Freguesias do concelho do Sabugal em 1758 (10)

Censos 1758 - © Capeia Arraiana

:: :: BENDADA :: :: Os manuscritos depositados na Torre do Tombo, em Lisboa, são a resposta a um inquérito censório a todo o reino assinado pelo Marquês de Pombal três anos após o terramoto de 1755. O Capeia Arraiana está a publicar as respostas dos párocos das paróquias das 40 freguesias do concelho do Sabugal agora que, pelo menos 10 das retratadas, vão desaparecer para sempre por obra e graça dos senhores mandantes da troika europeia.

Capela de Nossa Senhora do Castelo - Bendada - Sabugal - Capeia Arraiana

Capela de Nossa Senhora do Castelo – Bendada – Sabugal (Foto: Ilídio Gomes)

BENDADA«A freguesia tem, nada menos, que 9 “quintas” ou aldeias. O Prior indica os seus nomes e o número de fogos e pessoas em cada uma. Chama-nos a atenção para dois painéis que existem na igreja, um da Senhora da Rosa e outro de Santa Luzia.»

Comarca de Castelo Branco, Termo de Sortelha, Bispado da Guarda
Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), Dicionário Geográfico, vol. 6, doc. 89, p. 629.
Património arquivista da Paróquia da Bendada entre 1616 e 1911.
Aqui.

«Esta terra se chama o Lugar da Bendada, está na Provincia da Beyra, Bispado da Guarda, Comarca de Castello Branco, termo da Villa de Sortelha.
Hé del Rey.
Tem septenta e septe vizinhos, pessoas mayores de ambos os sacramentos cento e oitenta e huma, menores trinta e quatro.
Está situada no simo de hum valle, a meya ladeyra de huma serra pequena chamada da Senhora do Castello, ficando esta para a parte do Norte. Della se descobre a Villa de Sortelha, que dista huma légoa, a qual fica para a parte do nascente; e para a parte do Sul, em distancia de dous terços de legoa, se avista huma Quinta chamada Rebelhos, do lemite e freguezia deste Lugar.
Não tem termo seu por pertencer ao de Sortelha.
Tem a parochia com o titulo de Santa Luzia dentro do dito Lugar; e tem as aldeas, a que vulgarmente chamão quintas, que se seguem: Rebelhos, que consta de dezanove fogos, e pessoas mayores quarenta e septe, e menores dezasepte; a Quinta da Ribeira, que consta de septe fogos, pessoas maiores catorze, e menores septe; a Quinta das Galinhas, que tem somente hum morador, e são duas pessoas mayores e duas menores; Quinta dos Peneiros, que tão bem não tem mais de hum morador ou cazal, com sinco pessoas mayores; Quinta dos Bacelos, que tem dous fogos, e pessoas mayores nove e menores tres; Quinta do Ribeiro, que consta de septe fogos, e tem pessoas mayores quinze e menores septe; Quinta de Santo Antonio das Cizirotas, que não tem mais de hum morador ou cazal, e duas pessoas mayores; Quinta do Souto, que consta de sinco fogos e tem nove pessoas mayores e seis menores; Quinta do Manteíro, que tem sinco fogos, pessoas mayores onze e menores duas; assim, tem este Lugar, com as Quintas, que de prezente são da sua freguezia, cento e vinte e sinco fogos, e pessoas mayores de ambos os sacramentos de Confissão e Comunhão, duzentas e noventa e sinco, e menores somente do Sacramento da Confissão, septenta e oito.
O orago da Igreja perochial hé Santa Luzia. Tem sinco altares: o altar mor, em que está o Santíssimo Sacramento collocado em Sacrario, tem no meyo hum paynel da Senhora da Roza, cujo orago foi antigamente, e do anno de mil seis centos a esta parte se mudou para o de Santa Luzia. Tem tambem de huma parte hum paynel de Santa Luzia e da outra o da Santa Agueda; e da parte do Evangelho tem huma imagem de S. João Baptista, que no dia delle do anno preterito, mandou collocar nelle o Prior actual desta Igreja; e da parte da Epistola está São Caetano; o altar collateral da parte do Evangelho hé da Senhora do Flozario, que hé imagem de vulto e o outro que fica da mesma parte do menino Deos; e collateral da parte da Epistola hé de Santa Luzia, aonde está a sua imagem, e o outro que falta para os cinco hé do Santo Christo das Almas, que tem Irmandade, e hé a unica que tem a freguezia. Não tem nave mais que o arco cruzeiro.
O Parocho hé Prior da aprezentação de Sua Magestade, por ser do seu Real padroado; rende duzentos mil reis.
Não tem Beneficiados, nem Convento algum, nem Hospital, nem Caza de Mizericordia, e assim não tenho que dizer do numero 9 thé o 12.
Tem tres Ermidas, a saber: o Divino Espirito Santo, ao simo do Lugar, e ao fundo S. Sebastião, e ambas ficam fora do Lugar; e a da Senhora do Castello, na Serra, ou outeiro assim chamado, que pertence ao povo, por ter obrigação de as fabricar de tudo o necessario. E a Aldea ou Quinta de Rebelhos tem a capella de Santo Apollinar, no simo da povoação, que fabricão de todo o necessario os moradores da mesma.
Não acode a ellas romagem com frequencia. Somente á dita Ermida do Castello costuma ir o povo desta freguezia em procissão, o segundo dia das Ladainhas de Mayo, e nella se diz missa; e no mesmo dia vem a ella o Rev. do Padre Cura do Lugar de Pennalobo, com os seus freguezes; e dos povos vezinhos vem a romagem á dita Senhora algumas pessoas, principalmente no tempo paschal.
Os frutos que os moradores deste Lugar recolhem em mayor abundancia, hé centeio, e todos os mais são em pouca quantidade.
Tem dous Juizes pedaneos: hum no povo ou Lugar, e outro comummente em algumas das Quintas do seu limite, sugeitos á Justiça ordinaria da Villa de Sortelha, donde hé termo.
Aos numeros 17,18, 19, não há que responder, por não ser couto, cabeça de concelho, nem há memoria de que nella houvesse ou della sahisse homem algum insigne em virtude, Letras, ou Armas. Nem feira há em dia nenhum do anno.
Não tem correyo, e se serve do da Guarda, que dista quatro legoas, ou do da Villa da Covilhã, que dista coatro para cinco legoas, que hum e outro chega ao Domingo de cada semana.
Dista da cidade da Guarda, capital do Bispado, coatro legoas, e da de Lisboa, capital do Reyno quarenta e oito legoas.
Privilegios não os tem em observancia, porque alguns que teve não estão em seu vigor, e por antigos se perderão; e outros pela mesma razão se não sabe o que contem, ainda que existem alguns instrumentos.
Não há nesta terra, nem perto della, fonte ou alguma lagôa celebre, nem as agoas que nelle há são conhecidas com virtude ou especial qualidade.
Fica esta terra em distancia do Mar, que discorre para Poente vinte e nove legoas, por isso não tem nem pode ter porto de Mar.
Hé terra aberta, e no sitio em que hoje está, nunca teve muros.
No terramoto do anno de 1755, não padeceu ruina.
E no que respeita aos itens do segundo interrogatorio, acerca da Serra, tem este povo ou lugar a Serra chamada da Senhora do Castello, que lhe fica ao Norte, e o lugar contiguo ás fraldas della, e se chama da Senhora por estar nella a Ermida da Senhora da Roza; e do Castello, por ser antigamente murada, e estar nella fortificação, pellos vestígios que ainda hoje se vem, assim como de cazas; mas não consta de que tempo, e dizem alguns ser prezidio, do tempo que os sarracenos existirão nas Espanhas; não tem braços, nem muita distancia, por ser pequena, nem della nasce rio algum.
As povoações que estão ao longo della, hé este lugar que lhe fica ao Nascente e proximo a ella, comoacima se disse, e a Quinta da Ribeira, entre Poente e Norte, e a das Galinhas ao Norte.
Algumas fontes nascem desta Serra, para huma e outra parte, mas não são conhecidas com propriedades raras.
Não consta que haja nella minas de metaes, ou canteiras de pedras finas, nem de outros materiaes de estimação; o que tem de muita abundancia hé de pedra grosseira, por estar quazi toda cercada de penhas.
As ervas medicinais que produz não são aqui conhecidas, por não haver erbularios que as saibão destinguir, nem uzam dellas; e muita parte della se cultiva e lavra para produzir centeo.
Não há nella Mosteiro; somente a Igreja ou Ermida da Senhora do Castello, aonde vão de romagem nos dias acima ditos.
O seu temperamento hé algum tanto frio e ventozo.
Alguns gados se crião nella, a saber: cabras e ovelhas, a caça de perdizes, e mais de coelhos, e rapozas, que se crião entre os penedos e grandes barrocos que há, assim nesta Serra, como em outros montes que ficão fronteiros a este lugar, para a banda do Nascente, e lobos que se crião assim neste lemite como em os mais do termo de Sortelha, por ter muitas penhas, cujos animais cauzão prejuizo muitas vezes nos gados e criação dos lavradores destas povoações.
Não tem lagoa alguma, nem tojo notavel.
Esta terra não tem rio de nome, mas sim alguns Ribeiros pequenos: dous nascem do Cabeço das Fragas, que fica já no termo da cidade da Guarda, pouco mais de huma Iegoa. Hum delles vem discorrendo á Quinta do Ribeiro, donde toma o nome, e o outro vem descendo da Quinta dos Bacellos a dos Peneiros, e se vem ajuntar ambos, pouco assima da Quinta da Ribeira, que toma o nome por ahi se ajuntarem quatro Ribeiros: estes dous assima, e outro que principia na Quinta do Souto e vem á de
Santo Antonio, onde se lá vem ajuntando alguns regatos que discorrem entre esta Quinta e a do Manteiro; e do Cabeço do Gato, para a parte do Poente, vem discorrendo outro pequeno Ribeiro que se vem ajuntar com os outros tres; e todos quatro se unem por baixo da referida Quinta da Ribeira; e no Inverno tem muitas vezes bastante agoa; mas fora de trovoadas se passa sem ser necessario ponte.
Da Quinta da Ribeira para baixo, athé o fundo dos Moinhos, vai algum tanto enfragada; corre do Norte ao Poente; Não cria peixes, porque de Verão secam as suas agoas.
As suas pequenas margens se cultivão para centeo, e tem alguns pequenos tapados para ortas, e algumas figueiras e parreiras e castanheiros.
Não tem nome proprio, conforme o sitio por onde discorre assim lhe dão o nome: quando passa por onde estão os Moinhos, se chama a Ribeira dos Moinhos, e dali para baixo lhe chamão a Ribeira de Adão, onde se mete outro pequeno Ribeiro chamado da Corga, athé dar no assude de hum Lagar de azeite, e daqui para baixo, a Ribeira do Lagar.
Não tem ponte de cantaria por lhe não ser necessaria; tem huma de pao, junto ao Lagar, com seo cortamar.
Abaixo da referida Quinta da Ribeira, tem quatro moinhos de moer pão e hum lagar de azeite, que antes e depois da sua factura tambem moi pão com a mesma roda; e não tem outra casta de engenhos. E por cima da dita Quinta, em cada hum dos Ribeiros dela, tem tambem alguns moinhos, que por todos são sinco ou seis, que andão somente no Inverno, quando há muita agoa.
Há mais outro Ribeiro, que tambem nasce fora do lemite deste Lugar, junto da Quinta de Val de Nicolao, da freguezia de Penalobo, em distancia de legoa, e vem entrando no Iemite deste Lugar, lhe chamão o Ribeiro de Pereira, e dahi, oouza de tres tiros de balla, se começa a enfragar, entre dous montes fragozos, que ficão ao Nascente deste Lugar, e ao sahir delles, tem hum moinho de moer pão, e pouco abaixo, hum lagar de azeite, donde toma o nome, o qual fica perto do Lugar, que em annos secos, e que não chove de Inverno, pouco ou nada trabalhão, como sucedeo nos annos de 1752 e 1753. E pouco abaixo, no caminho que vay para Sortelha, tem huma ponte de pao, a que chamäo Pontão. E do assude do mesmo Lagar, tirão huma levada de agoa quando a há, para regarem algumas propriedades e chãos, que semeião de linhos.
E logo por baixo do sobredito Pontão, está outro moinho de moer pão; e daqui vai descorrendo athé a Fonte do Prado, onde se ajunta com a Ribeira do Lagar; e deste sitio para baixo se chama a Ribeira das Alvercas, e se vay meter no sitio do Reixido em outra Ribeira como esta, que tem o seu nascimento em os montes ou cabeços que estão por sima das Quintas do Clerigo e Quarta Feira, que são do lemite e freguezia da Sortelha, aonde entrão dous pequenos Ribeiros, que vão do lemite deste Lugar, hum chamado da Malhada Velha, e outro dos Carvalhos que de Verão secão inteiramente.
Do Reixido para baixo, pouco mais de dous tiros de baila, entra no lemite do Lugar das Enguias, que hé termo da Villa de Bellomente, e discorrendo pouco mais de huma legoa, se vai meter na Ribeira do Lugar de Caria, e dahi em outra tanta distancia, pouco mais ou menos, no Rio Zezere, nas direituras da Covilhã, o qual vai dezagoar no Tejo, junto da Villa de Punhita.
Não consta que se tirasse, em tempo algum, ouro das suas áreas.
O povo uza livremente das suas ágoas, sem pagar penção alguma.
Hé o que pude achar e descobrir para informar e responder aos itens dos tres interrogatorios. E para constar, me assigno.
Bendada, 3 de Mayo de 1758.
O Prior de Santa Luzia do Lugar da Bendada
João Pinto Pereira de Figueiredo e Castelbranco.»

Ver perguntas do inquérito. Aqui.
Fonte: Alfaiates-Na órbita da Sacaparte. Autores: Pe. Francisco Vaz e Pe. António Ambrósio.
(Continua.)

jcl

Deixar uma resposta