Espanhol de amarelo com portugueses à espreita

Volta a Portugal em Bicicleta 2013 - © Capeia Arraiana

O espanhol Sergio Pardilha (MTN/Qhubeka) venceu no alto da Senhora da Graça e tornou-se o novo camisola amarela da 75ª Volta a Portugal Liberty Seguros. Ao quinto dia de prova, na ligação entre Arouca e Mondim de Basto, que culminou com a mítica subida ao “Monte Farinha”, o espanhol de 29 anos, foi o mais forte destronando o anterior líder, o suíço Marcel Wyss (IAM Cycling).

Chegada da 4ª etapa

Chegada da 4ª etapa

Após a duríssima etapa deste domingo com a extensão de 181,4 Km, Sergio Pardilha chegou ao comando da prova, mas tem exatamente com o mesmo tempo de Rui Sousa (Efapel/Glassdrive) que saltou para a vice-liderança após o terceiro lugar na tirada atrás de Edgar Pinto (LA Alumínios/Antarte). Os dois portugueses terminaram a 7 segundos do vencedor da etapa.
Apesar da igualdade em tempo, o primeiro lugar da 75ª Volta a Portugal Liberty Seguros é atribuído ao espanhol devido ao desempate pelo número de pontos obtidos pelos corredores em cada etapa. Profissional desde 2006, Pardilha conseguiu na Senhora da Graça a primeira vitória desta época.”Acredito que tive a experiência do meu lado. Os últimos quilómetros foram muito difíceis, tentei aguentar o mais possível e sempre apercebendo-me de como se encontravam os outros corredores. Em determinado momento achei que devia arriscar e em boa hora o fiz”, confessou o corredor nascido na região de Castilha la Mancha, que atacou a cerca de dois quilómetros da meta.
Com a conclusão da 4ª etapa não foi apenas a camisola amarela que mudou. Márcio Barbosa (LA Alumínios/Antarte) chegou ao primeiro lugar da montanha, vestindo agora a Camisola Azul PODIUM. Rui Sousa (Efapel/Glassdrive) depois do segundo lugar na etapa comanda a classificação geral por pontos e enverga a Camisola Vermelha BANCO BIC. A Camisola Branca RTP, para o melhor jovem, mantém-se na posse do cazaque Vladislav Gorbunov (Astana).

Houve antes e depois da subida à Graça
Num dia importante, como todos os que terminam em Mondim de Basto (Senhora da Graça), a etapa iniciou-se com diversas movimentações. Um ataque do campeão português de fundo, Joni Brandão (Efapel/Glassdrive), deu origem a que se formasse na frente um grupo de 18 corredores. Em mais um dia de intenso calor, o termómetro chegou a marcar 45ºC, os corredores tiveram também de enfrentar as dificuldades do percurso. Depois de três prémios de montanha de terceira categoria, a subida ao Alvão, uma contagem de primeira, reduziu a fuga a seis unidades entre os quais se destacou Márcio Barbosa (LA Alumínios/Antarte) que chegou à liderança da classificação montanha. Depois da passagem pelo centro de Mondim de Basto, onde mais uma vez um mar de gente aplaudiu a passagem da caravana, a situação da corrida mudou radicalmente. Na subida final, os fugitivos foram alcançados sendo o último sobrevivente o espanhol, Antonio Olmo (Louletano/Dunas Douradas). Com a equipa da Efapel / Glassdrive a tomar o controlo da corrida, o Camisola Amarela, Marcel Wyss (IAM Cycling), perdeu o contacto com o grupo principal, assim como Hugo Sabido (LA Alumínios/Antarte), o segundo classificado da Volta no último ano.
A dois quilómetros da meta Sergio Pardilla (MTN/Qhubeka) atacou e anulou Vergílio Santos (Rádio Popular/Onda) que, por instantes, ainda tentou a sorte. O espanhol do conjunto sul-africano arrancou de forma explosiva para uma vitória clara com Edgar Pinto (LA Alumínios/Antarte) a terminar no segundo lugar e Rui Sousa (Efapel/Glassdrive), o terceiro, ambos a sete segundos do vencedor. Era exatamente essa a diferença de tempo que existia entre Sousa e Pardilla antes da 4ª etapa.

5ª Etapa – 12 agosto 2013 – Lousada – Oliveira do Bairro
Antes do dia de descanso da Volta e após um interregno de 39 anos, Lousada vai regressar à mais prestigiada competição velocipédica portuguesa. Esta segunda-feira, o dia de competição começa em Lousada e termina em Oliveira do Bairro. A partida será dada às 12h35 e quando os corredores cruzarem a linha da meta, cerca das 17h20, terão sido cumpridos os 919,3 km da primeira metade da Volta 2013.
plb (com PAD)

Deixar uma resposta