Memórias sobre o Concelho do Sabugal (38)

:: :: QUADRAZAIS (2) – A gíria :: :: O livro «Terras de Riba-Côa – Memórias sobre o Concelho do Sabugal», escrito há mais se um século por Joaquim Manuel Correia, é a grande monografia do concelho. A obra fala-nos da história, do património, dos usos e dos costumes das nossas terras, pelo que decidimos reproduzir a caracterização de cada uma das aldeias nos finais do século XIX, altura em que o autor escreveu as «Memórias».

Quadrazenhos - foto de Henrique Nabais

Quadrazenhos – foto de Henrique Nabais

A gíria dos Quadrazenhos
É uma das curiosidades de Quadrazais a gíria de que ali se servem; por isso vamos dar dela urna rápida notícia, algumas palavras e frases mais do nosso conhecimento:
Ibau, curenhes escanar? Icho Ibau. (Fulano, coiso, queres comer? Quero, Fulano).
Machina-te que lá vêm os da recto facha. (Foge que lá vêm os guardas). Exprimem todos os seus pensamentos por meio da gíria, conseguindo assim falar diante de estranhos sem estes nada perceberem da conversa.
Mas, além da gíria, existe em Quadrazais uma pronúncia própria, exclusiva desta povoação, corrupção de palavras e troca de letras.
Assim querendo dizer: «Oh! Maria já vais deitar-te sem dar de comer aos animais» – dizem: «Eh! Meriê, já bais deiter-te sim dars de quemer a tês irmeus».
Outra frase: «Eh! Meriê, biste pr’aí a merrânê de menhê mei?» – «Pr’aí anda a rapér às cóstês do Isprito Santo»: O’ Maria, viste para aí a porca de minha mãe?» – «Para aí anda a rapar (pastar) às costas (detrás) da capela do Espírito Santo» (1).

Vocabulário da gíria de Quadrazais (ou gíria usada pelos contrabandistas):
Alipantes – Olhos
Artife facho* – Pão centeio
Artife branqueoso* – Pão trigo
Artife girio* – Pão trigo
Almeiro, almerio* – Leite
Alampio – Azeite
Alampiosa – Azeitona
Ardoza – Aguardente
Ansia – Água
Activa – Faca
Andante – Caminho
Arquerio* – Alqueire
Bagarosa* – Cadeia
Berria* – Cabra
Boquerna* – Boca
Briol – Vinho
Calcantes – Pés
Calcos – Sapatos
Cascosa do ar* – Castanha
Cascosa da reta facha – Batata
Chaina – Noite
carcabio – Feijão
Chaira – Carne
Cosco – Tostão
Chareno – Quartilho
Caiado – Pinto
Chulo – Duro (moeda)
Chifra – Chouriça
Cosque* – Casa
Chete* – Vintém
Curunhes – Queres
Doçante* – Mel
Doçante branqueoso* – Açúcar
Docerno* – Doce
Esquilona* – Hora
Escorreguejo* – Sabão
Savante* – Sabão
Escanear* – Comer
Escaneador* – Que come
Eslafante* – Ladrão
Esguirate – Que rouba
Fardoso*, Fardosa*, Formage – Queijo
Fugante – Espingarda
Farpela* – Fazenda de contrabando
Gerno – Fazenda de contrabando
Fusco* – Guarda Fiscal
Facho – Guarda Fiscal
Frenho – Feio, de má índole
Granjo* – Grande
Grangeiro* – Maior
Grunhante – Porco
Gambias – Pernas
Galdrinas – Calças
Groio – Caldo
Grainhos – Figos
Grepes – Cachos
Guino – Vintém
Gesno – Fazenda
Gemea* – Jumenta
Ibau* – Fulano
Irmerio – Irmão
Irmeria – Irmã
Icho* – Aceito, é verdade
Jerigo – Soldado
Jorna – Noite
Jornar – Dormir
Luzio, Almerio – Leite
Luzante – Candeia
Luzerno – Lume Pequeno
Luzerna – Luz
Lavante – Que lava, sabão
Luso – Dia
Lamoso – Linho (pano de)
Lamosa – Camisa
Maralna – Mulher
Muquedeira – Que come
Muchela – Cabeça
Macalo, Catroio – Cavalo
Mois – Eu
Manés – Individuos
Marna – Mulher
Maleque – Tabaco
Mercho – Padre
Meria – Mãe
Miante – Gato
Maquina-te – Foge
Naifa – Faca
Naco – Saco
Nentes – Não
Petesgo – Pequeno
Pinante – Chapéu
Patua – Batata
Pizante – Arrátel
Pizanta – Arroba
Papeloso – Papel
Pildra – Cama
Perompir – Parar
Paivo – Cigarro
Paivante – Fumante
Piante – Borracho
Respo – Cão
Ruça, Lura – Libra
Saltante – Coelho
Savempes – Sabes
Soi – Seu
Soines – Ele
Soquir – Soquear
Tarroina – Batata
Tramposa – Manta
Tois – Tu
Tefe – Cu
Vunha – Vem
Veza – Tem
Verdoza – Ferrã

Nota 1 – Frase comunicada pelo Dr. Carlos Martins.
Nota2 – A lista de termos da gíria de Quadrazais, publicada neste capítulo, nas páginas 209 e 210, foi quase toda organizada pelo A. há 50 anos, incluindo muitas palavras que não constam das listas de Nuno de Montemor e José Franco, e vão marcadas com asteriscos. As que vão marca das com travessões figuram nestas listas com grafias e significações mais ou menos diferentes, o que parece mostrar uma evolução na gíria.
Segundo informações colhidas na ocasião de ser publicado o presente trabalho, os quadrazenhos, contrariados com a revelação feita na Maria Mim, começaram, logo a seguir, a modificar a sua gíria.

:: ::
Joaquim Manuel Correia

Deixar uma resposta