Freguesias do concelho do Sabugal em 1758 (16)

Censos 1758 - © Capeia Arraiana

:: :: LAGEOSA DA RAIA :: :: Os manuscritos depositados na Torre do Tombo, em Lisboa, são a resposta a um inquérito censório a todo o reino assinado pelo Marquês de Pombal três anos após o terramoto de 1755. O Capeia Arraiana está a publicar as respostas dos párocos das paróquias das 40 freguesias do concelho do Sabugal agora que, pelo menos 10 das retratadas, vão desaparecer para sempre por obra e graça dos senhores mandantes da troika europeia.

Ermida do Espírito Santo - Lageosa da Raia - Capeia Arraiana

Ermida do Espírito Santo – Lageosa da Raia (Foto: D.R.)

LAGIOZA«O Cura Bartholomeu Gaspar, fala-nos da Ermida do Espírito Santo.»

Comarca de Castelo Branco, Termo do Sabugal, Bispado de Lamego.
Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), Dicionário Geográfico, vol. 19, doc. 14, p. 63.
Património arquivista da Paróquia dos Lageosa da Raia entre 1670 e 1911.
Aqui.

O que se procura saber deste lugar da LAGIOZA, nos Interrogatórios do bilhete junto hé o seguinte:
1 – Hé provincia da Beira Alta, Bispado de Lamego, Comarca de Castello Branco, Termo do Sabugal, Freguezia de Nossa Senhora das Neves.
2 – Hé del Rey.
3 – Tem vezinhos corenta e outo, pessoas cento e corenta e nove.
4 – Está situada em monte e della nam se descobrem nenhumas povoaçoes.
5 – Não tem termo seu, nem Logares nem Aldeas.
6 – A parochia está em huma ponta do lugar para a parte do Norte, junto ás mesmas cazas, e nam tem Logares nem Aldeas.
7 – O seo Orago hé Nossa Senhoras das Neves. Tem tres altares: o altar mor, aonde está a Senhora das Neves; no da parte da direita está a Senhora do Rozario; no da parte da esquerda está Sam Caetano; e nam tem naves, nem irmandades.
8 – O pároco hé cura da aprezentação do Vigário da Nave; tem doze fanegas de trigo, e de centeio vinte e outo, e meia fanega para hstias, e mais nove tostoõis para galhetas.
9 – Nam tem Beneficiados.
10 – Nam tem Convenios de Fieligiozos nem de Religiozas.
11 – Nam tem Hospital.
12 – Nam tem Caza da Mizericordia.
13 – Tem huma Ermida dentro do Lugar; nella está o Esperito Santo, e pertence ao povo.
14 – A ella vem os moradores de Aldea Velha, o primeiro dia da festa do Esperito Santo com cruz levantada em romagem todos os annos.
15 – Os fructos da terra que colhem os moradores em maior abundancia hé centeio e trigo pouco.
16 – Tem dous juizes espadanos; estam sugeitos aos juizes ordinarios da Villa do Sabugal.
17 – Nam hé couto, nem cabeça de concelho, honra ou Behatria.
18 – Nam há memoria que nella tlorescessem ou sahissem alguns homes insignes por vertudes Letras ou Armas.
19 – Nam tem feira nenhuma.
20 – Nam tem correio; o mais perto hé o da Goarda; daqui la distam outo legoas.
21 – Dista desta terra a Lamego vinte e tres legoas; a Lisboa cincoenta e outo Iegoas.
22. – Nam tem pervilegios, antiguidades, outras couzas dignas de memoria.
23 – Há na terra huma fonte, fora do lugar para a parte do nascente sessenta passos fora do lugar, a qual uza a Lagíoza para beber; e nam há alagoa alguma.
24 – Nam hé porto de mar.
25. – Nam hé murada, nem praça de armas, nam tem castello nem torre alguma.
26 – Nam padeceo ruína alguma no anno de mil e sete centos e cincoenta e cinco, no terramoto que veio.
27 – E nam há mais couza digna de memoria.

O que se procura saber do Rio desta terra, nos interrogatórios do bilhete junto, hé o seguinte:
1 – Há huma Ribeira assim chamada; nasce, no sitio chamado Val Longo.
2 – Nam hé caudaloza, nem corre todo o anno.
3 – Nam entram nella outros rios.
4 – Nam hé nevegavel.
5 – Nam hé de curso arrebatado em toda a sua distancia.
6 – Corre do Sul ao Norte.
7 – Cria alguns peixes chamados bordalos.
8 – Alguns se pescam em Agosto e Setembro.
9 – Sam as pescarias livres, excepto Abril e Maio e Julho em toda a Ribeira.
10 – Cultivam-se as suas margens, e tem alguns carvalhos.
11 – Nam tem particular vertude as suas agoas.
12 – Sempre conserva o mesmo nome, e nam há memoria de que em outro tempo tivesse outro nome.
13 – Nam morre no mar e entra para Castella.
14 – Nam tem cachoeira, repreza, levada ou açudes, que lhe embaraçassem o ser navegavel.
15 – Tem huma ponte de pau no meio do Lugar da Lagioza.
16 – Tem dous moinhos; e nam tem lagares de azeite, nem pizõis, nem noras, nem outro engenho.
17 – Nam há noticia alguma que em tempo algum se tirasse ouro de suas areias.
18 – O povo uza livremente das suas agoas para a cultura do campo sem pensam.
19 – Tres coartos de legoa tem donde nasce até emtrar em Castella e passa pelo meio do lugar da Lagioza.
20 – E nam há mais couza alguma digna de memoria.

E nam faço mensam dos interrrogatorios da Serra, porque nesta terra nam há Serra.
Lagioza, de Maio 15 de 1758 annos.
O Cura Bartholomeu Gaspar.»

Ver perguntas do inquérito. Aqui.
Fonte: Alfaiates-Na órbita da Sacaparte. Autores: Pe. Francisco Vaz e Pe. António Ambrósio.
(Continua.)

jcl

Deixar uma resposta