Penamacor aposta em mais dois parques eólicos

António Cabanas, vice-presidente da Câmara Municipal de Penamacor, revelou que está a ser negociado com a empresa Generg a instalação de dois novos parques eólicos junto às freguesias de Vale da Senhora da Póvoa, na Serra d’Opa e de Salvador na Serra do Ramiro.

António CabanasEm declarações ao programa radiofónico «Dar que Falar», da Urbana FM, o vice-presidente da Câmara Municipal de Penamacor, António Cabanas, esclareceu que a Serra d’Opa, na freguesia do Vale da Senhora da Póvoa e a Serra do Ramiro junto à aldeia de Salvador na zona sul do concelho poderão receber em breve dois parques de energia eólica.
Um dos parques poderá atingir cerca de 50 megawatts de potência produzida com a instalação de 16 aerogeradores pela empresa Generg que já tem investimentos semelhantes na Serra da Gardunha e no Pinhal Interior.
Actualmente são produzidos no concelho de Penamacor cerca de 60 megawatts de energia através da empresa Tecneira junto ao Meimão e na Serra de Santa Marta.
De acordo com uma notícia publicada pelo jornal «Reconquista» a Câmara Municipal de Penamacor pretende ser compensada pela impossibilidade de exploração do potencial eólico da Serra da Malcata que António Cabanas «considera ter um grande potencial mas que não pode ser aproveitado devido às restrições do plano de ordenamento desta área protegida» acrescentando ainda que «há um grupo espanhol que vai instalar um parque eólico do lado de lá da raia e nós estamos em negociações porque achamos que temos direito a uma compensação porque ficamos impossibilitados de instalar um parque na mesma cumeada mesmo com a fronteira pelo meio». «Temos que defender os nossos interesses», disse ainda António Cabanas.
jcl

One Response to Penamacor aposta em mais dois parques eólicos

  1. António Moura diz:

    Os baldios de Quadrazais, situados na R.N.S.M., constituem seguramente uma das áreas no Concelho do Sabugal com mais potencial para produção eólica, segundo responsáveis do ramo, poderia albergar até 30 geradores.
    O impacto ambiental negativo seria seguramente muito inferior ao provocado pela alteração do coberto vegetal protagonizado no passado pelo então I.C.N., e seria nos dias de hoje uma mais-valia para o nosso interior, para o ambiente, e por isso mesmo para as pessoas…
    Gostava de ouvir candidatos a “responsáveis políticos” do nosso concelho falarem em defesa do interesse das pessoas, tal como o fez o vice-presidente da Câmara Municipal de Penamacor, António Cabanas.«Temos que defender os nossos interesses»…

Deixar uma resposta