Para quando o Plano de Desenvolvimento Social?

César Cruz - Desassossego - Opinião © Capeia Arraiana

Nos últimos tempos o nosso concelho tem presenciado discussões públicas de estratégias e de planos de desenvolvimento económico. Mas para quando um efetivo e atualizado desenvolvimento social, que deveria estar na base e na génese de qualquer intervenção estratégica? Será que os problemas de um concelho estarão na base do surgimento de algum tipo de aproveitamento ou será que a base de uma intervenção social é de facto um motivo de intervenção concertada?

Desenvolvimento Social - César Cruz - Capeia Arraiana

Para quando o Plano de Desenvolvimento Social efetivo?

O «Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Concelho do Sabugal» esvaziar-se-á se não se atender, em simultâneo, ao pleno Desenvolvimento Social. Um desenvolvimento sustentável deve permitir um crescimento económico, ambiental, social, possibilitando uma autêntica coesão territorial e socioeconómica. Para isso é fundamental a transparência na administração local em todos os sectores, eliminando as formas de discriminação, encorajando as parcerias com organizações representativas da sociedade civil e favorecendo os mecanismos de associação e participação das pessoas, sobretudo daquelas que se encontram em situação de exclusão. É imperativo pois que as Associações de Desenvolvimento Local atuem como tal e que surjam não tanto no plano sociável mas no plano social.
Por mais estratégias que se aprovem e se arquitetem em espaços públicos (ou não), se não se atenderem às reais questões sociais locais, serão apenas uma visão funcionalista do desenvolvimento do nosso território, determinada de «cima para baixo», sendo os seus únicos aproveitadores os que tiverem acesso aos fundos de investimento. Será uma estratégia dirigida para e por grupos de interesse e não para o interesse coletivo.
Meritoriamente o «Plano Estratégico Sabugal 2025» percorreu uma metodologia de Plano de Intervenção e de Ação. Após diagnósticos locais avançou para estratégias de desenvolvimento económico com dinâmicas sociais. Talvez aqui se encontre a sua grande lacuna. Será necessário reformular o Plano de Desenvolvimento Social para o Concelho do Sabugal, que se encontra esquecido, caduco, vazio e sem fundamento. É imperativo elaborar de uma vez por todas a Carta Social Local da Rede Solidária do nosso concelho, atendendo à rede de respostas e equipamentos sociais solidários existentes. Num concelho que tem a implementação de várias Associações de Desenvolvimento Local, com garantias técnicas sociais e sociológicas camarárias, com a implementação de dezenas de IPSS, e com um (inoperante) C.L.A.S., é de esperar uma elaboração de um autêntico, atualizado e efetivo Plano de Desenvolvimento Social.
Obter resultados económicos que revertam em dinâmicas sociais é meritório, mas se não se traduzirem num desenvolvimento social terão apenas servido um pequeno número de interesses.

Um verdadeiro Plano de Desenvolvimento Social resultará numa estratégia de desenvolvimento assente na:
– erradicação da pobreza – Através da promoção dos direitos económicos, sociais, culturais e civis; na promoção do emprego, generalizando o direito ao trabalho, dirigindo esforços para a redução do desemprego através da sensibilização do sector mercantil para o seu papel social, do desenvolvimento do mercado social de emprego, da promoção do autoemprego e do investimento na empregabilidade
– integração social – Entendida como a construção de uma sociedade justa, fundada na defesa dos direitos humanos, na tolerância, no respeito pela diversidade, na igualdade de oportunidades, na solidariedade, na segurança e participação social, cultural e política de todos, incluindo grupos desfavorecidos e vulneráveis: a proteção e valorização da diversidade étnica, cultural, religiosa, etc.; o reconhecimento da importância da família e da comunidade em matéria de integração social e o apoio à dinamização e capacitação das comunidades.
:: ::
«Desassossego», opinião de César Cruz

One Response to Para quando o Plano de Desenvolvimento Social?

  1. António Emídio diz:

    César :

    Ao responder a este artigo, não me vou reportar somente ao Concelho do Sabugal, Porquê ? Pela simples razão de que o Concelho não é uma ilha isolada no mapa, está inserido num País, a partir daqui não podem ser estranhas ao Concelho do Sabugal todas as deficiências, e são muitas ! Políticas, económicas, culturais e sociais do Governo Central. Sendo assim, vamos lá situar o Sabugal na realidade de uma sociedade de consumo extremamente inovadora em bens técnicos e materiais, mas muito conservadora e deveras retrógrada no campo social, uma tremenda injustiça distributiva, gerada por uma ideologia pre – moderna. Assim, é impossível superar neste momento a escassez e a miséria das populações. A juntar a isto, podemos dizer que o Concelho do Sabugal foi, e continua a ser abandonado pelo Governo Central, mas não só ele, todo o interior do País foi abandonado. Solução ? Mudando de paradigma, mudando tudo, desde a educação ao sistema económico.
    O partido A, ou o partido B irão tirar o Concelho da situação em que está ? Que bom seria !

    António Emídio

Deixar uma resposta