Tag Archives: nuno crato

Fernando Lopes - A Quinta Quina - © Capeia Arraiana

Demitam-nos!

Somos mesmo um país de brandos costumes. Um povo sereno. O que não significa ser ponderado, nem significa ser reivindicativo e, nem exigente.

O homem messiânico da educação errou em toda a linha

O homem messiânico da educação errou em toda a linha

Fernando Lopes - A Quinta Quina - © Capeia Arraiana

O Conselho de Estado e, ainda, o Crato

Quase que me apetecia começar esta crónica a falar do trauma brasileiro dos 7 a 1 que apanhou da Alemanha. E tão somente para referir que o futebol é um desporto colectivo, provado magistralmente pela selecção alemã. Assim, a divinização dos futebolistas perde todo o sentido vendo a Alemanha a jogar futebol.

Reunião do Conselho de Estado

Reunião do Conselho de Estado

Paulo Leitão Batista - Contraponto - © Capeia Arraiana (orelha)

O imparável fecho das escolas

O afã com o encerramento das escolas do interior volta no final de cada ano lectivo num processo frenético que destrói o pouco que resta nas aldeias. O Sabugal, perante o anunciado fecho da escola de Santo Estêvão, foi um dos concelhos afectados, mas isso não parece preocupar suficientemente os responsáveis políticos do Município.

O governo decidiu encerrar a escola de Santo Estêvão (Sabugal)

O governo decidiu encerrar a escola de Santo Estêvão (Sabugal)

Fernando Lopes - A Quinta Quina - © Capeia Arraiana

Exemplos

Não vos vou falar de Eusébio. Nestes dias foram mais que muitas, e justas, as palavras sobre esse genial futebolista e ser humano. Mas não posso de expressar o quanto me incomodou as palavras proferidas pela Presidente da Assembleia da República. Disse esta senhora, em pleno funeral de Eusébio, quando questionada sobre a trasladação do corpo para o Panteão Nacional, que sim, mas que os custos eram muito elevados. Mesmo que o sejam, não era o local nem o momento para o dizer.

Assunção Esteves com Luís Filipe Vieira

Assunção Esteves com Luís Filipe Vieira

Fernando Lopes - A Quinta Quina - © Capeia Arraiana

…a ideia estúpida seguinte

Nesta avalanche de euforismo, em que todos gritam por Cristiano Ronaldo (e merecidos), prefiro gritar por Portugal. Não somente o grito pela selecção nacional mas, e sobretudo, um grito de alerta e chamamento. O orçamento que se vai aprovando no parlamento será o pronúncio da redução da condição digna de cidadão à, no máximo, sobrevivência.

Joaquim Gouveia - Capeia Arraiana (orelha)

Muda-se o País!…

Todos se recordam do desaire do governo aquando da declaração de inconstitucionalidade de quatro normas do Orçamento do Estado. Pelo segundo ano consecutivo, os juízes do Tribunal Constitucional (TC) chumbaram o confisco dos subsídios de férias aos funcionários públicos e aos pensionistas, com o argumento de que esta medida viola o princípio constitucional da igualdade.

Ministro Nuno Crato - Capeia Arraian

Nuno Crato – Ministro da Educação (foto: D.R.)

Manuel Meirinho questiona Ministro da Educação

O deputado do PSD eleito pelo distrito da Guarda, Manuel Meirinho, questionou o ministro da Educação, Nuno Crato, nas Comissões de Orçamento e Finanças, Educação, Ciência e Cultura durante a audição sobre o Orçamento de Estado para 2012 sobre o manifesto orçamental dos reitores das universidades portuguesas.

[vodpod id=Video.15716093&w=425&h=350&fv=]

jcl

Quem sou eu para avaliar

«Quem sou eu para avaliar?!». Foi com estas palavras, que o senhor ministro da Educação e da Ciência, Doutor Nuno Crato, respondeu no final da entrevista que concedeu há duas semanas ao canal público RTP1, à questão colocada pelo jornalista: «como avalia o trabalho dos seus antecessores?».

O que me surpreendeu nesta resposta, depois de uma entrevista onde nada disse, ou quase nada, sobre os assuntos relacionados e relevantes para a Educação em Portugal: gestão das escolas, financiamento das escolas, mega-agrupamentos, colocação de professores, objectivos claros de aprendizagens e de saberes no final de cada ciclo de ensino, encerramento de escolas do 1º ciclo… é a palavra «avaliação».
Quis-me parecer que foi uma entrevista a pedido (do Sr. Ministro), para ostentar uma vitória sobre os sindicatos acerca do modelo de avaliação dos docentes!
Uma vitórinha de Pirro! Pois, praticamente, tudo fica igual. Os avaliadores são externos. Contudo, o Sr. Ministro não explicou de onde vêm, se deixam de dar as suas aulas para assistir às dos outros, quem paga as deslocações… enfim! As cotas continuam como uma espécie de rebuçados geridos pelos, agora, todos poderosos senhores directores das escolas (alguns nunca deram uma única aula na vida!.. mas era o único lugar na administração pública onde não havia lugar para boys…)! E, por fim, avaliação só conta nos concursos para… os contratados!!!
Foi um acordo absolutamente fantástico!… O Sr. Ministro dá uma entrevista na televisão. Os sindicatos calam-se. E a Educação lá vai cantando e rindo. Só não se sabe para onde…
Depois disto, retomo o início da crónica.
Toda uma exibição televisiva para dizer aos portugueses que tinha uma vitória sobre avaliação dos professores, diz, no final, quem é ele para avaliar!?!
Sr. Nuno Crato, o senhor é ministro, e ministro da Educação! O senhor é professor! E quem é o senhor para avaliar??!!
Já imaginou se todos os professores respondessem como o senhor? E com que autoridade (moral) vai exigir que os outros (também professores como o senhor) vão avaliar?
A Educação é um dos pilares centrais de um estado e de uma nação. Tal como a saúde e a defesa/segurança. A educação é o veículo dos saberes, dos princípios do regime democrático e das regras da convivência em sociedade. È pela educação que são transmitidos os valores que nos tornam portugueses, um povo único, com uma história universal e uma língua própria (bem, agora nem tanto! Pois o novo Acordo Ortográfico torna-nos abrasileirados…), que nos torna nação! Por isso, o estado não pode, nem deve, encarar a educação como um negócio. Isto é, como um produto que se pode transaccionar sem mais! Como parece ser a intenção, para as câmaras municipais!
O papel da educação é o de formar melhores cidadãos. Mais capazes e melhor preparados para uma cada vez mais justa sociedade.
O que peço ao Sr. Ministro (e a todos os outros) é que não confunda o gabinete com a realidade!

Post scriptum Parabéns aos organizadores da Feira Manuelina em Sortelha. Obrigado Sortelha.
«A Quinta Quina», crónica de Fernando Lopes

fernandolopus@gmail.com