Oficina sobre bracejo na aldeia histórica de Sortelha

Aldeia Histórica de Sortelha - © Capeia Arraiana (orelha)

A Associação «Aldeias Históricas de Portugal» organizou em Sortelha no fim-de-semana de 22 e 23 de Março, uma oficina com o tema «Bracejo, História, Design». A iniciativa destinada a recuperar o artesanato com bracejo contou com a participação de cerca de duas dezenas de participantes.

Entrelaços - Bracejo, História, Design - Capeia Arraiana

Aldeia Histórica de Sortelha – Entrelaços – Bracejo, História, Design

Aldeia Histórica Sortelha - Entrelaços - Bracejo, História, Design - Capeia Arraiana

Aldeia Histórica de Sortelha – Entrelaços – Bracejo, História, Design

A Associação «Aldeias Históricas de Portugal» sedeada em Belmonte organizou, durante o fim-de-semana de 22 e 23 de Março, uma Oficina sobre «Bracejo, História, Design» destinada a recuperar o artesanato e aproveitamento do Bracejo, planta silvestre que cresce abundantemente na região de Sortelha.
A iniciativa teve a participação de cerca de duas dezenas de participantes e visou «resgatar a tradição pela via da inovação» que constitui o mote do projecto «ENTRELAÇOS – Bracejo, História e Design».
Criar uma linha de mobiliário e de decoração com a marca «Aldeias Históricas de Portugal» tendo o bracejo como elemento diferenciador e distintivo do produto foi o objectivo deste projecto. A coordenadora da «Aldeias Históricas de Portugal», Dalila Dias, considera que o bracejo «é uma actividade de futuro, com amplitude a montante e a jusante, podendo gerar novas iniciativas de carácter empresarial e comercial, valorizadoras do território abrangido pela Associação e motivadora para a criação de emprego e promover a preservação da memória».
Com a criação do Atelier Entrelaço na Aldeia Histórica de Sortelha, dada a tradição existente da técnica artesanal do trabalho com bracejo pretendeu-se incentivar pessoas que pretendam criar o seu próprio emprego.
A vice-presidente da Câmara Municipal de Sabugal, Delfina Leal, associou-se à iniciativa e realçou a importância que a revitalização do artesanato do Bracejo por ter nesta região «promovendo o emprego e vitalizando uma das mais belas terras históricas da Beira, ao mesmo tempo que pode constituir uma mais-valia económica».
Para a autarca a criação do Atelier «é uma iniciativa que pode contribuir para a atracção de visitantes e mesmo enriquecer a oferta turística para além do por si já importante conjunto monumental».
«O turista tem assim mais uma componente na visita a Sortelha, ver ao vivo como se trabalha o Bracejo, adquirir peças únicas genuínas e saber um pouco mais desta actividade e das tradições de Sortelha», disse Delfina Leal que aproveitou ainda para referiu que «é importante dar vida a esta histórica e a tradição do artesanato do Bracejo pode ajudar a atingir esse objectivo».
Por seu lado Dalila Dias está confiante de que existe mercado nacional e internacional para este tipo de produtos regionais e para o surgimento de outras actividades sócio-económicas envolventes da própria comunidade.
O Bracejo é uma planta filiforme que se apresenta em toceiras e em zonas de média altitude e em terrenos secos. São um alimento muito apreciado pelos ruminantes , sobretudo os bovinos. Utilizado desde tempos remotos para tecer, de forma entrelaçada, vários objectos de uso doméstico e decorativo nomeadamente esteiras, cestaria, bases várias e aquilo que a imaginação pudesse criar. É vulgarmente utilizado como vassouras, um dos usos que ainda continua a ter.
jcl (com Gabinete de Comunicação da C.M. de Belmonte)

2 Responses to Oficina sobre bracejo na aldeia histórica de Sortelha

  1. Penso que a palavra correcta será baracejo e não bracejo. Pelo menos nos Dicionários que pude consultar, assim consta.
    Com votos de continuação de sucesso para o CAPEIA ARRAIANA que consulto e guardo diariamente,
    Os melhores cumprimentos
    José Marques Valente
    profjosemvalente@gmail.com

  2. Maria Alzira Simão diz:

    Quero muito aprender a trabalhar o bracejo, neste momento estou a entrelaçar e ao pesquisar fiquei a saber da existência e projetos, parabéns pela iniciativa e criatividade.

Deixar uma resposta