O falar de Riba Côa – o léxico (116)

O Falar de Riba Côa - Paulo Leitão Batista - © Capeia Arraiana

Damos continuidade à apresentação do léxico «O Falar de Riba Côa» com as palavras e expressões populares usadas na raia ribacudana.
Entre os termos RAPADOURA e REBOTINHA.

RAPADOURA – pá de ferro para raspar a massa do pão; o m. q. raspadeira. Também se diz rapadora.
RAPAGÃO – rapaz forte e corpulento.
RAPAR – pastar; comer erva nas pastagens (os animais). As vacas rapam no lameiro.
RAPARIGUÉ – rapariga (Pinharanda Gomes).
RAPICÉ – raspanete; descompostura.
RAPOSA – pessoa finória; matreira.
RASA – medida equivalente ao alqueire. Cesta com capacidade de alqueire (Leopoldo Lourenço).
RASCADELA – arranhadela (Clarinda Azevedo Maia).
RASCALHEIRO – pernada de árvore; ramada.
RASCAR – arranhar; raspar. Mexer o lume para o atiçar (Clarinda Azevedo Maia – Aldeia da Ponte).
RASOIRAR – nivelar passando o rasoiro.
RASOIRO – pau roliço que serve para nivelar (rasar) o alqueire; o m. q. razão. Também se diz rasoira.
RASPA – pequena quantidade; pouco tempo. Já dormi uma raspa; comi uma raspa de bacalhau.
RASPADEIRA – pá de ferro própria para raspar a masseira, removendo os restos de massa de pão; o m. q. palheta (Bismula) ou rapadoira (Sabugal).
RASPILHA – serrote com dois cabos (Júlio António Borges).
RASTA – espécie de rodilha de palha ou bracejo para pousar os caldeiros. «Tirou o caldeiro dos nabos das lares e pô-lo em cima da rasta» (Carlos Guerra Vicente). Júlio António Borges chama-lhe rastra.
RASTEL – utensílio do carpinteiro, para riscar as tábuas, traçando fiscos e circunferências. O rastel é idêntico ao graminho.
RASTELO – grande pente com dentes de ferro usado para assedar ou rastelar o linho, separando-o da estopa. Também se diz sedeiro.
RASTILHA – ferramenta em forma de pente, parecida com a ancinho (mas em ferro) própria para alisar a terra ou juntar folhado.
RASTRILHO – pau com que se tira a cinza do forno (Júlio António Borges).
RASTRO – rasto.
RATACONA – centopeia (Clarinda Azevedo Maia – Fóios).
RATAR – roer; dentar um pedaço de qualquer coisa.
RATA-REBALDA – rata do mato, de cor branca e prateada (Clarinda Azevedo Maia – Fóios).
RATEIRO – ladrão; gatuno (Júlio António Borges).
RATO – esperto; finório.
RATOEIRA – armadilha para apanhar ratos. Havendo ratoeiras de várias espécies, a mais usada era de madeira, composta por uma base rectangular, e uma peça pesada, também de madeira, que, suspensa na vertical, caia sobre o rato. Clarinda Azevedo Maia designa assim os ferros (armadilha de caçar lobos).
RATONEIRO – ladrão; larápio; o m. q. rateiro.
RAZÃO – o m. q. rasoiro.
RAZE – inchaço que surge no céu da boca dos animais (Júlio António Borges).
REAL – lenha miúda para acender o lume. Vou ao real (Soito).
REALEJO – harmónica; gaita de beiços.
REBALDARIA – confusão; trapalhada; caos.
REBANHADA – rebanho muito grande (Franklim Costa Braga).
REBELIDADE – violência; rebeldia (Clarinda Azevedo Maia – Fóios).
REBENTINHA – crise de nervos ou de má disposição. Deu-lhe a rebentinha.
REBICOA – pessoa arrebitada; atrevida (Júlio António Borges).
REBOLADA – pedrada; o m. q. lascoada e gaiolada.
REBOLCAR – revolver a terra; rebolar no chão; espolinhar; espojar (Júlio António Borges).
REBOLEIRO – carvalho pequeno (Rebolosa). Joaquim Manuel Correia traduz por castanheiro bravo.
REBOLO – pedra de afiar que gira sobre um eixo, muito usada pelos ferreiros para aguçar as ferramentas. Pedra pequena e arredondada. Bola de ferro dos canhões antigos, pelouro (Francisco Vaz). Criança gorda (Júlio António Borges).
REBOLUDO – grosso; redondo; gordo.
REBOTALHO – coisa sem préstimo; refugo. Também se diz rebotelho (Rapoula do Côa).
REBOTINHA – deitar algo ao ar, para ver quem o apanha (Leopoldo Lourenço). O m. q. rabatina.
:: ::
Paulo Leitão Batista, «O falar de Riba Côa»

leitaobatista@gmail.com

One Response to O falar de Riba Côa – o léxico (116)

  1. No Casteleiro, usa(va)m-se:
    RAPADOURA, RAPAGÃO, RAPAR, RAPOSA, RASCALHEIRO, RASPA, RASPADEIRA, RASTRO, RATAR, RATO, RATOEIRA, RAZÃO, REALEJO, REBALDARIA, REBOLEIRO (acho que sim), REBOLUDO, REBOTALHO.

Deixar uma resposta