Como construir um concelho com futuro (4)

Ramiro Matos - Sabugal Melhor - © Capeia Arraiana (orelha)

Não existirá futuro para o Concelho do Sabugal se não houver qualidade de vida para os seus habitantes, isto é, se não houver condições de vida que tornem o Concelho um local bom para viver.

Aquilo que leva uma família a fixar-se num território, se é condicionado em grande parte pela proximidade do seu local de trabalho, depende quase sempre muito mais das condições que o local apresenta para que os membros da família possuam níveis de qualidade de vida que os satisfaçam.
Um Concelho com futuro obriga assim os decisores políticos a «melhorar os níveis de qualidade de vida dos sabugalenses, criando as condições necessárias para inverter o processo de desertificação crescente do nosso território», isto é, criando condições para que as famílias considerem mais vantajoso viver no nosso Concelho que nas terras vizinhas.
E isso não se consegue com intenções piedosas, consegue-se olhando para cada habitante na totalidade do seu percurso de vida, isto é, desde que nasce até que morre, e considerando como uma das prioridades de ação a garantia de níveis de qualidade de vida pessoal e social atraentes para todos e para cada um dos cidadãos.
Devem assim ser tomadas opções que levem os pais a considerar que vale a pena ter filhos, porque estes encontrarão um ambiente sabugalense favorável para nascer e crescer, mas é também necessário que essas famílias se sintam bem a viver no Concelho.
Não admirará, assim, ninguém que eu reafirme as opções que constituiam uma parte significativa do programa eleitoral que o Partido Socialista liderado pelo Toni apresentou em 2009, destacando eu as seguintes:

– Criar o Programa «Novo Sabugalense», de apoio aos pais durante o período de gravidez e nos primeiros seis meses de vida da criança;
– Garantir que a rede de creches, jardins de infância e pré-primária têm capacidade com qualidade para acolher todas as crianças nascidas no Concelho, em parceria com a rede solidária e privada;
– Criar o Programa «O meu livro escolar», distribuindo gratuitamente os manuais aos alunos do 1º Ciclo e comparticipando a aquisição dos manuais aos alunos dos 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário;
– Melhorar os Transportes Escolares, diminuindo os tempos de deslocação e de espera;
– Transformar, em parceria com a comunidade escolar, as escolas do Concelho (Públicas e Privadas), em Escolas Digitais.
Ampliar, em parceria com as escolas, os pais e a rede solidária e privada a rede de ATLs, criando ao mesmo tempo uma oferta de salas de estudo orientado;
– Construir os Centros Educativos do Sabugal e do Soito;
– Criar um Centro de Formação de Excelência que promova formações técnico-profissionais e tecnológicas dos níveis III e IV em áreas como a agricultura, a energia e o ambiente e a economia social;
– Criar, no âmbito da Rede Social concelhia, o «Plano Integrado de Prevenção das Toxicodependências»;
– Criar um Centro de Ciência Viva ligado às questões da natureza;
– Estabelecer uma parceria com a Escola Secundária do Sabugal visando integrar no curriculum escolar as questões do empreendedorismo jovem;
– Criar o programa «férias de verão», de ocupação dos tempos livres das crianças e dos jovens sabugalenses em tempo de férias;
– Rever o Plano de Desenvolvimento Social e elaborar o Plano Plurianual;
– Criar a figura de um «observador» sobre a situação social de cada freguesia com a obrigação de permanentemente alertar para situações de carência e inadaptação;
– Alargar a todas as freguesias o acesso à Internet em banda larga gratuito e universal e de Espaços Internet públicos e gratuitos;
– Criar o Programa «Sabugalense Jovem», favorecendo a fixação de jovens no Concelho;
– Criar o Programa «Trabalhador Sabugalense Jovem», favorecendo a contratação de jovens por empresas e outras Instituições sedeadas no Concelho;
– Criar o Programa «Empresário Sabugalense Jovem», favorecendo a criação de empresas por jovens;
– Criar em parceria com as Instituições Universitárias e Politécnicas da Região o «Prémio de Inovação Empresarial», destinado a incentivar o aparecimento de projetos empresariais inovadores da iniciativa de jovens empreendedores;
– Criar o Programa «Noivos Felizes», apoiando os novos casais sabugalenses quer do ponto de vista financeiro, quer fiscal;
– Estabelecer parcerias com as entidades bancárias para a criação de sistemas de apoio bonificado aos jovens empreendedores do Concelho.

Eram propostas concretas e, quase sempre, de concretização imediata, mas que contribuiriam, não tenho dúvidas, para que as famílias encontrassem um ambiente mais favorável ao seu desenvolvimento pessoal, logo que cativassem as famílias a permanecer no Concelho.
O que dirão sobre este tema as propostas eleitorais de 2013?…
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

Deixar uma resposta