Tag Archives: mostra

Mostra de Sabores Tradicionais em Coimbra

A cidade de Coimbra recebe, nos dias 2 e 3 de Julho, as confrarias gastronómicas de todo o país, numa iniciativa designada Mostra de Sabores Tradicionais, a qual divulgará os valores da gastronomia tradicional portuguesa.

Participam no evento mais de 30 confrarias, de norte a sul do país, incluindo das regiões autónomas dos Açores e da Madeira. Coimbra acolherá a iniciativa, no próximo fim-de-semana, no Parque D. Manuel Braga, onde as confrarias ocuparão vários stands e aí servirão petiscos e exporão artesanato e outros produtos regionais. Também haverá animação através de danças e cantares tradicionais.
No sábado, pelas 10 horas, realiza-se o desfile inicial, a partir da Câmara Municipal de Coimbra até ao local da Mostra.
A Mostra de Sabores Tradicionais é promovida pela Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, Câmara Municipal de Coimbra, Turismo de Portugal e Turismo do Centro.
A Confraria do Bucho Raiano, do Sabugal, por dificuldades logísticas, não ocupará qualquer stand na Mostra, mas estará presente na iniciativa, participando no desfile com as demais confrarias gastronómicas.
plb

José Sapinho inaugura Mostra Conventual

Foi inaugurada esta quinta-feira, 13 de Novembro, pelo presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, José Sapinho, a Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais, a decorrer até domingo, no Mosteiro de Alcobaça.

Mostra Conventual em AlcobaçaA cerimónia contou com a presença do executivo municipal de Alcobaça, membros da assembleia Municipal, direcção do Mosteiro de Santa Maria, convidados ilustres como o Chefe Silva e comitivas das cidades geminadas – Alcobaça do Brasil e Aubergenville (França) –, população local e forasteiros.
Para celebrar os 10 anos de Mostra, o Município de Alcobaça homenageou os 14 participantes, todos de nacionalidade portuguesa, oriundos de Norte a Sul do País, que participam nesta iniciativa desde a sua primeira edição. E como não podia deixar de ser, a homenagem especial ficou guardada para o grande amigo de Alcobaça e da doçaria conventual, Chefe Silva, que está neste evento desde sempre e sem o qual «esta Mostra não é a mesma», como afirmou Alcina Gonçalves, vereadora da Cultura.
Para José Gonçalves Sapinho, Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, é visível o «salto qualitativo» que esta Mostra sofreu, e a «Câmara Municipal de Alcobaça não pode deixar de agradecer e reconhecer com gratidão a todos aqueles que acreditaram nela, que são também eles testemunhos do seu sucesso».
Para o Presidente, as presenças internacionais (França, Espanha, Brasil e Bélgica) são um sinal da acreditação desta Mostra, que tem vindo a ser um ponto de partida para muitas outras que actualmente ocorrem pelo País.
Comovido pela homenagem inesperada, Chefe Silva também quis deixar algumas palavras aos presentes, voltando a afirmar que não tem dúvidas que «Alcobaça é a capital nacional e internacional da Doçaria Conventual».
A «Festa dos Doces» vai continuar até Domingo, com a presença de 40 participantes nacionais e internacionais.

Acompanhe as novidades aqui.
aps

Doces e Licores Conventuais em Alcobaça

A cidade de Alcobaça recebe pelo décimo ano a Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais que decorre entre 13 e 16 de Novembro no Mosteiro de Alcobaça.

Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de AlcobaçaO Refeitório, a Sala dos Monges e a Sala do Capítulo são as salas do Mosteiro que dão as boas-vindas à mais carismática Mostra Conventual do País. Durante quatro dias, de 13 a 16 de Novembro, o monumento Património da Humanidade acolhe mais de 40 participantes nacionais e internacionais, com destaque para os conventos portugueses, mosteiros espanhóis e abadias francesas e belgas. A Bélgica e a Ilha da Madeira são as novas presenças desta edição.
As receitas conventuais constituem uma ementa de raros sabores, sobremesas e licores com grande êxito, e serão representadas num ambiente único, palco da Glutonaria Medieval «sítio onde melhor se comia na Europa», segundo William Beckford, no livro “Alcobaça e Batalha».
Esta Mostra pretende manter Alcobaça numa dimensão internacional, como pólo de defesa da autenticidade das artes culinárias, pois são ainda bastantes os doces de origem conventual que figuram no receituário português e expostos nesta Mostra, onde o visitante poderá ainda «aguçar o paladar» com licores conventuais.
De entre os manjares presentes nas edições da Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais pode saborear-se:
– Doces do passado – Toucinho-do-Céu, barrigas de freira, ovos-moles, castanhas de ovos, pão de rala, papos de anjo, pão-de-ló de Alfeizerão, tachinhos do abade, pastéis de Lorvão, pastéis de Tentúgal, lampreia de ovos, tigeladas, tortas de Guimarães, morcelas doces, queijinhos do céu e divina gula;
– Doces inovações – Chocolates, marmeladas, licores, bombons, biscoitos, bolachas, entre outros fabricados, actualmente, em conventos europeus por freiras e frades;
– Licores – Para acompanhar os magníficos doces conventuais poderá saborear por exemplo: os Licores: de ginja de Alcobaça, de Singeverga (o único ainda fabricado num mosteiro em Portugal), de Eucaliptine, de Ambrar Oro, entre outros.
Assumindo-se como pioneira do conceito em Portugal, a Câmara Municipal de Alcobaça, que trabalha nesta Mostra desde 1999, promove e divulga o riquíssimo património cultural que é a doçaria, apostando na tradição gastronómica deixada pela presença dos monges e monjas cistercienses nos Conventos de Alcobaça e Cós.
Durante os primeiros anos, o evento decorreu numa tenda especialmente concebida para o acontecimento, localizada em vários pontos da cidade, mas a decisão de alterar o local da Mostra, em 2006, para o Mosteiro, foi uma aposta ganha, fruto da notoriedade que o certame foi adquirindo ao longo dos anos e da necessidade de preservar as tradições gastronómicas.
A beleza do Mosteiro constitui, só por si, motivo de visita e faz deste, o local ideal para receber esta Mostra, que recebe mais de 30 mil visitantes por edição. A Abadia de Alcobaça é um dos mais importantes mosteiros cistercienses medievais. Ao estatuto de monumento emblemático da Ordem, durante toda a época medieval e moderna, juntam-se os de primeira obra inteiramente gótica de Portugal e de segundo panteão da monarquia nacional, depois dos enterramentos régios de D. Afonso I e de D. Sancho I em Coimbra. O Mosteiro foi fundado em 1153 por doação do primeiro monarca a Bernardo de Claraval. Alguns autores sugeriram que, imediatamente após esta data, a construção tenha arrancado, segundo uma rígida planta bernardina, projecto historiograficamente conhecido como Alcobaça I.No transepto e de cada lado, encontram-se os túmulos de D. Pedro I e D. Inês de Castro, os eternos amantes de uma das mais belas e trágicas histórias de amor. O túmulo de D. Inês apresenta nas faces laterais cenas da vida de Cristo. O túmulo de D. Pedro alude à vida de S. Bartolomeu. Na cabeceira, vê-se uma Rosa da Vida do par amoroso. Nas dezoito edículas que se dispõem em duas faixas circulares concêntricas, está documentado todo o trágico poema de amor, desde as cenas da vida dos dois amantes, até ao sangrento fim da doce Inêse o castigo dos assassinos. Na parte inferior da rosácea, no pequeno túmulo com uma estátua jacente lê-se o supremo adeus: «Até ao fim do Mundo…»

Parabéns ao ilustre sabugalense José Sapinho, presidente da Câmara Municipal de Alcobaça por mais esta doce iniciativa.
jcl

Fotografias antigas no Museu do Sabugal

Desde 7 de Agosto que acontece no museu do Sabugal uma comovedora exposição de fotografias antigas, que tem despertado muito interesse, recebendo constantes visitas. A imperdível exposição decorre até 14 de Setembro.

Exposição no Museu do SabugalImagens de pessoas vestidas ao estilo de outras épocas, cenas da vida quotidiana, monumentos e casas antigas, tudo se revela na mostra fotográfica que o Museu Municipal concebeu e apresentou. Casamento, caçada, fainas agrícolas, primeira comunhão, também registos acerca da evolução do Largo da Fonte no Sabugal, desde o tempo em que era uma fonte de chafurdo, passando pelo tempo em que foi transformada em chafariz, em nome da higiene pública.
Outra série alude às festividades de S. João, onde as fotos históricas se misturam com fotografias da edição de 2008 dos festejos. Uma mistela pouco feliz mas que permite ao observador ter uma ideia da diferença entre as duas épocas.
Em lugar de destaque está uma impressionante imagem da construção da escola primária do Sabugal, com as colossais pedras de granito retiradas da igreja de Santa Maria do Castelo e da capela de S. Sebastião. A construção já vai avançada e a fotografia regista o enorme «sarilho» encimado por uma grande roldana, com o qual se içavam as pedras. Sem dúvida uma das melhores fotografias da mostra.
Outra foto interessante é a de um desastre de automóvel, onde uma camioneta abalroou o carro do Dr. Francisco Manso, estando ao lado das viaturas acidentadas duas bicicletas tombadas, certamente pertença de curiosos que acorreram ao desastre.
Uma exposição que merece a pena visitar. Para além da importância dos registos históricos, também merece referência o esforço de recolha que possibilitou a exposição, sendo vários os particulares que deram o seu modesto, mas certamente decisivo, contributo para que a mostra fosse possível.

Parabéns à empresa municipal Sabugal+ pelo sucesso da iniciativa.
plb

Festa do Mundo Rural Raiano no Soito

A Câmara Municipal do Sabugal e a Pró-Raia organizam nos dias 24 e 25 de Maio a quarta edição da Festa do Mundo Rural e da Mostra Agro-alimentar do Alto Côa. A iniciativa conta com várias actividades e decorre este ano em paralelo com os «Circuitos Gastronómicos Raianos».

Festa do Mundo RuralA 4.ª Festa do Mundo Rural Raiano (também denominada Mostra Agro-Alimentar do Alto Côa) está marcada para os dias 24 e 25 de Maio aproveitando, este ano, a proximidade do feriado do Corpo de Deus que se festeja a 22 de Maio.
A mostra é organizada pela Câmara Municipal do Sabugal e pela Pró-Raia no recinto próximo da Casa da Juventude, Desporto, Cultura e Lazer da vila do Soito e tem como como objectivo divulgar o que de melhor se produz e existe na região raiana, promovendo as tradições e potencialidades do concelho sabugalense.
A exibição, ao vivo, das artes e ofícios tradicionais representativos dos costumes e trad
Os visitantes poderão admirar uma mostra de animais (Bovinos, Ovinos, Caprinos e Equinos), uma exposição dos vários sectores do mundo rural (agrónomo, florestal, pecuário, alimentar, ambiental, turístico) e os stands de máquinas e alfaias agrícolas.
A programação da festa inclui demonstração hípica, insufláveis, animação de rua e uma Tourada à Portuguesa com os cavaleiros António Ribeiro Telles e António d´Almeida, os Grupos de Forcados Amadores de Coruche e de Coimbra e o matador espanhol Javier Castaño.
No noite de sábado, 24 de Maio, um concerto com o cantor José Cid e a Big Band fará as delícias de todos os seus admiradores.
Em paralelo decorrerão, entre 21 e 25 de Maio, os «Circuitos Gastronómicos Raianos» a que aderiram vários restaurantes do concelho do Sabugal e um de Navasfrias que incluem nos seus menus os melhores pratos da tradicional gastronomia raiana sabugalense.

Uma semana para surpreender os sentidos nas terras raianos do Sabugal. A iniciativa é positiva e merece a participação (possível) de todos. Na análise pós-evento a organização devia ter em conta que nem sempre o calor de Maio rima com bucho arraiano e… discutir a hipótese de organizar os circuitos gastronómicos apenas ao sábado e domingo e durante vários fins-de-semana. Facilitava a vida aos forasteiros que não podem ter uma semana completa de férias em Maio. Para reflectir…
jcl