O falar de Riba Côa – o léxico (114)

O Falar de Riba Côa - Paulo Leitão Batista - © Capeia Arraiana

Damos continuidade à apresentação do léxico «O Falar de Riba Côa» com as palavras e expressões populares usadas na raia ribacudana.
Entre os termos RABADA e RABUSANO.

RABADA – fatia de pão (Júlio António Borges).
RABADÃO – ajudante de pastor, rapaz que vai atrás do rebanho a juntar o gado (Clarinda Azevedo Maia). Pastor que guarda um ou mais rebanhos; rabo da vara do lagar (Júlio António Borges).
RÁBANO – nabo (Júlio António Borges).
RABÃO – ceifeiro que vai atrás (Clarinda Azevedo Maia). Porco sem rabo (Júlio António Borges).
RABATINA – deitar algo ao ar (moedas, rebuçados, bolos) para os garotos apanharem. Deitava-se à rabatina nos casamentos, à saída da igreja. Nos Forcalhos dizem rebatinha. Júlio Silva Marques de, Vilar Maior, escreve arbatinha; Adérito Tavares, de Aldeia do Bispo, refere rebatina; Leopoldo Lourenço, do Freixo, escreve rebotinha.
RABEADOR – homem que pega no vértice traseiro do forcão e o maneja face ao movimento do touro. o m. q. rabichador. Adérito Tavares refere dois termos equivalentes: rabejador e rabicheiro. O rabeador tem de ser um homem alto, ágil, e com capacidade de comando. «O rabeador, como quem diz o chefe da quadrilha, regula os movimentos, desvia o forcão, de modo a evitar que a fera ataque pelos flancos, o que seria uma fatalidade. É por isso sempre um homem alto, vigoroso e possante, dotado de coragem e, como todos os outros, capaz de afrontar o perigo.» (Joaquim Manuel Correia).
RABEAR – dar ao rabo; agitar a cauda. Andar à volta por dificuldade de acesso a qualquer coisa (Duardo Neves).
RABECA – cio; cachondice (Rebolosa) – Aquela anda com a rabeca!. Mãozeira do arado (Manuel dos Santos Caria); o m. q. rabiça e rabela.
RABEIRA – restos de cereal e de palha que ficam na eira após a malha e a passagem pelo crivo; o m. q. moinha. Fazer o rabo: retirar a rabeira, última das tarefas na eira (Manuel dos Santos Caria). A rabeira era usada como alimento para as galinhas, que de entre tudo escolhiam e comiam o cereal, muitas vezes usava-se ainda para a sementeira da ferrém.
RABEIRO – rédea das bestas; corda curta; cabresto. «Agarrados à foice e ao rabeiro» (Abel Saraiva).
RABELA – mãozeira ou rabiça do arado. Júlio Silva Marques diz ser a parte posterior do arado, da relha à rabiça.
RABIÇA – haste do arado que o lavrador segura com a mão; o m. q. rabela e mãozeira. A rabiça é feita em madeira de carvalho.
RABICALHO – garoto que se desloca atrás de alguém a choramingar (Duardo Neves).
RABICHADOR – o m. q. rabeador.
RABICHEIRO – o m. q. rabeador (Adérito Tavares).
RABICHO – vértice traseiro do forcão, que é o seu leme (Francisco Vaz). Adérito Tavares escreve rabiche.
RABIÇO – grelo de nabo (Clarinda Azevedo Maia – Aldeia da Ponte).
RABISTEL – rabinho de criança (Júlio António Borges).
RABITA – criança muito mexida (Júlio António Borges).
RABO – cabo dos utensílios de trabalho.
RABOCHO – cão sem rabo, saroto (Carlos Guerra Vicente).
RABO-DE-BACALHAU – ave de rapina, da família dos milhafres (Júlio António Borges).
RABO-DE-PALHA – má fama; pouca reputação; motivo de censura.
RABONA – saia comprida (Júlio António Borges).
RABUGE – mal estar; descontentamento; o m. q. rabugice. Está com a rabuge. Rebento que surge no toro das árvores de fruto, junto ao solo. Pequenas plantas sem interesse, que surgem entre as maiores.
RABUJAR – ter rabugice; teimar; protestar; reclamar.
RABUSANO – patego; lorpa; simplório (Júlio António Borges).
:: ::
Paulo Leitão Batista, «O falar de Riba Côa»

leitaobatista@gmail.com

One Response to O falar de Riba Côa – o léxico (114)

  1. No Casteleiro, usam-se alguns destes vocábulos, de facto, mas não muitos. Apenas:
    RABATINA, RABIÇA, RABITA (rebita, rebiteza), RABO-DE-PALHA, RABUGE (dito rabuis), RABUJAR.

Deixar uma resposta