Vai abrir época de pesca desportiva de 2010

O período autorizado para a prática desportiva da pesca nas águas interiores vai abrir já no dia 1 de Março, altura em que as margens do rio Côa se voltarão a encher de pescadores ávidos de capturar a saborosíssima truta das suas águas frias.

Campeonato Mundial Pesca Truta SabugalO início da época de pesca é sempre um momento muito aguardado pelos amantes dessa actividade, que desde há muito anseiam pelo momento. Uns vão para montante e outros para jusante, de cana em punho e cesto a tiracolo, esperançados em pescar boas trutas. Alguns vão mesmo em conjunto, fazendo desse dia uma jornada de festa.
Na Rapoula do Côa a Associação Cultural e Recreativa local preparou a realização de um convívio, que juntará os pescadores após os primeiros «lançamentos» e onde se espera degustar as primeiras trutas do ano.
Os maiores de 16 anos podem obter a respectiva licença de pesca, desde que não estejam sujeitos a medida de proibição de pescar por disposição legal, decisão administrativa ou decisão judicial.
A pesca tem contudo regras e o seu desrespeito pode originar coimas pesadas que convém evitar.
A primeira das regras é a de que o pescador tem que estar munido de licença para o efeito. Outro dever é o de devolver imediatamente à água os peixes cuja captura não esteja autorizada. Há ainda a absoluta proibição de se usarem quaisquer meios ou processos de pesca que não se destinem a capturar o peixe pela boca.
Para além das coimas, que variam entre os 5.000 e os 50.000 euros, a condenação por qualquer crime ou contra-ordenação pode implicar ainda a interdição do direito de pescar e a perda, a favor do Estado, dos objectos que serviram ou estavam destinados a servir para a prática da infracção e ainda os produtos dela resultantes.
A licença de pesca lúdica em águas doces, também chamada licença de pesca desportiva, pode ser obtida através das caixas multibanco. Para tal os pescadores devem aceder aos menus «pagamentos e outros serviços» e seguidamente a «Estado e Sector Público» até deparar com «Licenciamento de Pesca Lúdica», devendo então seguir as instruções subsequentes que surgem no ecrã.
No Sabugal as licenças podem ser ainda obtidas nas seguintes casas comerciais:

António Manuel & David Alexandre, Lda
Rua Cidade da Guarda, nº20
6320-360 Sabugal

César Augusto Portas, Café e Mini-Mercado
Estrada Nacional, nº38
6320-283 Rendo

Palmira de Jesus Lareia Afonso «Pamel Sport»
Rua Barbosa do Bocage, nº3
6320-355 Sabugal

Robert´s Bar
Rua 5 de Outubro
6320-344 Sabugal

Coyote Bar
Rua dos Pontões, nº 21
6320-392 Sabugal

A Câmara Municipal do Sabugal adiantou a informação de que o rio côa será repovoado com cerca de três mil trutas, ainda antes do dia 1 de Março.

Concessão do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas. Aqui.
plb

3 Responses to Vai abrir época de pesca desportiva de 2010

  1. Anónimo diz:

    concordo com conseçoes mas do modo que esta feito so da para ricos e o pessoal do sabugal onde vai pescar? e a evuluçao da chuliçe

  2. António Moura diz:

    Fiquei aparvalhado ao ler o regulamento em ficheiro PDF a que temos acesso em http://www.afn.min-agricultura.pt/portal/pesca/concessoes-de-pesca-desportiva/guarda/p_concessao_de_pesca_do_rio_coa_-_concelho_de_sabugal.2008-03-29.8957003776

    O dito regulamento atribuí a mesma protecção quanto às medidas permitidas para a captura do peixe, quer se trate de espécies infestantes como são as aí referidas Achigã e Carpa, quer se trate da nossa truta Fario.
    Para o Ministério da Agricultura as espécies infestantes estão em pé de igualdade com as espécies nativas, e se um pescador apanhar uma Carpa ou um Achigã com menos de 20 cm, deve imediatamente devolve-lo à água para (suponho eu) desequilibrar o mais possível o ecossistema fluvial, e sobretudo no caso do Achigã, particularmente nocivo para a nossa truta que não dispõe de defesas contra outros peixes por ser ela a senhora que dominou estas águas durante milhões de anos. Será que não era possível introduzir nestes regulamentos alterações que visassem uma eliminação gradual de todas as espécies exóticas em favor de uma continuada protecção às espécies nativas? E as associações de pesca desportiva a quem são atribuídas as concessões, o que andam elas a fazer?
    Parece-me que tudo se resume a dár o tiro no coelho ou apanhar o peixe pela boca seja lá ela qual for…

  3. fernando lopes diz:

    Concordo em absoluto com o que diz Sr. António Moura.
    É por essas pequenas coisas que se começa a defender o que é realmente nosso. A truta Fario, dentro em breve será uma espécie extinta, com tanta porcaria que se introduziu no rio!
    Deveríamos esperar que ‘lá de cima’ (ministério, técnicos…) houvesse essa preocupação! Mas daí sabemos que nada se faz e, na maioria das vezes, quando faz, faz mal!
    Por isso, deveríamos ser nós a ter essa preocupação! Pois somos nós que beneficiamos! E o rio, é um recurso essencial para o concelho. Contudo é completamente ignorado e maltratado… O concelho lamentará tal abandono…

Deixar uma resposta