Chouriços «Terras do Lince»

António Cabanas - Terras do Lince - Capeia Arraiana (orelha)

A partir de agora está disponível no mercado mais um produto «Terras do Lince». Trata-se de enchido feito de forma tradicional a partir de porco «Pata Negra». Os suínos são criados em Penamacor, em regime extensivo, em montados de sobro e azinho, a sul da Serra da Malcata, junto à fronteira. A montanheira em sub-coberto, sabiamente feita desde tempos imemoriais, num convívio sereno e ecológico e beneficiando reciprocamente árvores e animais, tem permitido a produção de uma carne suculenta, aromatizada e de sabor intenso.

Terras do Lince - Penamacor - Sabugal


A salsicharia, recentemente construída na vila raiana, no antigo matadouro municipal, pertence à empresa Vale do Alcaide e foi co-financiada pelo IEFP e pelo Penamacor Finicia. A Câmara cedeu o espaço em regime de comodato com prazo alargado, a empresa elaborou o projecto e executou as obras.
Os diversos tipos de paios e chouriços «Terras do Lince» poderão a partir de agora ser comprados em algumas cadeias de hipermercados nacionais, em França e na Suíça, juntando-se aos queijos, azeite, mel e doces já existentes. A estes produtos juntar-se-ão em breve azeitonas de mesa e outros produtos das terras do lince.
A marca, registada há dois anos pelo município de Penamacor, está disponível para produtos agro-alimentares e serviços e produtos turísticos dos concelhos integrantes da Serra da Malcata (Sabugal e Penamacor), e das regiões espanholas vizinhas Sierra de Gata e Alto-Águeda.
Os representantes destes quatro territórios reuniram-se recentemente em Hoyos para acertarem estratégias de cooperação transfronteiriça e lançarem projectos comuns aos instrumentos financeiros existentes. Há muito que os respectivos municípios cooperam nas áreas do turismo, da educação ambiental, da juventude e, genericamente, do desenvolvimento regional. As candidaturas ao programa POCTEP, antigo Interreg, estão agora abertas e as quatro regiões pretendem candidatar projectos nas áreas do Turismo, das energias renováveis, do emprego e em todas aquelas a que a cooperação possa conferir algum tipo de vantagem.
Um dos temas em discussão na reunião foi justamente a marca «Terras do Lince», em que a vontade de a aproveitar e potenciar foi consensual, para isso, deverá agora ser registada na União Europeia e apostar-se na sua promoção.
«Terras do Lince», opinião de António Cabanas

3 Responses to Chouriços «Terras do Lince»

  1. Muito bom aspecto. Parabéns.

  2. Manuel Godinho diz:

    Parabens às novas ideias, à acção construtiva e não ao bota-abaixo. As regiões do Interior têm muito potencial mas cada qual tem que fazer a sua parte; os políticos por um lado ( e este é um bom exemplo ) e os emprendedores locais por outro, mãos à obra que urge aproveitar as ajudas de Bruxelas que ainda existem até 2013.
    As pessoas que vivem nas cidades procuram os produtos tradicionais de qualidade e tambem procuram as zonas do interior para descansar e regressarem às origens por conseguinte o território Terras do Lince tem clientes só tem é que se desenvolver para vender produtos e receber pessoas, temos bons exemplos destes em Portugal.

  3. joao valente diz:

    È a valorização de um produto local, pela qualidade e procura de novos nixos de mercado. Um incentivo à produção local também.

Deixar uma resposta