Nunca! «Jámé!»

Enquanto por cá discutimos quem ganhou o debate entre Dupont e Dupond, na noite de sexta-feira passada, ou então a televisão transmite directos sobre a chegada da equipa do Futebol Clube do Porto, após a sua vitória na Liga não sei de quê, os nosso vizinhos espanhóis estão a dar uma lição ao mundo.

João Aristides DuarteAcampados há vários dias na Puerta del Sol, em Madrid, grupos de manifestantes jovens e menos jovens estão a fazer uma Revolução. Essa revolta já alastrou a diversos países europeus e de outros continentes.
Ninguém os demove da Puerta del Sol, que se transformou na Praça Tahrir da Europa. Apesar de o Governo ter proibido essas manifestações, alegando que se estava em período de reflexão eleitoral, o certo é que os manifestantes não desmobilizam. Sabe-se que os Sindicatos da Polícia espanhóis já declararam que não vão
O que pedem os manifestantes na Puerta del Sol? Coisas tão simples como «Liberdade de Expressão», «Reforma da Lei Eleitoral» e «Nacionalização da Banca».
Em alguns dos cartazes que os manifestantes exibem pode ler-se: «Assim, não!», «Banqueiros ladrões», «Povos da Europa, Levantai-vos» ou «PP e PSOE, o mesmo capital».
Os manifestantes começaram por ser uma espécie de «Geração à Rasca» espanhola, mas a revolta depressa alastrou e comprometeu outras gerações.
Realmente é de admirar que surja na Europa um cartaz onde está escrito «Liberdade de Expressão», uma vez que essa mesma Europa se diz tão democrática. Cartazes desse teor fazem-me lembrar os que eram exibidos pelos manifestantes pró-democracia, nos idos de 1989, na RDA.
Afinal, parece que, por esta Europa tão civilizada e tão democrática, algo também está podre. É bem verdade que, quando se verificam tantas situações escandalosas, como os prémios aos gestores, as benesses aos banqueiros que arruínam a economia, as pessoas se revoltem… Os partidos do «arco da governação», em Espanha (sempre o PP ou o PSOE) acham que está tudo anestesiado com a «bola» e nunca pensaram que isto fosse mesmo a sério. Mas está a ser.
João DuarteÉ por serem sempre os mesmos a governar, em Espanha, que se pede a reforma da Lei Eleitoral, de modo a que se termine com esse bipartidarismo que só pode levar à frustração. É aquele estilo de «ora governas tu, ora governo eu», a única coisa que muda são mesmo os «boys», porque de resto é tudo igual. Em Portugal é a mesma coisa. Só não vê quem não quer. Já sobre os «banqueiros ladrões» em Portugal, nem vale a pena falar… O escândalo é tamanho que daria para uma série de Revoluções. Mas os tais “brandos costumes” são capazes de explicar alguma coisa.
No entanto, por cá, as pessoas estão mesmo anestesiadas e não se revoltam. Até tinham mais razões para o fazer, uma vez que irão sofrer com as medidas decididas pela Troika estrangeira e pela Troika portuguesa (PS/PSD/CDS). Serão os portugueses masoquistas? Ou, dito de outra maneira, quando é que os portugueses começam a ser como os espanhóis?
O título da minha crónica tem a ver com a imagem que a acompanha: realmente, eu estou completamente à vontade sobre isso. Desde a época em que pude votar, nunca, «jámé» os partidos do «arco da governação» contaram com o meu voto. E já lá vão mais de 30 anos. Uma coisa é certa: nunca tive, assim, razões para me arrepender do meu voto.
«Política, Políticas…», opinião de João Aristides Duarte

(Deputado da Assembleia Municipal do Sabugal)
akapunkrural@gmail.com

18 Responses to Nunca! «Jámé!»

  1. Pedro Pereira diz:

    Caro, também nenhum partido do arco governativo contou com o meu voto. Mas fazer alarde disso não me exime da responsabilidade de cidadão. Em quem votei? Será que votar nos irresponsáveis PCP/ BE nos pode transforma em gajos superiores ao resto da escumalha? O parlamento é feito de vários partidos e todos eles são responsáveis pela actual situação. Sim, bem sei que não tem nada contra os políticos. Mas eu tenho. Contra os portugueses, pelo menos. São ignorantes e almejam o afagamento do umbigo. Em política, essa nobre actividade, são defeitos mortais, como dizia o outro. Da esquerda à direita, não se encontra ninguém com vontade de abdicar de dogmas ou da sede de poder para contribuir para a melhoria de vida de todos os portugueses, afinal o objectivo da política.

  2. Antonio Emidio diz:

    Amigo Duarte, o povo europeu está a pedir DEMOCRACIA nas praças das suas cidades. Ainda há gente que pensa que na Itália de Berlusconi, ou na Alemanha de Merkel, existe Democracia… Para falar só nestes que são o exemplo máximo…

  3. vitor coelho diz:

    A propósito do preâmbulo, in fine, do artigo, devo acrescentar, para que não hajam dúvidas, que a rotunda vitória da Direita em Espanha, nas eleições do último domingo, não tem nada a ver …….. ! Mantem-se o velho “arco”… Aí sim. Toda a razão. Mas só concorreram dois partidos ?

  4. Joao Valente diz:

    As regras não estão a favor dos movimentos de cidadãos, mas dos aparelhos partidários. As eleições são uma fraude em que o truque está no embaralhar e no partir. Aí é que está o “busulis” da questão. Jogo viciado; sempre para os mesmos!

  5. João Duarte diz:

    Para o sr. Pereira: eu voto onde quiser… Não voto nos do “arco da governação” e nem tenho que dar mais explicações… Chama-lhes irresponsáveis… Pois sejam… Os tais que são muito responsáveis e nos conduziram a este estado é que não contam com o meu voto. Para si todos são responsáveis pela situação, para mim não… Visões diferentes…
    Para o sr. Coelho: Já lhe tinha dito que sabia em quem votava, não tinha? o sr. Coelho não disse que era independente (da Terra, da Terra)? Pois, independente, mas do PSD, não é? É como o outro que é independente, mas é do PSD e , alguns dizem que temos que votar nele, porque é do concelho. Então digo-lhe: ele é do nosso concelho, mas vai ter maior percentagem de votos em Aguiar da Beira (onde ninguém o conhece) do que no Sabugal. Vai uma aposta? Afinal ele é candidato pelo PSD. Isso é que conta, meu amigo. O resto é treta.

  6. João Duarte diz:

    Já agora, para o sr. Coelho: Porque será que nas eleições de ontem em Bremen, na Alemanha , não ganhou a Direita? Não é a Alemanha que não está em crise? Pois o partido de Angela Merkel sofreu uma pesada derrota, passando de segunda para terceira força política, atrás de Os Verdes. Os vencedores foram os sociais-democratas. E o Die linke (o equivalente a CDU/BE) conseguiu 6% dos votos. Já o Partido Liberal (de Direita) , aliado de Merkel, foi colocado fora do Parlamento Regional de Bremen…

  7. João Duarte diz:

    Ainda para o sr. Pereira: Eu sou daqueles que quando tenho a fama quero ter o proveito… Vejamos, nem que eu declarasse aqui publicamente que votava no PPD ou no CDS (e mesmo no PS) sei que ninguém acreditava em mim. Bastava que aparecesse na minha mesa de voto algum boletim com a cruz à esquerda do PS para dizerem logo que fui eu que a fiz. Portanto, se tenho a fama, quero ter o proveito… E gosto de ter esse proveito. Dá-me um prazer enorme!!!!

  8. Com todo o respeito, isso a mim não me interessa nada. Interessa-me debater ideias.

  9. João Duarte diz:

    Debater ideias? E então diz, logo à partida que os que não votam no “arco da governação” são irresponsáveis? Além de ir para o seu blog gozar com aquilo que eu escrevo e falar no “arco cagativo”?? Nãaa… Não quer debater ideias nenhumas… Quer é provocar, caro Pereira.

  10. Nunca escrevi que os que votam fora do arco governativo são irresponsáveis. Não deturpe, à boa maneira do lápis azul, o que eu escrevi. Mais uma vez, quero debater ideias. Não se agaste se não concordo consigo. Respeito as suas ideias, embora não concorde com muitas delas. O link que faço no tarrento ao seu texto é um sinal desse respeito. Pena que por pensar diferente de mim, não reconheça isso. Sei da sua cultura rockeira e por isso até pensei que achasse humor na chalaça do arco cagativo. Mas bom, se o ofende a minha liberdade de expressão, vou fazer por ficar caladinho quando me apetecer comentar um texto seu. Quieto e calado é melhor, não é? Pensar é perigoso…

  11. João Duarte diz:

    Mas não foi o sr. Pereira que escreveu isto? “Será que votar nos irresponsáveis PCP/ BE nos pode transforma em gajos superiores…” Isto não é o mesmo que dizer que quem vota neles é irresponsável?
    Que eu saiba os partidos não existem sem votos, logo os votantes nesses partidos que são irresponsáveis, também são irresponsáveis.
    Mas, agora, quer dizer que por eu ter cultura rockeira (como diz) tenho que achar piada às suas chalaças de mau gosto, lá no seu blog?
    E , sobre isso, eu sei bem o que escreveram sobre mim, no seu blog, porque eu gosto dos UHF e gostei dos Cadillacs que estiveram o ano passado na Festa da Europa.
    Pode comentar o que quiser nos meus textos, para debater ideias. Eu até gosto disso.
    Mas, desde já lhe digo, que eu nunca comentarei nenhum texto seu, no seu blog.
    Enquanto os comentei, até Agosto do ano passado, nunca recorri à chalaça de mau gosto!!!
    A sua liberdade de expressão, desde que não recorra à chalaça de mau gosto, não me ofende nada.
    E esse remate final (Pensar é perigoso) acha mesmo que deve ser dirigido a mim? Ou não errou no alvo?

  12. “Será que votar nos irresponsáveis PCP/ BE nos pode transforma em gajos superiores…” Isto não é o mesmo que dizer que quem vota neles é irresponsável? ” Não, não é. É uma questão de interpretação de português.

    Não sei porque nunca comentará um texto meu. Não percebo. Ou é o senhor que não os percebe?

    Gosto de UHF e fiquei positivamente interessado nos Cadillacs depois de ler a sua crítica abonatória. No Sabugal Tarrento cada um tem as suas ideias. Aquilo não é nenhum comité central.

    Tem razão, não errei o alvo. O senhor ofende-se com opiniões díspares das suas. É intolerante. Espero vê-lo, no futuro, mais disposto a discutir coisas da política, como diz que gosta de fazer. Cumprimentos

  13. João Duarte diz:

    Realmente , às vezes, os textos lá no seu blog são para mentes muitos superiores à minha… Eu sou um simples professor e não tenho capacidade intelectual para perceber o que escrevem no seu blog…É tudo muito alternativo e eu não consigo perceber… De qualquer maneira não me apetece, pura e simplesmente, comentar textos seus ou de outros , no seu blog, desde Agosto do ano passado.
    Eu não me ofendo com opinião diferentes das minhas, só que há um limite para tudo… Essa é a diferença… Eu nunca usei expressões como “arco cagativo” ou parecidas em trocas de opiniões consigo, aqui.
    Pense o que quiser sobre mim, refira o Comité Central, que eu não me ofendo… O sr. Pereira não deve saber bem o que é um intolerante… Não lida com eles…
    Os UHF e os Cadillacs tiveram direito , no seu blog, a muitos comentários, quase todos referindo-se a mim como um atrasadinho… Boa, boa, é mesmo a música alternativa, não é?

  14. João Duarte diz:

    Para o sr. Pereira, só uma informação: quando eu estudei na Guarda, nos idos dos anos 80 do século passado, um dos maiores amigos que tinha lá era militante do PSD. E não só militante, era também funcionário do PSD. Foram inúmeras as vezes que fui à sede do PSD , na Guarda, ter com ele. E , como eu já disse, nunca votei PSD. Sobre tolerância ou intolerância não recebo, portanto , lições do sr. Pereira.

  15. joao valente diz:

    Porrada; Pedro e Duarte!! LOL Molho!

  16. vitor coelho diz:

    Sr. Duarte: sejamos correctos. O que é que as recentes eleições em Bremem tem a ver com as realizadas agora em Espanha ?
    Por outro lado, sabe tão bem como eu, que o facto de ser independente num acto eleitoral, não obriga à mudança de convições. Não enganei ninguém. Limitei-me a pedir suspensão como militante do PSD enquanto durasse o convite do MPT, com as naturais consequências.

  17. João Duarte diz:

    AHH, sr. Vítor Coelho… Eu nem sequer sabia que era militante do PSD… Acabou de o dizer… Quer dizer, candidatou-se contra o seu próprio partido? Tudo bem, faça como entender… Agora, não me volte a dizer que é independente… Então já sei porque estava lá no tal almoço, mesmo ao lado da minha casa.
    Agora sobre Bremen ou Espanha: eram ambas eleições locais, portanto há semelhanças , sim senhor…

  18. João Duarte diz:

    Fico muito admirado , também, com a referência do sr. Vítor Coelho à figura de suspensão de militante do PSD. Segundo me informei, isso não existe. Basta referir que, ainda o ano passado, na Concelhia de Oliveira do Hospital do PSD foram levantados 80 processos com vista a expulsões de militantes que se candidataram por outros partidos , contra o PSD. Para o sr. Vítor será diferente? Quer dizer, pede a suspensão de militante (se é que isso existe) , candidata-se por outro partido contra o PSD e nada acontece?

Responder a vitor coelho Cancelar resposta