Terma do Cró (Sabugal)Após anos de hesitações e de sucessivos anúncios de intenções, iniciaram-se finalmente as obras de recuperação das Termas do Cró.

A empresa Somague tem a seu cargo as obras de construção de infra-estruturas nas Caldas do Cró, adjudicadas pela Câmara Municipal do Sabugal após concurso público.
O folhetim da recuperação das termas vem já desde 1999, em sucessivos episódios.
Em 2 de Novembro de 1999 o Correio da Manhã anunciava a boa nova: «Câmara Municipal do Sabugal recupera Termas do Cró.» Assim se dava o mote a uma recuperação eminente. O facto é reforçado pelo Jornal do Fundão em 22 de Outubro do mesmo ano: «Cró renasce das cinzas.» Já em 26 de Julho de 2000, era o Diário da Guarda a anunciar: «Termas do Cró poderão abrir em Agosto.» Porém, em 16 de Fevereiro de 2001 titulava o semanário A Guarda: «Termas do Cró – abertura anunciada para Maio.»
A partir daí, a ideia da eminente abertura do Cró, após recuperação, passou a ser recorrente.
Mas a notícia voltou agora aos jornais, e de uma forma surpreendente, de que é exemplo o Cinco Quinas, na sua edição de Julho de 2006: «Já arrancou a 1ª fase de recuperação das Termas do Cró.»
Ter-se-ão perguntado os munícipes, há tanto tempo bombardeados por informação truncada, porque apenas agora começa a primeira fase de uma obra que parecia estar à beira da conclusão.
O certo é que desta vez as máquinas mexem e as obras avançam a bom ritmo. A adjudicação inclui a instalação das insfra-estruturas básicas e a melhoria dos acessos ao antigo parque termal.
Só depois desta fase crucial se poderá obter o interesse dos empresários numa recuperação efectiva, que não poderá ter apenas a valência termal. Terá de haver, de entre outras coisas, um hotel residencial, circuitos de prática desportiva, mini-golfe, parques infantis, restaurantes, piscinas desportivas e pavilhão polivalente.
A ver vamos!
plb