Paixão de Jesus em Vilar Maior

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

A encenação ao vivo da vida de Jesus, a sua entrada triunfal em Jerusalém, a última Ceia e a paixão e morte na cruz são baseados no texto bíblico do Evangelho de São Lucas com aportações dos Evangelhos de São João e São Mateus. A representação está marcada para Vilar Maior no dia 29 de Março, às 21 horas.

Paixão segundo São Lucas - Vilar Maior - 2013 - Capeia Arraiana

Paixão de Jesus – Ruivós – 2012

A encenação da «Paixão de Jesus segundo São Lucas» ajudar-nos-á a preparar e a viver melhor o maior acontecimento da nossa fé: o Mistério Pascal de Cristo. Mas servirá também para conhecer ou recordar o rico património histórico, cultural e religioso desta terra plantada entre o Côa e o Cesarão.
Não esquecemos a antiquíssima origem e fundação desta povoação, que se perde nos tempos. Não esquecemos o tempo em que os romanos dominaram estas terras. Não esquecemos o tempo em que, segundo contam os historiadores, o rei de Leão conquistou este território aos mouros (talvez 1139 – anterior à fundação de Portugal). Não esquecemos o tempo em que o rei poeta, D. Dinis, no castelo do Sabugal, em 1296 confirmou o foral antigo. Não esquecemos o tempo da edificação de grande parte do património edificado desta aldeia histórica: destacam-se o altaneiro Castelo com sólida Torre de Menagem; a Cidadela ainda com parte das suas muralhas; a
Igreja de Santa Maria do Castelo; o Pelourinho; a antiga Cadeia e Casa de Câmara; a Igreja da Misericórdia; a Igreja Matriz
dedicada a S. Pedro; a Capela do Divino Senhor dos Aflitos; a Capela de S. Sebastião; e outras obras patrimoniais, algumas já
desaparecidas, outras alteradas… Não esquecemos a história desta terra, que ao longo destes séculos de cristianismo pertenceu a vários bispados: bispado de Lamego, bispado de Ciudad Rodrigo, Pinhel e finalmente Guarda (Egitâniae).
Mas, neste momento, não recordamos apenas as realidades exteriores. Recordar apenas pedras ou terras é esquecer o que de mais importante constitui a verdadeira identidade de um povo: as pessoas, as suas gentes.
Neste momento, o que nós efectivamente recordamos são as gentes desta terra: os que aqui nasceram, viveram e morreram; os que aqui têm as suas raízes ancestrais; os que aqui têm a sua identidade; os que ainda aqui vivem; os que têm Vilar Maior no coração e no sangue.
Que o Senhor nos ajude a preservar tanta história, tanta identidade, tanta religiosidade. Que o Senhor nos ajude a realizar com simplicidade e dignidade esta «Via Cruxis», o caminho da Cruz que nos leva à Glória. Que tudo seja para a maior glória de Deus!
Vilar Maior, Quaresma de 2013
Pe. Hélder José Tomás Lopes

Ficha Técnica da representação
Organização: Unidade Paroquial do Planalto do Côa, Paróquia de São Pedro de Vilar
Maior, Junta de Freguesia de Vilar Maior.
Adaptação do Texto: Padre Hélder Lopes.
Coordenação: Padre Hélder Lopes e João Reis.
Apoio técnico: António Cunha e Manuel Leitão.
Colaboração: «Couros de Cabra» de Badamalos e «Guardiões da Lua», de Quarta-Feira.
Apoios: Câmara Municipal do Sabugal
Patrocínios: Confecções Torre
jcl

Deixar uma resposta