os eleitos como Melhores Queijos de Portugal, aos quais se juntam 40 referências distinguidas com menções honrosas, num universo de quase duas centenas de queijos que este ano foram postos à prova.
Criado em 2009 com o objectivo de estimular o desenvolvimento da indústria queijeira nacional, promover e divulgar o queijo português de qualidade (e a sua diversidade), reforçar a notoriedade e aumentar o reconhecimento do mesmo junto do consumidor, o ‘Concurso Queijos de Portugal’ é já uma referência nacional, premiando ano após ano o que de melhor se faz em Portugal.
Este ano estiveram a concurso 184 queijos, mais sete que em 2014.
Em 2014 a Lactibar também viu premiados os seus queijos Quinta da Cabreira.
plb

2 Responses to Queijos da Lactibar voltam a ser premiados

  1. Ramiro Matos diz:

    Aos proprietários e aos trabalhadores da LACTIBAR, os meus sinceros parabéns.
    Continuam a ser queijos permanentes em minha casa, para agrado de muitos dos meus amigos.

  2. António Cunha diz:

    Tendo em conta que este é o queijo que mais se consome na minha casa e que recomendo com frequência aos amigos, estes prémios não me surpreenderam e por isso mesmo muitos parabéns aos proprietários e aos trabalhadores.

Deixar uma resposta