Câmara aposta no Cró e na ligação à A23

A Assembleia Municipal do Sabugal, realizada no dia 28 de Dezembro, aprovou o orçamento e as grandes opções do plano para o ano 2008, onde avultam os investimentos no parque termal do Cró, ligação da fronteira à A23, pólo empresarial do Soito, zona empresarial do Sabugal, melhoria de algumas acessibilidades e a requalificação urbana de Vilar Maior.

Termas do CróPara o presente ano a Câmara prevê gastar quase 28 milhões de euros, entre despesas correntes e de capital. O plano de investimentos ultrapassa os 17 milhões e estende-se por variadas vertentes, com especial destaque para as acessibilidades onde se gastarão mais de 5 milhões, metade dos quais para a ligação do concelho à auto-estrada. Ainda dentro deste campo há avultadas verbas para a conclusão dos trabalhos na estrada de Malcata e da ligação da Moita a Sortelha, bem como na abertura e melhoria de caminhos rurais.
Outra rubrica importante é a do saneamento básico, onde se investirão mais de 5 milhões de euros para se concluírem obras em curso nalgumas aldeias e se iniciarem no Cardeal e em Rebelhos.
Às Termas do Cró a Câmara prevê afectar quase um milhão e 800 mil euros para conclusão das infra-estruturas básicas, construção do balneário e aquisição de terrenos. Outros investimentos importantes serão a conclusão das obras e o equipamento do pólo empresarial do Soito, na antiga fábrica da Cristalina, onde se gastarão 600 mil euros. O mesmo montante será afecto à implementação da zona de localização empresarial do Sabugal, no Alto do Espinhal.
Uma aposta da autarquia é na defesa do meio ambiente, afectando-lhe mais de 700 mil euros, que na sua quase totalidade irão para obras de recuperação das margens e das pontes do rio Côa e afluentes.
É ainda de realçar a finalização das obras de requalificação urbana em Vilar Maior, que importarão em quase 750 mil euros, o projecto Sabugal Concelho Digital com cerca de 250 mil, a elaboração de estudos e projectos com quase 160 mil, a educação com perto de 190 mil, o desporto e cultura com mais de 60 mil, e o apoio a micro e pequenas empresas com 100 mil.
plb

Deixar uma resposta