Uma investigação histórica

Se há décadas que têm géneros cinematográficos específicos, a década de 1970 ficou marcada pelos thrillers políticos. «Os Homens do Presidente» é um dos melhores exemplos.

Pedro Miguel Fernandes - Série B - Capeia ArraianaRealizado por Alan J. Pakula, que fez carreira com mais filmes do género, «Os Homens do Presidente» conta a história da investigação jornalística verídica que levou à demissão do presidente dos EUA Richard Nixon em 1974. Tudo começou no célebre assalto ao hotel Watergate, que deu nome ao escândalo, quando o Partido Democrata aí tinha a sua sede de campanha. O que parecia ser um simples assalto e um caso de polícia cedo se descobriu esconder segredos de um novelo bastante complicado.
E o desvendar da trama ficou a cargo dos jornalistas do Washington Post Bob Woodward, com poucos meses de tarimba, e Carl Bernstein, que antes deste caso esteve à beira do despedimento.
Os Homens do PresidenteEm «Os Homens do Presidente», que se baseia no livro homónimo sobre a investigação dos dois repórteres, é esta dupla interpretada por Robert Redford e Dustin Hoffman que toma conta das rédeas do filme e toda a acção gira em volta do que vão descobrindo, desde o julgamento dos quatro assaltantes, que se descobre terem ligações à CIA até aos diálogos com o Garganta Funda, talvez uma das fontes mais famosas do mundo, num parque de estacionamento.
Apenas o desenrolar do caso não é representado, pois o final do filme é feito com o início das notícias que contam o que se passou depois da publicação da primeira peça, onde eram referidas de forma mais clara as ligações entre a Casa Branca e os tais homens do presidente que minaram o percurso do candidato rival de Nixon, George McGovern.
Ver este filme quase 35 anos depois do seu lançamento é uma forma de descobrir como funcionava o jornalismo de investigação antes de a informação estar tão acessível como nos dias de hoje, graças à Internet. O exemplo recente do site Wikileaks, que trouxe a lume milhares de documentos secretos sobre a Guerra do Afeganistão, apenas veio provar que nada pode ficar escondido e mais cedo ou mais tarde a verdade acabar por vir ao de cima. Basta haver homens como Woodward e Bernstein para o fazer.
«Série B», opinião de Pedro Miguel Fernandes

pedrompfernandes@sapo.pt

Deixar uma resposta