Politique d’abord – Charles Maurras

Manuel Leal Freire - © Capeia Arraiana

Charles Maurras, um ensaísta praticamente desconhecido no nosso tempo, foi o mais influente guia do pensamento político direitista mundial nas primeiras décadas do século passado.

Charles Maurras - Manuel Leal Freire - Capeia Arraiana

Charles Maurras

Como autor realista que efectivamente era considerava a economia mais importante que a política dado o seu objecto que e o bem-estar dos cidadãos e o progresso da cidade.
Mas exactamente por isso, precisamente pela sua muito maior importância, é que deve vir depois.
Ou seja a economia é um fim e a política um meio para a atingir. A economia é uma meta e a política um caminho que há-de levar à meta.
É este o verdadeiro sentido da expressão politique d’abord, tantas vezes, no entanto, muito deturpado, pelo que o próprio Charles Maurras se sentiu na necessidade de o esclarecer nas páginas de L‘Action Francaise.
Transcrevamos traduzindo:
As pessoas que dizem economie d’abord não entendem as palavras que usam ou que são obrigadas a subentender.
A política económica é uma política.
Mesmo para entender certas questões económicas julgadas vitais é necessário antepor-lhes uma organização política, uma acção política, com meios que sejam políticos.
São necessários mandatários, agentes, polícias, burocratas…
É destes corpos que depende a concepção, a elaboração, a aplicação das leis, que podemos chamar económicas ou postar-lhes outras etiquetas.
Se o meio político é bem concebido, bem forjado, bem adaptado, bem aplicado, pode servir, senão, não…
É que Maurras tinha pressentido perfeitamente que se a Política se regia pela Economia, cedo ou tarde cairia nas mãos dos grandes interesses tornados os donos ocultos da Causa Pública, tudo subordinando aos mecanismos do lucro.
«Politique d’ Abbord – Reflexões de um Politólogo», opinião de Manuel Leal Freire

Deixar uma resposta