Projecto Sepharad Lands na Casa do Castelo

Casa do Castelo - Sabugal ©‎ Capeia Arraiana (orelha)

Esta quarta-feira, dia 8 de Fevereiro, pelas 15 horas, vai ser apresentado no Sabugal, na Casa do Castelo, um projecto designado Sepharad Lands, o qual pretende desenvolver uma rede de promoção e apoio ao turismo cultural, com especial enfoque no património judaico sefardita.

Sepharad Lands - Casa do Castelo - Sabugal - Capeia Arraiana

Sepharad Lands – Casa do Castelo – Sabugal – Capeia Arraiana

O projecto Sepharad Lands, foi concebido para apoiar os empresários da região do Sabugal que têm actividade ligada ao sector turístico, garantindo-lhes o acompanhamento e a prestação de serviços de informação cultural, histórica e patrimonial aos visitantes, bem como transporte e estadias organizadas.
Segundo o comunicado hoje divulgado pela equipa que elaborou o projecto, o mesmo «surge da percepção que os operadores turísticos têm da necessidade de promover o estudo, preservação e promoção do património Sefardita da região como uma mais valia em termos de projecção turística».
A recente formação da Rede de Judiarias de Portugal, que reúne os municípios com património histórico judaico, foi a «janela de oportunidade para a promoção da região beirã junto de um mercado internacional específico que tem grande apetência por conhecer as suas raízes na Península Ibérica».
A necessidade de um tratamento e acompanhamento qualificado, trouxe à luz a ideia de se avançar na concepção de um projecto que envolveu o estabelecimento de parcerias «em torno de uma marca comum que tem a designação de Sepharad Lands».
«Os mercados alvo desta iniciativa são os mercados internacionais, com enfoque especial nos mercados da América do Norte, Estados Unidos e Canadá, nos países do Norte da Europa, da Europa de Leste e no Estado de Israel», refere o comunicado enviado à imprensa.
Trata-se de uma iniciativa de alguns empresários do Sabugal, estando porém aberta, segundo os promotores, «à integração de mais empresas da região que se queiram associar e participar no objectivo de proporcionar aos visitantes uma estadia de qualidade respeitando as suas crenças e hábitos».
A conjuntura de crise económica que o país e a região atravessam torna esta proposta aliciante por proporcionar condições para «um aumento de visitantes com o consequente incremento de potencial económico»
Os contactos do Sepharad Lands são: 00351 271 754 169 e 00351 962 408 648 (telefones) e sepharadlands@gmail.com (email).
O projecto pode ser visitado aqui.
plb

8 Responses to Projecto Sepharad Lands na Casa do Castelo

  1. João Valente diz:

    As oportunidades, aproveitam-se, ou não! Não é só o património safardita… associado a este devem complementar com o restante património (gastronomia, tradição, produtos locais de valor acrescentado, castelos, rio, paisagem, etc). Regra de Markting: o portefólio de produtos a oferecer é que faz a diferença, para conquistar um determinado nixo de mercado. Parabéns pela iniciativa.

  2. maria oliveira diz:

    Mais uma excelente iniciativa em prol do Turismo.
    Fico muito satisfeita por verificar que, no Sabugal, continua apostar-se no desenvolvimento do Turismo.
    Nota: Em finais de 2011, recebi com muito agrado um insentivo por parte da D. Natália Bispo para avançar com mais um projeto de desenvolvimento do Turismo nesta região.
    Fiquei muito sensibilizada e respondi de imediato, no entanto até ao momento não obtive qualquer resposta, pelo que gostaria que a D. Natália me confirmasse o seu endereço eletronico.

    Um grande bem haja
    Maria Oliveira

    • kim tomé diz:

      Exma. Maria Oliveira,
      Como deve imaginar desde a primeira reunião foi necessário desenvolver muito trabalho para que fosse possível chegar aqui.
      Como o trabalho que tem sido desenvolvido é realizado por muito poucas pessoas, não tem sido possível responder a todas as solicitações que nos têm chegado.
      Contudo para que se possa dar um encaminhamento adequado à sua situação solicitamos que nos contacte para o email do projecto sepharadlands@gmail.com
      Agora que foi cumprida esta fase do projecto poderemos dar mais atenção às situações que entretanto foram mantidas em suspenso, como é o caso da sua.
      Bem haja pela sua compreensão.

  3. Ramiro Matos diz:

    Uma óptima iniciativa que deve merecer o apoio de todos, desde os empresários da restauração e hotelaria e do comércio local à Câmara Municipal e às Juntas de Freguesia.
    Aos parceiros já assumidos do projecto um muito obrigado pelo espírito empreendedor que revelaram e, mais uma vez, pelo amor que demonstram pelo nosso Concelho.
    Dentro das minhas limitações contem comigo para apoiar e divulgar est projecto

    Ramiro Matos

    • kim tomé diz:

      Caro Ramiro Matos,

      Devo esclarecer o seguinte:

      1 – Concordo com a sua afirmação “deve merecer o apoio de todos, desde os empresários da restauração e hotelaria e do comércio local à Câmara Municipal e às Juntas de Freguesia” os que são competentes e têm iniciativa já estão juntos e a trabalhar os outros veja a seguir o que lhe posso dizer.

      2 – Não percebo como é que a Câmara o poderá fazer, pois o Presidente da Câmara do Sabugal na ultima assembleia Municipal, Não respondeu à minha pergunta sobre o que pretendia fazer relativamente à entrada do Sabugal na rede de judiarias, muito antes pelo contrário ainda foi indelicado e incorrecto perante a minha questão.

      3 – Não percebo como é que a Câmara vai poder apoiar, quando o arqueólogo da Câmara continua a afirmar que não há património judaico no concelho.

      4 – Não percebo como é que a Câmara vai poder apoiar quando vejo o nosso património a ser destruído todos os dias com a intervenção e apoio dos técnicos da Câmara.

      5 – Neste aspecto só vejo uma solução. Que se demita o executivo e que sejam demitidos os técnicos incompetentes. Sem isto a Câmara está formalmente impedida de fazer algo de útil para este e qualquer projecto que tenha em vista o desenvolvimento do Sabugal.

      É que para fazer as coisas o mais importante nem são os milhões de euros que a câmara tem no seu orçamento e que desbarata sem resultados, o mais importante é saber e imaginação, e isso é coisa que não abunda na câmara.

  4. kim tomé diz:

    João valente estou de acordo. Contudo, devo referir que consideramos todos os aspectos dos nossos patrimónios.
    Mas neste caso, é uma área especifica que merece a atenção deste projecto, pois infelizmente no nosso concelho as autoridades ainda não perceberam o valor histórico, patrimonial e ECONÓMICO que este património representa.
    Daí que os privados tenham sido convidados a integrar esta parceria que assim se propõe oferecer a quem nos visita dentro desta temática, oferecer serviços de qualidade que neste caso têm necessidades especificas.

  5. alcard8 diz:

    Embora com um pouco de atrazo, tambem na minha terra (Fornos de Algodres) se comecam a dar alguns passos decididos nesta area!
    Faco votos que o pedido de adesao a “Rede das Judiarias”, tambem seja aceite para Fornos e seu municipio.

    Um abraco beirao para todos os sabugalenses.

  6. José Morgado diz:

    O jornal diario gratuito METRO, à semelhança do DESTAK,distribuido na Grande Lisboa, principalmente nos transportes públicos,considerou como a Boa Noticia do Dia, nesta sexta- feira, a que abaixo se transcreve:

    » SABUGAL aposta no património judaico»

    »Um grupo de empresários do Sabugal, criou um consórcio com o objectivo de divulgar e rentabilizar as potencialidades do património judaico, existente na região, disse à Lusa um dos promotores. Segundo Joaquim Tomé, o projecto designado Spharad Lands ( Terras Sefarditas) visa proporcionar acompanhamento e prestação de serviços ao nivel da informação cultural, historica e patrimonial aos visitantes que pretendam conhecer o património e a história do concelho do Sabugal e de outros pontos do país, onde existem vestigios judaicos. O empresário adiantou que foi criada uma rede de 15 empresários do Sabugal que futuramente poderá ser alargada a outras zonas onde viveram os judeus ibéricos.
    Segundo Joaquim Tomé, o projecto apareceu no seguimento da formação da Rede de Judiarias de Portugal, que reune vários municipios com património histórico judaico, incluindo o do Sabugal»»

Deixar uma resposta