Confraria do Bucho Raiano em Almeida

Confraria Bucho Raiano - Capeia Arraiana (orelha)

A Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, marcou presença no V Capítulo da Confraria dos Aromas e Sabores Raianos, realizada em Almeida no sábado, dia 2 de Março.

Foto de Família em Almeida

Foto de Família em Almeida



Os confrades do Bucho Joaquim Silva Leal, Delfina Leal e António Gata, representaram a Confraria sabugalense em mais uma deslocação a capítulos de outras confrarias, tendo por objectivo retribuir a visita que os confrades de Almeida fizeram ao capítulo realizado nos Fóios no dia 9 de Fevereiro e contribuir para afirmar a Confraria do Bucho no movimento confrádico nacional.
O Grão-Mestre da Confraria do Bucho, Joaquim Silva Leal, esteve ainda na qualidade de vice-presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas (FPCG) e proferiu como tal uma comunicação na cerimónia de entronização dos novos confrades.
A Confraria de Almeida recebeu as confrarias convidadas na sua sede social, de onde saiu um cortejo até às Casamatas, onde o presidente da Câmara Municipal de Almeida e juiz da Confraria, António Ribeiro, recebeu os convidados e lhes deu as boas vindas. Realizou-se depois uma visita ao Museu Militar. Depois a comitiva rumou a Vilar Formoso, ao pavilhão multiusos, em cujo auditório se realizou a cerimónia de entronização, seguida do banquete que juntou todos os convivas à mesa para degustação da gastronomia raiana.
O Capítulo realizou-se sob o lema «Aventuras de comeres, beberes e saberes» e pretendeu, segundo a confraria anfitriã, contribuir para a afirmação de Almeida como «Capital da Gastronomia raiana».

Transcrevemos um excerto da importante intervenção que o vice-presidente da FPCG proferiu na cerimónia de entronização:
«É um propósito do actual Conselho Directivo da Federação, marcar presença em todos os capítulos, promovidos pelas diferentes confrarias.
Em 2001, apenas oito confrarias se associaram à Federação e, hoje, são mais de setenta confrarias.
Pretendemos, assim, dar um sinal de proximidade, junto das confrarias associadas.
Mas, é também, uma forma de transmitir e fazer passar a mensagem deste Conselho Directivo.
A Federação tem de ser e vai procurar sê-lo, agregadora de todas as confrarias gastronómicas ao ponto de todos aqueles que procuram dignificar a nossa gastronomia, se sintam abrangidos pela chancela da Federação.
Pretendemos que o nosso mandato, seja um mandato virado para a vertente cultural e, sobretudo, para a vertente económica, na valorização e promoção dos produtos tradicionais e na dinamização das economias locais;
Não duvidamos que a prestigiada confraria dos Aromas e Sabores Raianos é, hoje, uma verdadeira embaixada na defesa da gastronomia das gentes raianas, na sua dimensão social e cultural;
O uso que o turismo faz deste património, vem determinando que a gastronomia adquira cada vez mais importância para promover um destino e para captar correntes turísticas.
O turismo e a gastronomia são inseparáveis porque a gastronomia é um produto estratégico.
– Não é possível pensar em turismo sem prever a alimentação para curta ou longa permanência, onde o viajante não pode abster-se dela e, desta forma, tendo sempre a experimentar a cozinha local.
De facto, quando falamos de gastronomia temos de ter a consciência de que, através da alimentação, é possível visualizar e sentir tradições.
A gastronomia é também memória, opera muito fortemente no imaginário de cada pessoa e está associada aos sentidos.
Odor, visão, sabor e até audição;
Destaca as diferenças, as semelhanças, as crenças e a classe social a que se pertence por carregar as marcas da cultura.
Termino com um desejo:
Que a Confraria dos Aromas e Sabores Raianos continue a ser um veículo de promoção da gastronomia, da cultura e do património na zona da raia, como uma associação cultural de profundo significado para a região que representa.»
plb

Deixar uma resposta