Tag Archives: padre hélder lopes

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Fundão – novo pároco

Em 22 de junho do corrente ano, D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, nomeia como Pároco do Fundão, o Padre Helder Lopes, substituindo o Padre Jorge Colaço, que a seu pedido tinha pedido a saída desta paroquia. Hélder Lopes nasce no Colmeal da Torre, concelho de Belmonte, em 27 de junho de 1983 e é ordenado sacerdote em junho de 2008.

O Padre Helder na procissão da festa da Bismula, onde foi pároco

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Consagrados reunidos em acção de graças

A paróquia do Sabugal recebeu no passado sábado, 19 de Setembro, o segundo encontro dos consagrados naturais do concelho, iniciativa realizada no âmbito do Ano da Vida Consagrada. Na memória de muitos estava ainda presente o encontro de Agosto de 1980, quando cerca de quatrocentos e cinquenta consagrados e consagradas destas terras fronteiriças se reuniram para celebrar a alegria da consagração numa Eucaristia no Castelo do Sabugal.

António Alves Fernandes - Aldeia de Joane - © Capeia Arraiana

Bismula – a passagem do Padre Hélder Lopes

O Padre Hélder Lopes veio para a zona raiana do Sabugal, oriundo do Colmeal da Torre (Belmonte), das cercanias do Centum Cellas, monumento enigmático, ao qual muitos historiadores atribuem diversas funções, sem chegarem a consenso.

O Padre Helder na procissão da festa da Bismula (foto de Sónia Tomé)

O Padre Helder na procissão da festa da Bismula (foto de Sónia Tomé)

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Padre Hélder nomeado vice-reitor do Seminário

O padre Hélder Lopes foi nomeado pelo bispo da Guarda, D. Manuel Felício, vice-reitor do Seminário Maior da Guarda. O sacerdote era responsável desde Agosto de 2008 pela Comunidade da Unidade Pastoral do Planalto do Côa que integra as paróquias de Arrifana do Côa, Badamalos, Bismula, Carvalhal, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior. Foi promotor e dinamizador de cerimónias marcantes – como a paixão de Cristo ou a encomendação das almas – que envolveram centenas de participantes e milhares de espectadores ao longo dos últimos anos. Deixa aos seus paroquianos um legado precioso e único onde se incluem, também, a recuperação de algumas igrejas raianas. O padre Hélder Lopes vai ser substituído pelo padre Daniel José Tomé da Silva Cordeiro.

aar_rogerio_20130810_700x525_13

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Recriação da Paixão de Cristo em Vilar Maior

Vilar Maior, no concelho do Sabugal, recriou o ambiente da Terra Santa do tempo de Jesus, na Sexta-feira Santa, dia 18 de Abril. Actores amadores, mas muito «profissionais», encarnaram o evangelho de S. Mateus, proporcionando aos espectadores uma noite de oração intensa.

Recriação da Paixão de Cristo - Calvário de Jesus Cristo - Capeia Arraiana
Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Recriação da Paixão de Cristo em Vilar Maior

Na noite de Sexta-Feira Santa, 18 de Abril, a aldeia preservada de Vilar Maior voltará a recriar o ambiente da cidade de Jerusalém do tempo de Jesus. A Paixão de Jesus volta às ruas desta povoação do concelho do Sabugal, desta vez segundo o olhar de São Mateus.

Paixão de Cristo em Vilar Maior 2013 - Capeia Arraiana

Paixão de Cristo em Vilar Maior em 2013

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Escola da Fé no Colégio Cristo Rei na Ruvina

O Centro de Espiritualidade Cristo Rei da Ruvina, no Sabugal, iniciou em 2014 a actividade «Escola da Fé» que decorre às quartas-feiras à noite sob a coordenação do padre Hélder Lopes. O primeiro encontro de 2014 contou com a presença do rabino Elisha Salas.

Colégio Cristo-Rei, Ruvina, Sabugal - Foto: Raul Sanches

Colégio Cristo-Rei, Ruvina, Sabugal (foto: Raul Sanches)

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Multidão assistou à paixão de Jesus em Vilar Maior

O cenário natural da medieval e histórica Vilar Maior foi perfeito para os cerca de 150 actores, figurantes e técnicos amadores superiormente comandados pelo «realizador» Padre Hélder Lopes. Uma multidão de mais de mil e quinhentas pessoas assistiu, na noite de sexta-feira Santa, à recriação dos últimos dias da vida de Jesus nas graníticas ruas que levaram ao «Calvário» junto ao Castelo.

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Vilar Maior recria ambiente da paixão de Jesus

Vilar Maior, antiga vila medieval, prepara-se para recriar os últimos dias da vida de Jesus. Quase uma centena e meia de actores amadores, naturais de uma dezena e meia de localidades da região do Sabugal vão dar vida ao Evangelho de São Lucas. Na noite de Sexta-feira Santa, dia 29 de Março, pelas 21 horas, a encenação começará no Largo da Praça de Vilar Maior, percorrerá as ruas do centro histórico medieval, num percurso com cerca de 1500 metros e terminará no «Calvário» junto ao Castelo da antiga vila raiana.

Paixão de Jesus em Vilar Maior - Padre Hélder Lopes - Ensaios Gerais - Capeia Arraiana

Ensaios gerais da encenação da Paixão de Jesus em Vilar Maior

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Paixão de Jesus em Vilar Maior

A encenação ao vivo da vida de Jesus, a sua entrada triunfal em Jerusalém, a última Ceia e a paixão e morte na cruz são baseados no texto bíblico do Evangelho de São Lucas com aportações dos Evangelhos de São João e São Mateus. A representação está marcada para Vilar Maior no dia 29 de Março, às 21 horas.

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Jornada arciprestal no Sabugal

A Diocese da Guarda começou no passado domingo, dia 27 de Janeiro, uma nova fase na vivência do Ano da Fé. Convocados por D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, os quinze arciprestados começaram a organizar as Jornadas Arciprestais para a profissão solene da fé. Coube ao arciprestado do Sabugal inaugurar esta vivência comunitária com uma concentração que decorreu no Pavilhão Municipal e que reuniu centenas de sabugalenses.

Padre de Penamacor nomeado Bispo Auxiliar

O Padre António Manuel Moiteiro Ramos, natural da freguesia de Aldeia de João Pires, no concelho de Penamacor, e actual pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda, foi nomeado Bispo Auxiliar de Braga pelo Papa Bento XVI nomeou como bispo auxiliar da Arquidiocese de Braga o padre António Manuel Moiteiro Ramos, pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda.

Bispo António Manuel Moiteiro Ramos - Aldeia João Pires - Penamacor - Bispo Auxiliar BragaEstá marcada para o dia 12 de Agosto, na Sé da Guarda, a ordenação Episcopal de D. António Manuel Moiteiro Ramos, com o título de Cabarsussi. Será ordenado pelo Cardeal D. José Saraiva Martins, sendo consagrantes o Bispo da Guarda, D. Manuel da Rocha Felício e o Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.
O Padre António Manuel Moiteiro Ramos nasceu a 17 de Maio de 1956, na freguesia de Aldeia de João Pires, concelho de Penamacor e distrito de Castelo Branco, na diocese da Guarda.
Frequentou os Seminários Diocesanos do Fundão e da Guarda, sendo ordenado sacerdote a 8 de Abril de 1982 e nomeado Vigário Paroquial das paróquias de São Vicente e de São Miguel da Guarda. Em 1987 foi nomeado pároco, como membro de uma equipa sacerdotal, das paróquias de São Miguel da Guarda, Alvendre, Avelãs de Ambom, Rocamondo e Vila Franca do Deão e, em 1996, assume o cargo de Director Espiritual do Seminário Maior da Guarda, acumulando, ao mesmo tempo, com a assistência pastoral às paróquias de João Antão, Santa Ana d’Azinha e Panoias. Em 2006, e também como membro de uma equipa sacerdotal, foi nomeado pároco da Sé e de São Vicente, na cidade da Guarda.
Para além da paroquialidade exerceu, ao longo destes 30 anos de sacerdote, outros serviços na diocese da Guarda, tais como o de Responsável pelos Departamentos de Catequese da Infância e Adolescência e do Ensino da Igreja nas Escolas e, actualmente, o de Director do Secretariado Diocesano da Educação Cristã, Coordenador da Pastoral, Assistente Diocesano das Conferências Vicentinas, Membro do Conselho Presbiteral, do Conselho Episcopal e do de Pastoral.
Em 3 de Setembro de 2005 foi nomeado Assistente Geral da Liga dos Servos de Jesus, uma Associação Pública de Fiéis, fundada, em 1924, pelo bispo auxiliar da diocese da Guarda, o Servo de Deus D. João de Oliveira Matos, tendo, no momento actual, 23 comunidades em Portugal e uma em Angola e, em 2006, Vice-Postulador do Processo de Beatificação e Canonização do Servo de Deus.
Entre 1984-1986 fez a licenciatura em Teologia, com especialidade em catequética, no Instituto Superior de Teologia San Dâmaso, em Madrid, filiado na Universidade Pontifícia de Salamanca e, nos anos 1994-1996, frequentou as aulas no Instituto Superior de Pastoral, em Madrid, concluindo o doutoramento em Teologia Pastoral, em 1997, com a tese «Os catecismos portugueses da infância e adolescência de 1953-1993». Desde 1987 foi professor de catequética no Seminário Maior da Guarda e, actualmente, é professor de teologia pastoral no Instituto Superior de Teologia Beiras e Douro, com sede em Viseu.
De entre as várias publicações do autor destacamos as que se dedicam à catequese e à formação de catequistas:
1991 – Membro da equipa que elaborou os catecismos do Programa Nacional de Catequese Jesus gosta de Mim (1º ano) e Estou com Jesus (2º ano).
1998 – Guia de leitura do Directório Geral de Catequese.
1998 – Os catecismos portugueses da infância e adolescência de 1953-1993.
2003 – A catequese na diocese da Guarda.
2006 – Procuramos o rosto de Deus e Celebramos o encontro com Cristo.
Pe. Hélder Lopes

Visita ao restauro da Igreja de Carvalhal do Côa

A 18 de Abril celebra-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios sob o lema «Do património mundial ao património local, proteger e gerir a mudança». Nas iniciativas a nível nacional do IGESPAR destaque para a visita ao estaleiro e às pinturas murais de Carvalhal do Côa, na freguesia de Badamalos, concelho do Sabugal.

IGESPAR - Carvalhal do Côa - Badamalos - Sabugal

O IGESPAR-Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, promove anualmente esta iniciativa, tendo por base a proposta do ICOMOS Internacional, apresentando em 2012 uma programação diversificada de actividades organizadas por entidades públicas e privadas.
Esta comemoração tem como objectivo sensibilizar o público para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para o esforço envolvido na sua proteção e salvaguarda.
O tema escolhido para este ano – Do Património Mundial ao Património Local, proteger e gerir a mudança – assinala uma relevante efeméride, o 40º aniversário da Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural da UNESCO, no quadro da qual foi estabelecida a conhecida «Lista do Património Mundial». As reflexões e discussões levadas a cabo sobre esta matéria , a nível internacional, vêm-se refletindo na evolução de conceitos e metodologias que revertem para as distintas realidades nacionais e para as práticas concretas e mais locais da conservação.
No concelho do Sabugal o Programa Atelier Samthiago organiza uma visita ao estaleiro e às pinturas murais de Carvalhal do Côa, na freguesia de Badamalos. A orientação da visita está a cargo do pároco da freguesia, Padre Hélder Lopes, e de António Oliveira, coordenador da empresa de conservação e restauro.
O programa é o seguinte:
15:00 – Recepção dos participantes e distribuição da documentação.
15:30 – Visita ao estaleiro e trabalhos de conservação e restauro da Igreja Matriz de Badamalos.
16:30 – Saída para a Capela de São Marcos do Carvalhal, para observação das pinturas murais recentemente descobertas.
17:30 – Encerramento.
A organização da visita pertence ao Atelier Samthiago® – Conservação e Restauro e à Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Badamalos
As inscrições gratuitas, obrigatórias, são limitadas e devem ser feitas para o email geral@samthiago.com ou pelo telefone 258 825 385.
O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado a 18 de Abril de 1982 pelo ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) e aprovado pela UNESCO.
jcl (com Atelier Samthiago e IGESPAR)

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Obras na igreja paroquial de Badamalos

Começaram na segunda-feira, dia 2 de Maio, as obras de conservação e restauro da Igreja de Badamalos. A empresa belmontense «Construções Pais dos Santos» começou a montar o estaleiro e os andaimes exteriores e interiores na manhã do feriado municipal do Sabugal.

Clique nas imagens para ampliar

Festa da Unidade Pastoral do Planalto do Côa

As Comunidades da Unidade Pastoral do Planalto do Côa reuniram-se na Ruvina, no Domingo, dia 14 de Novembro, para participarem no magusto inter-paroquial.

(Clique nas imagens para ampliar.)

Padre Hélder LopesDepois de Ruivós (2008) e de Vale das Éguas (2009) terem organizado esta actividade, este ano a Ruvina foi a terra anfitriã do Magusto Inter-Paroquial das Comunidades da Unidade Pastoral do Planalto do Côa.
O Domingo foi preparado com muito cuidado. Ao longo de vários dias muitas pessoas se empenharam nos preparativos para que tudo corresse bem. As previsões atmosféricas ameaçavam estragar os planos, mas até o sol quis participar neste encontro, brindando-nos com a sua presença e alegria ao longo do dia.
Logo cedo, depois das Celebrações Dominicais de cada paróquia, muitos paroquianos das diversas comunidades (Badamalos, Bismula, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior) começaram a chegar ao largo da igreja da Ruvina, uns de transporte próprio, outros nos transportes disponibilizados para o efeito. Às 11.00 horas já a pequena igreja estava repleta. Fizeram-se os ensaios e às 11.30 horas começou o momento mais importante do dia. A Eucaristia foi celebrada com muito encanto. Na assembleia ocuparam lugar de destaque as crianças, adolescentes e jovens das diversas comunidades paroquiais. Os cânticos entoaram-se com beleza. Os altares foram enfeitados com muito esmero. Os acólitos emolduraram o presbitério rodeando o pároco, o Diácono Lucas Fernandes e o jovem André Barros. Rezou-se de forma especial pelos nossos Seminários.
Depois da Celebração Eucarística, passou-se da mesa do altar para a mesa do convívio e da refeição fraterna. No pavilhão das festas, junto ao ringue, foi servido o almoço preparado por um pequeno grupo de pessoas muito diligente. Depois das entradas, foi servida a canja de galinha, carnes assadas acompanhadas de arroz e fruta da época. Dias antes, os paroquianos das diversas paróquias foram convidados a partilhar as sobremesas. As mesas que lhes estavam destinadas rapidamente ficaram repletas de iguarias que saltavam aos olhos e faziam água na boca. Ninguém contou as pessoas presentes, mas os 170 pratos de cerâmica que estavam preparados não chegaram para todos. Foi necessário recorrer a pratos de plástico guardados para as eventualidades. Tudo foi preparado com muita perfeição.
Já com a barriga acomodada foi tempo de desfazer as calorias do almoço. Rapidamente se organizaram os jogos que estavam preparados e muitos se puderam divertir. Houve jogos tradicionais para todos os gostos, idades e feitios, desde os jogos de cartas, aos mini-torneios de «futebol de 5», até aos jogos de cordas. Organizaram-se corridas de sacas, corridas de pares, jogo do balão, jogo do ovo, jogo da maçã, jogo da malha, jogo do prego, jogo da testa entre outros… Foi uma tarde muito bem passada que ajudou pequenos e graúdos a celebrar o Domingo de forma diferente.
Como um dos motivos do encontro era o magusto, o dia não poderia ter terminado sem as castanhas assadas e a jeropiga. Também aqui houve castanhas para todos os gostos, desde as assadas no tradicional monte de caruma, até às assadas em modernos recipientes que permitem um melhor aproveitamento do fruto do castanheiro. Como é natural, alguns chegaram a suas casas irreconhecíveis!
Este dia só foi possível graças à organização feita pela Paróquia da Ruvina com o apoio da Junta de Freguesia local, do Centro Social e Cultural da Ruvina e da Casa de Cristo Rei.
Pe. Hélder Lopes

Peregrinação da Unidade Pastoral Planalto do Côa

A Unidade Pastoral do Planalto do Côa realizou no passado dia 10 de Junho a sua primeira peregrinação inter-paroquial. Uma centena de peregrinos rumou ao Santuário Nacional de Cristo Rei, em Almada, para encerrar festivamente o Ano Sacerdotal, proclamado pelo Papa Bento XVI.

Clique nas imagens para ampliar

Em poucos dias, inscreveram-se 100 paroquianos das paróquias que me estão confiadas, para participar na Peregrinação de encerramento do Ano Sacerdotal. Oriundos de Badamalos, Bismula, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior, partiram em dois autocarros da empresa sabugalense Viúva Monteiro, com destino a Lisboa e Almada.
Em Lisboa, durante a manhã, tiveram a oportunidade de visitar o belíssimo Mosteiros dos Jerónimos, onde está sepultado Luís de Camões, o Museu Nacional de Arqueologia e a Torre de Belém, um dos ex-líbris da capital portuguesa. Saborearam um delicioso Pastel de Belém acabado de fazer e passaram pela restaurada Praça do Comércio e por algumas das mais conhecidas avenidas da marginal lisboeta.
Depois de atravessarem a ponte 25 de Abril, ao início da tarde, nos parques de merendas do Santuário de Cristo Rei retemperaram forças com as merendas ricamente preparadas, subiram ao topo do monumento religioso, contemplaram a grandiosa vista sobre a bacia do Tejo e celebraram com solenidade a Eucaristia no Santuário.
No regresso, já a caminho de casa, passaram pelo Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, onde tiveram de oportunidade de rezar na Capelinha das Aparições. Merendaram uma vez mais e preparam-se para o final da viagem de regresso às paróquias.
Tudo correu muito bem e no final havia um sentimento generalizado de alegria e agradecimento ao Senhor Jesus Cristo por ter proporcionado momentos de partilha e aprofundamento da fé tão fortes. Em muitos peregrinos ficou a vontade de fazer mais actividades deste género, tendo o pároco agradecido a participação de todos e manifestado o desejo de, brevemente, lhes satisfazer a vontade.
Aos quatro motoristas, aos que colaboraram para que tudo corresse dentro do planeado e a todos os que ficaram em casa oferecendo as suas orações para que tudo corresse bem, aqui deixo uma palavra de agradecimento sentida.
Pe. Hélder Lopes

Religião - © Capeia Arraiana (orelha)

Celebração Arciprestal no Sabugal

No V Domingo da Quaresma, dia 21 de Março, centenas de cristãos provenientes das 37 paróquias do Arciprestado do Sabugal participaram na celebração arciprestal em Ano Sacerdotal presidida por D. Manuel Felício, Bispo da Diocese da Guarda. O Salão da Junta de Freguesia foi pequeno para acolher todos os que quiseram dar graças ao Senhor pelo dom do sacerdócio.

Clique nas imagens para ampliar

Magusto da Unidade Pastoral do Planalto do Côa

O Magusto da Unidade Pastoral do Planalto do Côa decorreu em Vale das Éguas, este domingo, dia 8 de Novembro, e contou com a presença de dezenas de participantes.

Padre Hélder LopesDecorreu no passado Domingo, dia 8 de Novembro, o magusto da Unidade Pastoral do Planalto do Côa. Esta iniciativa inter-paroquial, que congrega as comunidades da Arrifana do Côa, Badamalos, Bismula, Carvalhal, Rapoula do Côa, Ruivós, Ruvina, Vale das Éguas e Vilar Maior, promovida pelo seu pároco, Padre Hélder Lopes, decorreu pelo segundo ano consecutivo.
A itinerância do acontecimento levou-o, este ano, à paróquia de Vale das Éguas. O Conselho Económico Paroquial, a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal trabalharam em conjunto para proporcionar um grande dia de convívio.
Este ano a «Festa da Amizade e da Alegria», assim apelidada, constou de Eucaristia, precedida de ensaio de cânticos, almoço para todos os participantes, uma primeira parte do magusto, depois um fantástico torneiro de matraquilhos humanos, e por fim, a segunda parte do magusto. O dia terminou com o regresso de todos às suas terras.
Desde as 9.20 horas houve percursos de autocarro organizados entre as paróquias para trazer todos os participantes até Vale das Éguas. Às 10.40 horas adro e Igreja Paroquial de S. Sebastião estavam repletos de fiéis. Chegou a temer-se que as nuvens se desfizessem em água.
Cerca de duas centenas de pessoas participaram no banquete excelentemente confeccionado por pessoas da terra. Dezenas de crianças vindas de toda a parte davam um colorido especial à imensa moldura humana que se juntou no fim da refeição.
Mais de 50 quilos de castanhas e vários litros de jeropiga foram distribuídos pelos presentes, que não desaproveitaram a oportunidade de enfarruscar os amigos. Depois do momento alto, que foi a Eucaristia, o ex-líbris do dia foi o torneio de matraquilhos humanos, que a quase todos cativou. Formaram-se dezoito equipas de cinco elementos. Ao todo eram cerca de 90 participantes de todas as idades e feitios, homens e mulheres, velhos e crianças, que ao longo de mais de hora e meia, se digladiaram dentro da fantástica estrutura insuflável contratada e montada para o efeito.
No fim dos 18 jogos do campeonato, organizado por eliminatórias, saiu vitoriosa a equipa chamada «Os Presidentes», que como o próprio nome indica, era constituída por presidentes de Junta das diversas terras ali representadas. A segunda parte do magusto, já com muitos bolos e sobremesas, foi embelezada pela animação de algumas jovens promessas da música e da dança, que cantaram e nos encantaram com os seus passos. Foi um momento especialíssimo de convívio e lazer.
Pe. Hélder Lopes