O Sabugal encontrou a diáspora em Paris

Joaquim Tenreira Martins - Opinião - Capeia Arraiana

Sabugal está a fazer um grande esforço para sair do estigma da interioridade e, no sábado passado, o seu Presidente, Eng° António Robalo, juntamente com os líderes das freguesias do nosso Concelho foi ao encontro dos seus munícipes que vivem e trabalham em Paris.

Pessoas do Concelho do Sabugal em Paris

Pessoas do Concelho do Sabugal em Paris

Devo dizer que desde a primeira hora esta ideia de ir ao encontro dos seus entusiasmou-me e pensei logo que a própria ideia em si era genial. Estamos em face de uma mudança de paradigma. O actual Presidente da Câmara não pretende estar à espera do mês de Agosto para se encontrar com os emigrantes, originários da nossa região. Pretendeu vê-los e encontrá-los nas terras onde fizeram as suas vidas. É que ir ao encontro das pessoas, mostrar interesse em visitá-las, nada mais que para lhes dar uma abraço, um aperto de mão é considerá-las e foi isso que Portugal não tem feito a esta classe de pessoas a quem tanto deve. Consideração, reconhecimento é somente o que qualquer pessoa deseja e também os emigrantes. Depois do reconhecimento, as portas ficam abertas. E os emigrantes, mais que ninguém, precisam de quebrar o azedume, a amargura para com uma pátria que lhes virou as costas, que lhes deu um pontapé para saírem mais depressa de Portugal. Precisam de ser considerados, precisam que alguém lhes dê a mão e lhes mostre que são bem-vindos e que têm lugar nas terras de onde são originários. Tem de se dizer que em Paris vive mais de cinquenta por cento da população do Concelho de Sabugal. Temos ali uma riqueza em pessoas que já demonstraram o seu dinamismo.
A sala estava cheia de gente empreendedora, de jovens licenciados, de engenheiros, advogados que estão dispostos a fazer a ponte entre a França e o Sabugal.

O Presidente da Câmara de Comércio de Paris e o Presidente da Câmara do Sabugal assinam protocolo

O Presidente da Câmara de Comércio de Paris e o Presidente da Câmara do Sabugal assinam protocolo

Agora que a ligação se construiu, através de um acordo protocolar entre o Presidente da Câmara, Eng° António Robalo, e o Presidente da Câmara de Comércio Franco Portuguesa, Dr. Carlos Vinhas Pereira, é mais fácil investir na nossa região.
Também agora os tempos são outros, como referiram os oradores, a começar por Carlos de Matos que tem um gigantesco centro de negócios junto ao aeroporto Charles de Gaulle, o Paris-Asia Center. A experiência deste homem de sucesso poderá ser muito útil para quem queira investir no nosso Concelho e em Portugal, através da isenção de impostos, incentivos ao investimento, bonificações disto e daquilo, que o empreendedor Carlos de Matos conhece, pode aconselhar e orientar. A este propósito pode ser consultado o portal (aqui).
A reunião não foi apenas um encontro de amigos e saudosistas do Concelho de Sabugal. O Presidente da Câmara conseguiu trazer ao encontro o Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Dr. Pedro Lomba e o Deputado Dr. Carlos Alberto Gonçalves que ambos com as suas intervenções confortaram os presentes no seu eventual desejo de se ligarem economicamente ao Concelho de Sabugal. O Dr. Pedro Lomba referiu que é a primeira vez que, no âmbito deste novo quadro comunitário de apoio, se previram incentivos para projectos provenientes de emigrantes. O Dr. Carlos Gonçalves, homem que conhece bem a emigração por ter vivido e trabalhado longos anos em Paris, mostrou bem o seu carinho e a dedicação para com estas pessoas que vivem e trabalham fora de Portugal e que merecem toda a consideração e estima.

Carlos Vinhas, Deputado Carlos Gonçalves, António Robalo e Carlos de Matos

Carlos Vinhas, Deputado Carlos Gonçalves, António Robalo e Carlos de Matos

E quando há reconhecimento das pessoas, estas também sabem acolher e receber. Foi o que aconteceu com os proprietários do restaurante Canelas – a Antónia e o Carlos Gonçalves – onde se desenrolou o encontro. Também eu participei da alegria de ver conterrâneos meus, verdadeiros valdespinhenses, a mostrar o melhor que têm para que tudo corresse bem. A recepção no jardim foi uma autêntica mestria na maneira de nos acolher. Estavam ali todos os excelentes produtos portugueses: bons e variados aperitivos onde não faltou o bucho em finas rodelas, vinhos brancos e tintos e um notável champanhe francês, comme il se doit. E o convívio continuou com o almoço na própria sala de congressos, depois adaptada para o efeito. Foi o memento de encontrar ali gente que só se vê nas nossas terras no mês de Agosto ou de fazer conhecimento com pessoas que acreditaram e que já se lançaram em empreendimentos como foi o caso do proprietário do hotel e das termas do Cró, o Eng° Paulo Martins, que também nos divertiu com o seu grande humor.
E quando o Presidente da Câmara ia pedir a conta aos proprietários do restaurante, o Carlos do Ti Zezinho Ferreiro (era assim que nós o designávamos quando éramos crianças) teve um gesto que emocionou todos os presentes, ao oferecer-lhe e ao oferecer-nos este lauto almoço. É assim que se retribui o reconhecimento e a consideração para com as pessoas. E os emigrantes são as pessoas mais generosas e melhores que se podem encontrar. De desprezadas que foram, basta um pequeno gesto para que tudo possa mudar.

Proprietário do restaurante, Carlos Gonçalves e o Presidente da Câmara

Proprietário do restaurante, Carlos Gonçalves e o Presidente da Câmara

Nesta ordem de ideias, não sei se não seria bom pensar em criar uma instituição de cidadãos honorários do Sabugal que seria concedida a este género de pessoas. É verdade que se foram embora. Que já não precisam do Sabugal, mas a verdade é que o Sabugal precisa deles. Talvez assim a corrente migratória se pudesse inverter. Nos anos sessenta foram eles que tiveram que abandonar o Sabugal. Agora é o Sabugal que os recebe e que os volta a reconhecer como seus cidadãos.
:: ::
«Pedaços de Fronteira», opinião de Joaquim Tenreira Martins

Deixar uma resposta