O concelho do Sabugal em 1942 (11)

Anuáriio Comercial Portugal - 1942 © Capeia Arraiana

Continuando a fazer a caracterização do concelho do Sabugal no ano de 1942, com base na 62.ª edição do Anuário Comercial de Portugal, vamos agora expor quem eram os agricultores, os proprietários, negociantes e profissionais de três freguesias do concelho: LOMBA, MALCATA e MOITA.

LOMBA DE PALHEIROS
Esta freguesia situa-se a 12 quilómetros da sede do concelho e a 12 da estação de caminho-de-ferro do Sabugal. Tinha uma população de 260 habitantes.
Serviços institucionais, actividades económicas e profissionais:
Presidente da Junta de Freguesia: Fortunato Môcho.
Juiz de Paz: Luiz Nunes, que tinha por escrivão António Joaquim Rodrigues.
Pároco: José Pires de Paula.
Regedor: Joaquim Antunes Pires Leal.
Posto do Registo Civil: Joaquim Antunes Pires Leal (ajudante).
Encarregado do Correio: Joaquim Antunes Pires Leal.
Professora: Pilar de DeusJanela.
Lavradores (4): Francisco de Andrade (herdeiros de), Joaquim Antunes Pires Leal, Manuel Leal Fernandes, Manuel Pereira Figueiredo.
Fábricas de sabão (2): José Faria, Luiz Nunes.
Vendedor de fazendas: António Job.

MALCATA
Esta freguesia situa-se a 7 quilómetros da sede do concelho e a 26 da estação de caminho-de-ferro Do Sabugal. Tinha uma população de 721 habitantes.
Serviços institucionais, actividades económicas e profissionais:
Presidente da Junta de Freguesia: António Nabais da Cruz.
Juiz de Paz: João Alberto Pereira, que tinha por escrivão José Vaz Júnior.
Pároco: José Pereira.
Regedor: Joaquim António Nabais da Cruz.
Posto do Registo Civil: Abílio A. Martins (ajudante).
Encarregado do Correio: Narciso dos Santos.
Professores (2): Delfina Augusto e João Alberto Pereira.
Lavrador: Manuel Gonçalves Coelho.
Mercearia: Abílio Martins.

MOITA
Esta freguesia situa-se a 12 quilómetros da sede do concelho e a 14 da estação de caminho-de-ferro de Belmonte. Tinha uma população de 437 habitantes.
Serviços institucionais, actividades económicas e profissionais:
Presidente da Junta de Freguesia: José dos Santos.
Pároco: João Bernardo Martins.
Regedor: José Manuel Neto.
Encarregado do Correio: Mário Corista.
Professora: Nazaré da Ressurreição.
Mercearias (2): Jaime Augusto Martins e José dos Santos.
Lavradores (2): Joaquim Gonçalves Cameira e José Manuel Gonçalves Ladeira.
Vendedor de fazendas: José António Martins.

No próximo artigo falaremos da vida económica que existia em 1942 nas freguesias da Nave, Penalobo e Pousafoles.
Paulo Leitão Batista

Deixar uma resposta