Memórias sobre o Concelho do Sabugal (24)

:: :: BENDADA :: :: O livro «Terras de Riba-Côa – Memórias sobre o Concelho do Sabugal», escrito há mais se um século por Joaquim Manuel Correia, é a grande monografia do concelho. A obra fala-nos da história, do património, dos usos e dos costumes das nossas terras, pelo que decidimos reproduzir a caracterização de cada uma das aldeias nos finais do século XIX, altura em que o autor escreveu as «Memórias».

Capela de Nossa Senhora do Castelo - Bendada - Sabugal - Capeia Arraiana

Capela de Nossa Senhora do Castelo – Bendada – Sabugal (Foto: Ilídio Gomes)

Esta freguesia que fêz parte do antigo concelho de Sortelha, extinto em 1855, dista do Sabugal 18 quilómetros e é situada nas faldas dum monte elevado, continuação da grande cadeia de serras, que se estendem até à Quarta-feira e abrigam a grande, vastíssima planície que se estende aos Trigais, Rebelhos, Serra de Porco, Sortelha e Quarta-feira.
O seu clima é doce e aprazível. Possui bons olivais e ali vegetam admiràvelmente as larangeiras e limoeiros, castanheiros e muitas árvores frutiferas, bem como sobreiros, carvalhos e outras mais árvores. É uma das melhores aldeias do concelho, havendo nela casas antigas, algumas brazonadas e muito bem construídas, revelando grande antiguidade e importância. É terra muito mimosa e abundante em águas, pois é banhada por uma ribeira, que muito fertilisa os seus campos, onde se produzem muitas hortaliças e cereais.
O pároco era de apresentação régia, tendo 200.000 réis de congrua. Tem cadeira de instrução primária há muitos anos. Tem 260 fogos e 978 almas. Na terceira segunda-feira de cada mês realisava-se um bom mercado, mas em 1903 foi transferido para Quarta-feira. Nele se realizam sempre muitas transacções de todos os produtos agrícolas, mas é excepcionalmente notável em gados bovino e lanígero.
São afamados os queijos da Bendada e outras povoações que dela fazem parte.
A igreja paroquial é vasta, bem situada e regularmente ornada. O orago é Sta Luzia. O rendimento paroquial, segundo o costume imemorial e declarações do pároco p.e João Ramos Pinto é o seguinte:
Côngrua, 108.000 réis; Passal, que consta duma belissima vivenda, 5.000 réis; Pé de altar, 15.000 réis; Bens de alma, de 3.000 a 7.000 réis; Casamentos, 240 réis e Baptisados, 360 réis.
Pertencem à Bendada as povoaçôes seguintes: Quintas de Rebelhos, Trigais, Casais do Monteiro, Santo António, Quinta do Souto e da Ribeira.
Vimos no Archeologo Portuguez que havia perto um sítio chamado Castelo dos Mouros.

Trigais
É um pequeno lugar, curioso, de casas singelas, de alvo granito, assentes sobre rochas e entre penedos formidáveis, quase todas isoladas e tendo quintais onde crescem boas oliveiras e outras árvores frutíferas. Tem 14 fogos.
A pequena distância começa o concelho de Belmonte, onde existe a célebre tôrre de Centum Cellas, que parece datar da época romana e que é construída de forte cantaria, embora já muito derrocada.
Desta povoação domina-se uma vastíssima campina, limitada a nordeste pelos montes de Quarta-feira e Bendada e cercada dos outros lados pelos montes elevados de S. Cornélio, Sortelha, serranias de Rebelhos e pelos alcantilados rochedos que coroam os inúmeros outeiros e sêrros escarpados da Bendada, onde aparecem abundantes filões de oiro e doutros metais, como de urânio.
São afamados os queijos dos Trigais.

Rebelhos
Vimos esta povoação apenas de longe. É situada nas faldas de um elevado monte, a que uma extensa mata de pinheiros dá uma incomparável beleza. É cercada de variados e lindos arvoredos, especialmente de riquíssimos olivais. Tem uma ermida decentemente ornada. A população é de 40 fogos.
:: ::
Joaquim Manuel Correia

Deixar uma resposta