Das eleições autárquicas (2)

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

CÂMARA MUNICIPAL – A análise mais cuidada dos resultados eleitorais registados nas autárquicas 2013 nas freguesias do concelho do Sabugal conduz-nos a algumas conclusões muito significativas.

Mapa Eleições Autárquicas Concelho Sabugal 2013 - Capeia Arraiana

Mapa das Eleições Autárquicas do Concelho do Sabugal em 2013 – Capeia Arraiana

Mapa Eleições Autárquicas Concelho Sabugal 2009 - Capeia Arraiana

Mapa das Eleições Autárquicas do Concelho do Sabugal em 2013 – Capeia Arraiana

A questão da elevada abstenção (57,2%) não tem o valor que por vezes se atribui, pois para uma população residente em 2011 de 12.504 habitantes, os cadernos eleitorais contêm 15.073 eleitores.
Mas ganha significado quando se percebe que se regista um acréscimo de votantes entre 2009 e 2013 em Aldeia do Bispo, Aldeia de Santo António, Foios, Lageosa, Lomba, Ruvina e Vale Longo, enquanto que Aldeia da Ribeira, Alfaiates, Bismula, Casteleiro, Lageosa, Vila do Touro e Vilar Maior registam um decréscimo igual ou superior a 20 por cento.
Dos votantes apenas 5,7% votaram em branco ou nulo, prova evidente que os eleitores se consideravam, na sua esmagadora maioria, completamente conscientes do seu sentido de voto.
Da análise que efetuei, inicio hoje a apresentação das minhas conclusões no que diz respeito à Câmara Municipal do Sabugal:
1 – A relação entre a votação dos diferentes partidos, revela uma clara hegemonia do PSD (45,8%) e do PS (39,5%), os quais representam 85,3% dos votantes e, mesmo em relação ao total de eleitores recenseados, a votação nos dois partidos é de 48,8% deste universo. Os restantes partidos concorrentes têm um peso relativo muito escasso: 4,4% (2,18 em 2009) para o CDS, 2,8% para a lista independente acobertada sob a sigla PTP e 1,8% (0,99%) para a CDU;
2 – O PSD apresenta os seus melhores resultados (superiores a 50%) em Aldeia do Bispo, Aldeia da Ribeira, Alfaiates, Badamalos, Baraçal, Bendada, Cerdeira, Forcalhos, Nave, Rapoula, Ruvina, Seixo do Côa, Vale das Éguas, Vale de Espinho e Vale Longo. Por sua vez, o PS obtem percentagens superiores a 50% em Aldeia da Ponte, Foios, Quadrazais e Sortelha;
3 – Em relação a 2009, o PSD «rouba» ao PS, na votação para a Câmara, as freguesias de Águas Belas, Aldeia Velha, Alfaiates, Bismula, Forcalhos e Vale de Espinho. Por sua vez, o PS «rouba» ao PSD Aldeia da Ponte, Foios, Lageosa, Ruivós, Vila Boa e Vila do Touro;
4 – Nas freguesias com mais de 200 votantes, o PSD ganha em Aldeia do Bispo, Aldeia Velha, Bendada, Malcata, Nave, Pousafoles, Soito e Vale de Espinho. O PS ganha em Aldeia da Ponte, Aldeia de Santo António, Foios, Quadrazais, Sabugal e Sortelha.

Num exercício teórico sobre potenciais eixos de desenvolvimento territorial, defini 6 eixos:
– Arco Urbano Sabugal – integrando as freguesias de Sabugal, Aldeia de Sto António, Malcata, Rendo e Quintas de São Bartolomeu;
– Eixo Sabugal-Foios – com Sabugal, Quadrazais, Vale de Espinho e Foios;
– Eixo Sabugal-Casteleiro – Sabugal, Santo Estêvão, Moita e Casteleiro;
Eixo Sabugal-Aldeia da Ponte (1) – integrando Sabugal, Rendo, Vila Boa, Nave, Alfaiates e Aldeia da Ponte;
Eixo Sabugal-Aldeia da Ponte (2) – integrando Sabugal, Soito, Alfaiates e Aldeia da Ponte;
Eixo Sabugal- Cerdeira – com Sabugal, Quintas de São Bartolomeu, Rapoula, Seixo do Coa e Cerdeira.

O mapa seguinte permite verificar que o PS, embora perdendo peso relativo face a 2009, mantém a maioria em todos estes eixos que considero essenciais para o futuro do Concelho, ao mesmo tempo que se regista um aumento da votação do PSD em todos os eixos.

Mapa dos resultados eleitorais das Autárquicas no Sabugal - Capeia Arraiana

Mapa com a comparação dos resultados eleitorais nas Autárquicas 2009 e 2013 no Sabugal

6 – Ainda uma última nota sobre o possível destino dos 1871 votos conseguidos pela candidatura de Joaquim Ricardo/MPT em 2009.
Olhando para as freguesias onde esta candidatura obtivera os melhores resultados, tudo parece indicar que estes votos se repartiram pelo PSD, PS e, igualmente pela abstenção.
Em Aldeia do Bispo, onde JR/MPT havia tido 88 votos, verifica-se que o PSD aumenta a sua votação em 48 votos e o PS em 42. Em Aldeia de Santo António, o PSD sobe 57 votos, e o PS 97, para os 211 que JR/MPT havia tido. Mas, por exemplo, na Bendada, o PSD e o PS têm apenas mais 10 e 17 votos, o que leva a pensar que parte significativa dos 119 votos alcançados por JR/MPT terão ido para a abstenção. Situação idêntica no Sabugal, onde JR/MPT havia tido 281 votos em 2009, e em 2013, o PSD aumenta a sua votação em 125 votos e o PS perde 73. Igualmente no Soito, o PSD e o PS perdem um total de 92 votos, e JR/MPT havia tido 109 votos.
:: ::
Na próxima crónica farei uma análise mais cuidada dos resultados eleitorais para as Juntas de Freguesia do concelho do Sabugal.
:: ::
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

11 Responses to Das eleições autárquicas (2)

  1. José Carlos Mendes diz:

    Caro Ramiro,

    Obrigado por este artigo, que li esta noite com afinco.
    Gostei de ler, embora um dos mapas esteja com imperfeição, segundo me parece.

    Depois das batalhas todos fazemos as nossas análises.
    A minha neste caso como em tantos outros do País que conheço é muito simples e nem sequer radica em números.

    Acho que em geral no País (muitos, mas muitos municípios) a divisão dos votos do PS por duas e às vezes três listas foi uma bandeira enorme, foi um «bodo aos pobres» (ou seja: aos adversários, sobretudo ao PSD – com ou sem o CDS).
    Concretamente no Sabugal, lembrar-te-ás que escrevi, logo que consumada a «limpeza» no PS de cujas listas fazias parte, que quem agradecia era o Presidente da CMS.
    Estava na cara que com o PS unido e sem a lista de Joaquim Ricardo na batalha eleitoral, os 300 votos de diferença do PS para o PSD – e com bom, trabalho nas ruas e nas aldeias, porta a porta – o PS tinha a vitória mais do que provável ao alcance.

    A perda inglória da cidade da Guarda para o PSD resultou de um duplo fenómeno ainda mais grave:
    1º – Joaquim Valente, que podia recandidatar-se, não o fez;
    2º – Virgílio Bento, ex-socialista e vereador, concorreu contra o seu antigo partido (e partiu-o em dois, com a lista «A Guarda Primeiro» a retirar ao PS duas coisas: a dinâmica de vitória e, nas urnas, mais de mil votos – pouco, mas o mais importante foi a falta de élã da campanha, que desmotivou as pessoas que votariam PS. Mas sobretudo, o PSD motivou-se a sério, com a divisão do PS e com as peripécias em torno da candidatura de Álvaro Amaro…).

    As análises e jogos de números são um exercício interessante.
    Mas a vida real, se calhar, passa mais por esta coisa simples:
    – No dia em que se consumou a divisão do PS, Robalo respirou fundo e bastou-lhe a partir daí esperar o dia 29 de Setembro.

    Enquanto o PS não entender isto, o PSD está de pedra e cal na CM Sabugal.
    Disso, não tenho a menor dúvida.
    E tudo o resto só vem esconder ou desculpabilizar a má decisão.

    Já agora, e a nível nacional, sempre direi que esperava menos votação no PSD, dada a situação do País, e muito menos perdas de bastiões e mais brilho do PS. Mas isso são outras contas do rosário, como se diz no Casteleiro…

    Desculpa, Ramiro. Mas quem está de fora – ou pelo menos muita gente com quem falo e que está distante – vê as coisas assim.

    E peço desculpa ao leitor por ser tão prolixo, tão «palavroso». Mas é só para que as coisas que quero dizer fique, muito bem claras.

  2. João Duarte diz:

    Qualquer verdadeiro democrata faria uma análise dos resultados incluindo todas as forças políticas concorrentes. Assim, de uma assentada foram desprezados quase 800 votantes nas listas do CDS, CDU e PTP. E são daqueles que vivem no concelho e por cá consomem e desenvolvem a economia local. Que o PS e PSD sejam forças hegemónicas não me admira. Alguém consegue meter , sempre, na cabeça das pessoas que o PS é desta que ganha e lá vão eles para aquilo a que chamam o “voto útil” que, afinal não serve para nada. A Oposição na Câmara é muito frágil, desta vez.
    É difícil vencer o preconceito e as pessoas votarem na CDU, mas continuo sem dúvidass que fazia falta um vereador da CDU na Câmara do Sabugal. A Covilhã não é muito longe daqui e elegeu um vereador da CDU nestas eleições.
    Sobre a análise dos resultados, ela é simples de fazer: todos os Partidos subiram o número de votos para a Câmara, excepto o PS que os diminuiu.
    No caso da CDU , na votação para a Câmara, subiu mais de 50%. Se o PS tivesse conseguido esse resultado, teria ganho a Câmara. O mesmo se passou nas eleições para a Assembleia Municipal, onde todos os Partidos subiram a sua votação, excepto o PS, que a diminuiu.
    Apesar da redução do número de eleitos de 41 para 31 , a CDU manteve os 2 eleitos na Assembleia Municipal e na votação na UF Sabugal e Aldeia de Santo António teve uma percentagem a rondar os 18%, facto não desprezível, por mais análises que se façam.
    Claro que o PTP vai desaparecer da cena política concelhia daqui a 4 anos. Os outros (nomeadamente CDS e CDU) ainda andarão por cá.

  3. Ramiro Matos diz:

    Caro José Carlos
    Estou totalmente de acordo com a análise que fazes.
    Mas esta é a hora dos partidos, e em especial o PS, tirarem as ilações e darem início a um novo ciclo.
    Até que tal aconteça manter-me-ei calado

  4. Ramiro Matos diz:

    Caro João Duarte
    Em primeiro lugar, aconselho-o a ler a minha crónica da semana passada,onde afirmei, preto no branco, que o principal derrotado era o Partido Socialista.
    Mas deixe-me também dizer-lhe, porque não o disse ainda, que, para mim, o segundo maior derrotado chama-se João Duarte.
    Na verdade, a CDU subiu a sua votação, mas esta subida esconde algumas verdades que explicito:
    1. A CDU ocupa para a Câmara Municipal o último lugar entre as listas candidatas, tendo mesmo ficado atrás da pseudo candidatura do PTP.
    2. A CDU é a única candidatura que no Sabugal tem um resultado para a Assembleia Municipal que é 3,64 vezes superior à da Câmara Municipal, numa clara demonstração de que muita mais gente acreditou na capacidade do candidato João Manata do que na capacidade e nas propostas do candidato João Duarte.
    3. E mesmo os seus resultados para a Cãmara têm de ser analisados com um pouco mais de detalhe, pois a sua lista teve 0 votos em 12 freguesias, tendo 43,4% do seus votos sido obtidos no Sabugal, Soito e Moita. E mesmo aqui, a sua votação na Moita (14 votos) é 2,6 vezes inferior à obtida pela lista da CDU candidata à União de Freguesias de Santo Estêvão e Soito e 2 vezes inferior na freguesia do Sabugal.

    E não me venha dizer que na CDU o que interessa é o colectivo e não as pessoas, porque o eleitorado sabugalense provou que não pensou assim na hora de votar.

    Quanto ao “verdadeiro democrata”, cada qual vê-se ao espelho que quer.
    Por mim nunca perguntarei ao meu espelho se o João Duarte, ou qualquer membro da CDU é mais ou menos democrata do que eu.

  5. João Duarte diz:

    O João Duarte , enquanto candidato da CDU, deu várias entrevistas a órgãos de comunicação social onde disse que consideraria uma vitória um aumento da votação, em relação há quatro anos, para a Câmara Municipal. Nunca disse que ia ser eleito vereador, nunca disse que iria ficar à frente do CDS, nem do PTP. Esta é a verdade. Como a CDU, na eleição para a Câmara Municipal, conseguiu os resultados que se propunha, onde pode o sr. Ramiro Matos ver uma derrota?
    Claro que o sr. Ramiro não faz a mais pequena ideia do que é ser candidato pela CDU para a Câmara Municipal do Sabugal. Ser do PS , qualquer um é (basta ver que o PS todos os anos arranja uns trânsfugas do PSD para fazerem parte das suas listas). Ou seja, as pessoas tanto podem ser do PSD , como ser do PS, porque são iguais. Já para arranjar candidatos para as listas da CDU não é assim tão simples. Há pressões de empregadores (tanto privados, como públicos- sei de umas boas histórias sobre isto, mas é melhor ficarem num círculo reduzido) e quase ninguém quer dar a cara. Depois, é uma candidatura que não tem meios (nem um boné, nem uma caneta, nem um isqueiro) e apenas teve cartazes no Sabugal e no Soito. Estamos a comparar universos completamente distintos. O PTP gastou milhares de euros em cartazes, que espalhou pelo concelho todo. Já a CDU apenas utilizou um carro de som (do próprio candidato). Valha-nos o facto de , pelo menos no que se refere à música transmitida pelo carro da CDU, a mesma ter sido elogiada por várias pessoas (que não votaram CDU , obviamente). Já sobre as musiquetas do PS e do PSD ouviram-se muitas críticas.
    Votar na CDU para a Câmara é muito complicado, para muitos eleitores do concelho. Basta atentar ao facto de na equipa para a Câmara Municipal (já que os outros se referem sempre à “equipa”, também tenho que o referir) havia gente de várias freguesias onde nem os próprios familiares mais directos votaram na lista. Por exemplo em Badamalos ou nos Fóios. Porque isto acontece, eu não sei explicar, mas uma mãe ou um pai (ou uma irmã) votar numa lista de pessoas que não conhece e não votar na lista onde se encontra o seu filho ou a sua irmã é um fenómeno inexplicável. Talvez o sr. Ramiro consiga explicar porque isto acontece. É que mesmo que não “confiassem” no 1.º candidato, sempre confiariam no candidato que era familiar próximo. Ou não? Até sei de certeza que muitas destas pessoas (votantes) comprariam mais depressa um carro em segunda mão ao candidato João Duarte do que a vários candidatos do PS ou do PSD, mas votar é que não. Como se sabe as listas do PS e do PSD são feitas tendo em conta os familiares que podem mobilizar para o voto nas suas listas.
    Já votar no CDS é mais fácil: o CDS conseguiu as suas melhores votações em freguesias de onde eram oriundos os candidatos, nomeadamente Quintas de S. Bartolomeu, Pousafoles, Vilar Maior ou Águas Belas. Lá está, o tal fenómeno das famílias a funcionar.
    Sobre aquilo a que chama as “propostas” da CDU devo referir que as mesmas foram elaboradas sobretudo pelo João Manata e por mim próprio. Logo, o nosso Programa era comum.
    Devo , também, referir que eu próprio fui eleito para a Assembleia Municipal, uma vez que estava em segundo lugar na lista e foram eleitos dois elementos da CDU.
    Se pretende dividir-nos ( a mim e ao Manata),tentando colocar-nos em “trincheiras” opostas, só porque a lista que o João Manata encabeçava teve mais votos que a lista para a Câmara Municipal, está muito enganado. Eu sabia, à partida, que a lista para a Assembleia Municipal iria ter muitos mais votos do que a da Câmara Municipal.
    Mas é verdade que é a única lista em que a votação para a AM é quase 4 vezes superior do que a que acontece para a Câmara Municipal. Tal deve-se ao prestígio do João Manata, sem dúvida. Mas também ao facto de as pessoas que votam na CDU para a AM não serem tão “rígidas” no voto partidário, como o são para a Câmara. E , depois, virem pedir para se “fazer barulho”, como eu já ouvi de alguns , que, se calhar, até não votaram na CDU para a AM.
    Resumindo: a CDU aumentou a votação para a Câmara Municipal (em mais de 50% dos votos) e para a AM (em mais de 9% dos votos). Teve a melhor votação de sempre , em qualquer tipo de eleição (autárquicas, legislativas, europeias) no Soito (tanto para a AM, como para a CM). No Soito,ainda, ficou , pela primeira vez em qualquer tipo de eleição à frente do CDS. E para quem conhece o eleitorado do Soito, como eu conheço, foi um feito.Por mais que se diga, a maioria das pessoas do concelho, vota nos partidos e esta é uma zona de forte influência do PSD. Bem pode o PS espernear ,apresentar o candidato que quiser que nunca ganhará uma eleição para a Câmara Municipal. Ganhou um ano , por um mero acaso. Tanto é assim que este era o ano em que mais facilmente poderia ganhar e perdeu.
    Já sobre a sua análise em relação aos votos brancos e nulos, não considero que os que votam assim sejam mais indecisos do que aqueles que votam nas listas partidárias (ou outras). Tem sido recorrente que muitos votos nulos ou brancos anulam as eleições (basta atentar nas redes sociais). Ora, isto é completamente falso. Mas há quem acredite. Daí o facto de , nestas eleições,esse tipo de votos ter tido um crescimento anormal.

  6. aemidio diz:

    Sabes uma coisa amigo Duarte?
    Alguns « políticos » do Sabugal, repito ! Alguns, alguns, alguns, « políticos » preocupam-se mais com problemas particulares de gente particular, do que com os problemas Concelhios,
    depois colhem tempestades…
    Eu não falei para ninguém em particular, mas para todos em geral, que procedem desta maneira.

  7. João Duarte diz:

    E ainda digo mais uma coisa: na minha rua, no Soito,onde sempre vivi, onde efectuo as compras no comércio, qualquer candidato do PS ou do PSD teria mais votos do que a minha lista, apenas porque esta era da CDU. Se o sr. Ramiro Matos fosse candidato na lista do PS para a Câmara teria, na minha rua, de certezinha, vinte vezes mais votos do que a lista que eu encabeçava, desde que esta fosse da CDU. E quanto à lista do PSD , esta até poderia ser encabeçada por um burro (animal, mesmo) que teria mais votos do que a lista que eu encabeçasse pela CDU. Embora ninguém conheça o sr. Ramiro Matos na minha rua, embora qualquer pessoa da minha rua confiasse totalmente em mim para qualquer facto da vida real, nunca (na sua esmagadora maioria) votariam numa lista que fosse da CDU, como era a minha. Já na da sr. Ramiro Matos, apenas porque era do PS, muitos votariam. Isto diz muito sobre o tipo de eleitorado que existe no concelho. Bem diferente, por exemplo, do eleitorado de Silves em que a Câmara era do PSD e passou directamente para a CDU. Convenhamos também, que pelo facto de eu ser candidato não modifiquei um único dos meus hábitos de vida: não passei a ir à missa, não passei a andar, constantemente, com um sorriso estampado no rosto, nem passei a frequentar os cafés que nunca frequentei. Só que continuo de cabeça levantada e , tal como entrei na campanha eleitoral, saí dela, sem problemas de consciência, antes pelo contrário.

  8. Ramiro Matos diz:

    caro João Duarte

    Não pretendia voltar a responder-lhe, mas os seus comentários a isso me obrigam.
    E não pretendia voltar a responder-lhe porque considero que uma alternativa para o Concelho do Sabugal passa também pelo empenhamento do Partido Comunista Português e dos seus aliados políticos.
    E esta é a pedra de toque que nos separa. Para mim o PCP, os seus militantes e os seus aliados são parte da solução e não do problema.
    Como gostaria que para si o Partido Socialista e os seus aliados, entre os quais me incluo, não fizesse parte do problema, mas sim da solução.
    Não sei se na rua onde mora votaram muitos em si ou não. Aliás não percebo como é que sabe com tanta certeza em quem vota cada eleitor.
    Sinceramente nem sei onde a minha mulher votou quanto mais os restantes familiares ou vizinhos…
    Para mim esta pretensa polémica acabou aqui.
    Se quiser voltaremos a encontrar-nos para a construção de uma alternativa de futuro para o Concelho.
    A roupa suja lavo-a na máquina de lavar.
    Uma última nota. Nunca pretendi pô-lo contra o João Manata. Claro que para mim há uma diferença entre os dois. O João é meu amigo e, haja o que houver, seremos sempre amigos. Mas só isso.
    Tenho esperança que o João Manta e o João Duarte assumam na AM as posições que melhor defendam os interesses do Concelho do Sabugal. E estou certo que, se assim for, muitas vezes os deputados da CDU e do PS estarão do mesmo lado da barricada e, agora como simples cidadão, terão o meu apoio.

  9. João Duarte diz:

    Caro António Emídio: deixa lá, não te preocupes. Os cães ladram e a caravana passa. Da minha parte tenho muito orgulho em ter encabeçado a lista da CDU para a Câmara Municipal do Sabugal, que teve , pelo menos, o mérito de acabar com o mito que as eleitores votam nas pessoas e não nos Partidos. Se eu voltar alguém a ouvir dizer isso, já sei como responder. E nota que eu não tenho qualquer complexo em assumir que apoiei a lista do PS para a Câmara do Sabugal, quando a lista do Zé Freire ganhou ao Joaquim Portas. O próprio Zé Freire referiu isso várias vezes em comícios, o facto de ter com ele gente que era da CDU. É verdade, os complexados a votar não são os da CDU, são os ortodoxos do PS e do PSD que nem os Programas lêem. Vi uma cena, num café, em que alguém ofereceu a dois quadrazenhos o Programa da CDU (o único, aliás, que falava em Quadrazais). Pois, esses senhores disseram logo: Não queremos ler nada, nós somos do PS. Vi tudo e calei-me , bem caladinho, mas percebi que a esmagadora maioria dos votantes do concelho não querem saber de mais nada do que dos Partidos. Algo que eu já sabia, aliás. E tenho orgulho em ter estado a encabeçar uma lista de gente que não se vende por um prato de lentilhas, que não promete empregos (que não poderá depois dar) e que tinha o melhor Programa Eleitoral para o concelho (mas como só uma minoria, muito minoritária, lê os Programas Eleitorais, já se sabe…).

  10. João Duarte diz:

    Caro Ramiro Matos: A CDU, como sempre fez, defenderá sempre os interesses do concelho do Sabugal, na Assembleia Municipal. E apoiará propostas vindas do PS ou de qualquer outro Partido, sem complexos, desde que essas propostas sejam justas e na defesa dos interesses do concelho. Aos outros Partidos caberá, ou não, apoiar as propostas vindas da CDU que acharem também justas. Isto é a Democracia e é assim que eu gosto que as coisas funcionem.
    Por mim esta polémica está também encerrada.

  11. João Manata. diz:

    Como o Duarte disse e muito bem podem conter com os eleitos da CDU, para estar na primeira linha de defesa dos interesses do Concelho do Sabugal. Só isso nos move.

Responder a José Carlos Mendes Cancelar resposta